Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

DUROU POUCO

CNN fecha plataforma de streaming apenas um mês após lançamento

Reprodução/YouTube

Logo da CNN+ nos Estados Unidos

Logo da CNN+ nos Estados Unidos; plataforma foi fechada um mês após o lançamento oficial

ANDRÉ ZULIANI

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 21/4/2022 - 15h45

A CNN anunciou nesta quinta-feira (21) o encerramento do CNN+, serviço de streaming próprio da emissora nos Estados Unidos. A decisão vem menos de um mês após o lançamento da plataforma, em 29 de março. O desligamento oficial está marcado para o próximo dia 30.

Em comunicado oficial, Chris Licht, novo CEO da CNN, informou aos funcionários da companhia que a decisão foi tomada pela nova cúpula de executivos da Warner Bros. Discovery, que vai revisar a estratégia de streaming da emissora.

"À medida que nós nos tornamos a Warner Bros. Discovery, a CNN será mais forte como parte da estratégia de streaming da companhia, que vê as notícias como uma parte importante de uma oferta mais ampla e atraente, juntamente com conteúdo de esportes, entretenimento e produções de não ficção", disse Licht no comunicado.

"Tomamos a decisão de encerrar as operações da CNN+ e focar nosso investimento nas principais operações de coleta de notícias da CNN e na construção da CNN Digital. Esta não é uma decisão sobre qualidade; agradecemos todo o trabalho, ambição e criatividade investidos na construção da CNN+, uma organização com talento incrível e programação atraente. Agora, nossos clientes e a CNN serão mais bem atendidos com uma escolha de streaming mais simples", encerrou o executivo.

Com a decisão, a CNN vai reorganizar as funções dentro da empresa. Andrew Morse, executivo de mídia que supervisionou a criação e lançamento da plataforma, vai deixar a companhia. Alex MacCallum, ex-diretor de programação, assume o comando da renomeada CNN Digital.

Os funcionários do streaming foram informados da decisão nesta quinta, antes do anúncio oficial. De acordo com a CNN, todos serão afastados, mas receberão salários e benefícios pelos próximos 90 dias. Alguns serão remanejados dentro da própria emissora, enquanto os outros serão demitidos com o mínimo de seis meses do valor da rescisão.

A WarnerMedia gastou cerca de US$ 300 milhões (R$ 1,3 bilhão) no lançamento do CNN+ e planejava gastar outras centenas de milhões a mais nos próximos anos. Os usuários que assinaram a plataforma neste breve período receberão reembolsos proporcionais por suas taxas.

JB Perrette, chefe de streaming da Warner Bros. Discovery, detalhou o objetivo da empresa com o encerramento da plataforma e afirmou que a CNN ainda terá papel essencial na produção e desenvolvimento de novos produtos para os streamings da companhia.

"Os consumidores são o centro de nossa estratégia. Em um mercado de streaming complexo, eles querem simplicidade e um serviço completo que proporcione uma experiência melhor e mais valor do que ofertas independentes e, para a empresa, um modelo de negócios mais sustentável para impulsionar nossos investimentos futuros em jornalismo de qualidade e narrativa. Temos oportunidades muito interessantes pela frente no espaço de streaming, e a CNN desempenhará um papel importante lá", completou.

TUDO SOBRE

CNN

WarnerMedia


Leia também

Enquete

Qual a melhor novela no ar atualmente?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.