Novo galã

Ídolo da Netflix, Noah Centineo confessa: 'Tenho de me esforçar pra me manter são'

Reprodução/Netflix

O ator Noah Centineo em cena de Para Todos os Garotos que Já Amei

O ator Noah Centineo em cena de Para Todos os Garotos que Já Amei; ele virou celebridade após o filme

FERNANDA LOPES - Publicado em 07/02/2020, às 04h51

Desde que o primeiro filme da franquia Para Todos os Garotos que Amei estreou, em 2018, Noah Centineo se tornou a nova sensação teen mundial. O ator de 23 anos interpreta Peter Kavinsky, protagonista que promete derreter ainda mais corações na sequência que estreia no próximo dia 12, Para Todos Os Garotos: P.S. Ainda Amo Você. Centineo conta, no entanto, que ficar sob os holofotes nem sempre é confortável para ele.

"[Esse papel] Mudou minha vida pessoal no sentido de que eu tenho de me esforçar muito pra me manter são. Pra não ouvir opiniões, me proteger, manter meus limites. Isso me fez muito mais responsável. Às vezes me sinto completamente sufocado e às vezes me sinto como Gandhi (risos). Mas eu nunca sou Gandhi, isso é fato", comenta o ator em entrevista ao Notícias da TV.

Para amenizar a tensão e as cobranças em relação à vida de celebridade, Centineo pratica meditação e confia em amigos e familiares. "[A chave é] Manter família e amigos por perto e cuidar de si mesmo, mentalmente e emocionalmente", explica.

O ator começou a gravar a franquia Para Todos os Garotos há dois anos e acredita que tanto ele quanto seu personagem evoluíram em suas vidas. No novo filme, Peter continua namorando a protagonista Lara Jean (Lana Condor), mas agora ele tem concorrência: um crush do passado retorna à convivência dela e ameaça o casal mais querido pelas adolescentes.

Na ficção, Peter é um garoto gentil, extrovertido, gente boa, o par ideal para 10 entre 10 meninas. Na vida real, Centineo também é educado e carismático, mas mais "filosófico", como ele mesmo diz. O ator vem sendo considerado o novo Zac Efron, em referência ao sucesso que seu "antecessor" fez como galã teen da franquia High School Musical nos anos 2000. 

Centineo não recusa o estereótipo, mas acha que é mais do que isso. "Eu não me vejo nesse sentido de galã. Aceito que eu seja visto assim, mas não me vejo assim. Levou um tempo para Zac Efron sair dessa caixa. Eu não poderia ser mais grato à posição que me foi dada, mas não acho que essa é a única coisa em que eu vou ser estereotipado ao longo da vida. Acho que há outras categorias [de atuação] em que eu vou ser capaz de me encaixar", diz.

Mas, enquanto estrela comédias românticas para público jovem, Centineo acredita que consegue fazer outro papel: o de levar felicidade aos telespectadores da Netflix.

"Peter mudou o jeito com que sou capaz de impactar a vida das pessoas, ajudá-las. É isso que eu quero, fazer filmes e usar essa plataforma para talvez dar ao público uma perspectiva diferente, e com sorte inspirá-lo ou motivá-lo a tomar o controle de suas vidas", afirma ele.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Na casa de que famoso você passaria a quarentena?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook