Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

MARIANO BONI

Globo lixo? Diretor defende liderança da emissora: 'Povo não é bobo'

DIVULGAÇÃO/TV GLOBO

Imagem de Mariano Boni, diretor de Variedades da Globo, e Ana Maria Braga

Mariano Boni, diretor de Variedades da Globo, e Ana Maria Braga; executivo defendeu emissora

ERICK MATHEUS NERY

erick@noticiasdatv.com

Publicado em 28/6/2022 - 6h25

Mesmo com as críticas do presidente Jair Bolsonaro (PL) e de uma parcela do público, a Globo segue sendo a principal emissora do país, em audiência e relevância. Mariano Boni, diretor de Variedades da emissora, defende que uma das principais respostas para este êxito da empresa é que ela apresenta a verdade em seus conteúdos. "O povo não é bobo", afirma.

"Para que essa mágica de informar e entreter continue a acontecer, a gente tem que fazer jus a merecer essa concessão pública, que é prestando serviço, oferecendo verdade e dando a mesma certeza que as pessoas têm ao assistir ao Jornal Nacional. Se está no JN, é verdade. Então, se a Ana Maria Braga disser, é verdade. Isso é um diferencial de mercado único, falando como negócio", define Boni.

Durante a apresentação à imprensa da nova faixa matinal da Globo, em que o Notícias da TV esteve presente, o executivo reforçou que Encontro, Mais Você e É de Casa ocupam, ao vivo, cerca de vinte horas semanais da grade da emissora. "Não é pouca coisa, é uma faixa de programação inteira", reforça.

"No ponto atual em que a sociedade está, a gente acredita com muita verdade na importância e na relevância que a gente faz no povo brasileiro, que tem acesso a diversas plataformas. Antes era rádio, TV e TV a cabo. [Agora tem] Sites, internet, aplicativos, streaming. É tanta informação circulando ao mesmo tempo, verdadeira ou não, que a gente acredita que tem que oferecer na TV aberta, de graça e ao vivo, um conteúdo que contém 100% de verdade", discursa.

Ao longo do raciocínio, Boni exemplificou a análise com as pautas abordadas nos programas matinais, como o debate feito no Encontro de segunda (26) sobre o caso da atriz Klara Castanho, que foi estuprada, engravidou e entregou o bebê à adoção.

"As coisas que fazem as pessoas conversarem, que é a vida delas, a gente tem que oferecer. Isso é uma marca de todos os programas. E cada talento vai colocar a sua inteligência e o carisma a serviço disso. O nosso papel para que a TV Globo continue sendo a mais vista é um acordo diário que temos com o povo brasileiro. Vale para o jornalismo, para a dramaturgia, mas vale muito para essas vinte horas ao vivo que fazemos por semana", completa.

Motivo da liderança

Na visão de Boni, a revolução digital vivenciada nos últimos anos fez com que a oferta de conteúdo aumentasse, e o público precisa saber qual fonte de informação é segura. "Mas como a pessoa vai saber se o vídeo de um carro pegando fogo na Avenida Paulista é de hoje cedo ou de dois anos atrás? Ela vai saber [na Globo], ela precisa acreditar neles [apresentadores], que vão dizer: 'Estou te mostrando isso, é importante'", exemplifica.

As pessoas acreditam nesses comunicadores porque elas sabem, têm experiência, o povo brasileiro não é bobo. Sabem que já viram no WhatsApp, redes sociais ou em outras emissoras de televisão e de rádio notícias que não eram verdadeiras tratadas como se assim fossem.

"Tem vários âmbitos para a gente conversar sobre TV e TV aberta, mas acredito que a TV aberta continuará sendo fundamental para o povo brasileiro porque todo dia essa turma aqui, que está na frente das câmeras, apoiada por uma parte da turma que não aparece, trabalha com talento e garra para fazer um trabalho honesto e direito! Isso é uma prestação de serviço" complementa.

O responsável pelos programas de variedades da emissora também afirmou que o "selo de confiança" da Globo é algo que os concorrentes tentam oferecer, mas não conseguem: "Por quê? Uma corrida desesperada ou por audiência, faturamento, cliques no Instagram, Facebook, sei lá onde, eles apelam. Aqui, esse time, eu garanto, nunca apelou e nunca vai apelar".

Novas manhãs da Globo

As mudanças nas manhãs da Globo começam na próxima segunda (4). Com a saída de Fátima Bernardes do Encontro, o matinal será comandado por Patrícia Poeta e Manoel Soares e irá ao ar logo após o Bom Dia Brasil. Em seguida, Ana Maria Braga segue no comando do Mais Você.

Aos sábados, o É de Casa passa a ser comandado por Maria Beltrão, Thiago Oliveira e Rita Batista. Talitha Morete permanece na atração.


Leia também

Enquete

Qual o personagem mais chato de Pantanal?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.