Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

GUERRA DO STREAMING

Paramount choca mercado brasileiro e mira ameaçar Netflix com Libertadores

GILVAN DE SOUZA/FLAMENGO

Arrascaeta faz gol na Libertadores 2022 e aponta para a câmera com seriedade

Arrascaeta, craque do Flamengo, na Libertadores: Paramount vai exibir torneio entre 2023 e 2026

GABRIEL VAQUER, colunista

vaquer@noticiasdatv.com

Publicado em 14/5/2022 - 6h45

A Paramount deixou o mercado publicitário brasileiro em choque ao comprar dois pacotes de jogos da Libertadores e da Copa Sul-Americana, as duas competições de clubes mais importantes do continente. Os torneios fazem parte de um plano ambicioso para o Brasil: usar o futebol ao vivo para impulsionar suas produções originais e assinaturas. A meta é se aproximar da Netflix, que é líder, mas sofre uma crise sem precedentes.

A empresa dona das marcas MTV e Nickelodeon terá cerca de 80 jogos por ano com os dois torneios. Além dos direitos no Brasil país, a Paramount adquiriu as transmissões da Libertadores em TV aberta para o resto da América Latina. Com isso, vai exibir as partidas na Telefé, da Argentina; e Chilevision, do Chile, que pertencem ao conglomerado. O resto do continente terá jogos pela Pluto TV. 

Segundo apurou o Notícias da TV, os valores pagos pela Paramount só ficaram atrás do investido pela Disney em dólares. A oferta financeira superou com sobra as propostas de Amazon e Globo para as plataformas pagas. Ao todo, a Conmebol faturou R$ 7,8 bilhões com as vendas dos direitos. 

Os próximos planos da Paramount serão colocados em prática a partir do segundo semestre. O primeiro passo é nomear uma liderança esportiva que comandará o projeto em todo o continente. Um executivo nacional também será buscado para montar a ideia no Brasil. A ideia inicial não é montar um time fixo, mas profissionais disponíveis no mercado como freelancers.

A prática vai diminuir custos. Também serão pesquisados estúdios para as transmissões de partidas ao público brasileiro. Uma terceirização desse trabalho não está descartado. Ou seja, a Paramount pode pagar uma empresa para cuidar dos estúdios e da qualidade técnica das transmissões. 

Por fim, nesse período inicial, a montagem da equipe de esportes da Paramount no mercado brasileiro será supervisionada pessoalmente por Juan Acosta, presidente do conglomerado para Europa Meridional, América Latina, África e Oriente Médio; e por Tom Ryan, presidente e CEO do Paramount+. 

No Brasil, a meta é posicionar o Paramount+ como um dos quatro maiores streamings no mercado, junto com Netflix, Disney+ e Globoplay. Ou seja, a empresa deseja superar a HBO Max, da WarnerMedia, e chegar perto da líder nos próximos quatro anos. O futebol será usado, assim como a HBO Max faz, como uma vitrine para produções originais, como séries e filmes inéditos. 

A entrada no mercado brasileiro é só mais um passo da Paramount no futebol. No México, a empresa já havia comprado os direitos da Premier League com exclusividade. A antiga Viacom também adquiriu jogos do Campeonato Brasileiro para transmissão nos Estados Unidos. 

O Notícias da TV entrou em contato com Juan Acosta na última sexta para que ele se pronunciasse sobre os planos da empresa. Ele visualizou as mensagens, mas não respondeu os contatos. O espaço está aberto. 


Leia também

Enquete

Qual o personagem mais chato de Pantanal?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.