Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

INDÚSTRIA EM CRISE

Por coronavírus, Hollywood cancela festas e lançamentos e perde US$ 5 bilhões

Divulgação/Universal Pictures e Paramount Pictures

Montagem com os atores Daniel Craig, caracterizado como o agente James Bond, e Tom Cruise, em cena de Missão Impossível 6

Daniel Craig no novo 007, que foi adiado, e Tom Cruise em Missão Impossível, cujas gravações foram canceladas

LUCIANO GUARALDO

luciano@noticiasdatv.com

Publicado em 5/3/2020 - 5h20
Atualizado em 5/3/2020 - 5h21

Com mais de 90 mil casos confirmados pelo mundo, o coronavírus virou a preocupação número um de Hollywood. Por causa da doença, a indústria do entretenimento cancelou eventos, adiou lançamentos e mudou seu calendário. Nada disso, porém, evitou um rombo nos cofres: só no cinema, a perda já superou US$ 5 bilhões (R$ 22,9 bilhões).

Na quarta (4), os estúdios MGM e Universal anunciaram que a epidemia mundial motivou uma mudança na estreia do próximo filme de James Bond, 007 - Sem Tempo para Morrer. Antes prevista para 9 de abril, a chegada do longa que trará Daniel Craig pela última vez na pele do agente inglês agora será em novembro.

A principal razão para a troca de datas é a crise do vírus na China. O país mais populoso do mundo tem mais de 70 mil cinemas e, só no ano passado, foi responsável por 20% das bilheterias mundiais. Neste ano, o panorama é outro: todas as salas chinesas estão fechadas desde 24 de janeiro, e longas como Sonic: O Filme e Jojo Rabbit sequer estrearam por lá --o que prejudica a arrecadação global.

Segundo o Hollywood Reporter, o coronavírus fez a receita do cinema desabar na China. Em 2019, entre a última semana de janeiro e as duas primeiras de fevereiro, a arrecadação foi de US$ 1,52 bilhão (R$ 6,95 bilhões); no mesmo período deste ano, faturou US$ 3,9 milhões (R$ 17,8 milhões) --ou seja, apenas 0,25% do potencial.

Essa queda, por si só, já seria preocupante. Mas a situação fica ainda pior quando se leva em conta que estúdios têm desenvolvido superproduções de olho no mercado chinês. A Disney, por exemplo, lança no dia 26 o live action de Mulan, com elenco todo oriental e cuja história foi reescrita para não ofender a cultura local. O objetivo óbvio da empresa era conquistar os mais de 1,4 bilhão de pessoas que moram na China --e que, no momento, não podem ir ao cinema.

A produção de blockbusters também deve ser afetada a longo prazo. Previsto para julho do ano que vem, Missão Impossível 7 teve suas filmagens canceladas pelas próximas três semanas --a equipe do longa com Tom Cruise ia rodar cenas em Veneza, na Itália. Produções com locações na Europa devem seguir o exemplo.

Na TV, o reality show The Amazing Race, da CBS, teve de interromper as gravações de sua 33ª temporada. A produção já tinha passado por Escócia e Inglaterra e deveria seguir por outros países europeus nas próximas semanas. Os participantes, que apostam uma corrida pelo mundo todo em duplas e precisam cumprir provas em diferentes locais, já estão de volta a suas casas.

Sem festa nem festivais

Prevista para esta quinta (5), a festa de lançamento do Disney+ na Europa foi cancelada. O evento reuniria imprensa, executivos e alguns dos principais artistas do novo streaming em Londres, na Inglaterra. Agora, o serviço chegará a países como França, Alemanha, Itália, Espanha, Áustria e Reino Unido sem nenhuma solenidade.

Na quarta (4), a Fox News também cancelou o seu upfront, evento no qual as TVs apresentam as novidades de sua programação ao mercado publicitário, marcado para o dia 24. A decisão foi anunciada como uma "medida de prevenção aos funcionários, clientes e agências baseada em uma preocupação com a saúde pública", segundo comunicado distribuído pelo canal de notícias à imprensa.

Grandes festivais também estão ameaçados pelo coronavírus. A MIPTV, feira de televisão que acontece anualmente na França e reúne exibidores do mundo todo, não vai ter sua edição 2020, que começaria no próximo dia 30. Isso afeta inclusive o Brasil: a Globo usa o evento para apresentar séries e novelas ao mercado estrangeiro, e outros canais iam à feira para comprar formatos novos. Parte dos eventos da MIPTV será transferida para a Mipcom, marcada para outubro.

Como o número de casos tem crescido exponencialmente, até eventos que aconteceriam no segundo semestre viraram dúvida. Grandes estúdios e produtoras seguem de olho na epidemia e já não dão certeza sobre a sua participação na San Diego Comic-Con. E ainda faltam mais de quatro meses para o principal evento do mundo voltado a fãs de cultura pop, que começa em 23 de julho.


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Você já tem seu favorito em A Fazenda 12?