JOANNA DE ÂNGELIS

Fabiana às avessas: Regiane Alves estreia como freira do bem em filme sobre médium

DIVULGAÇÃO/FOX FILM DO BRASIL

Regiane Alves como a entidade Joanna de Ângelis no filme Divaldo - O Mensageiro da Paz

Regiane Alves como a entidade Joanna de Ângelis, uma freira do bem, em Divaldo - O Mensageiro da Paz

VINÍCIUS ANDRADE - Publicado em 10/09/2019, às 05h01

Uma das principais vilãs de A Dona do Pedaço, Fabiana (Nathalia Dill) sempre usa a mesma frase na tentativa de amenizar suas maldades: "Eu cresci num convento". A ex-freira está no grupo de religiosas cruéis das novelas, filmes e séries. A ruindade, no entanto, não faz parte da personagem de Regiane Alves em Divaldo - O Mensageiro da Paz, longa que entra em cartaz nos cinemas nesta quinta-feira (12).

A atriz interpreta Joanna de Ângelis, entidade espiritual apontada como guia do médium brasileiro Divaldo Franco. Em cena, a personagem aparece vestida em um hábito religioso azul e branco. Acredita-se que esse espírito teve quatro encarnações, inclusive a de Santa Clara de Assis (1194-1253).

"A Joanna é a grande mentora do Divaldo, que aparece pra ele desde criança. Ele a chamava como espírito amigo, espírito de luz no início. É uma mentora dele, que fala com ele até hoje e que psicografa todos os seus livros", explica Regiane Alves ao Notícias da TV.

Essa é a primeira vez que a atriz interpreta uma freira na carreira. Ela foi escolhida para o papel pelo próprio médium, que está com 92 anos. "O Clóvis Mello [diretor e roteirista do filme] levou cinco fotos de atrizes para o Divaldo e ele falou: 'É ela quem tem que fazer', apontado para mim."

Não foi fácil interpretar a religiosa. "Tem essa expectativa de ela ser uma santa. Se fosse na Igreja Católica, ela seria Nossa Senhora de Aparecida. Aí você usa o hábito religioso, eu não tinha maquiagem, não aparecia o meu corpo. Não tinha ali um figurino que me ajudasse na cena. Tinha também o desafio da força da palavra", relata.

"Fiz um trabalho de fono bem específico porque a Joanna tem essa imagem doce, mas ela é super precisa no que fala. Quando tem que ser brava, ela é. Quando tem que ser mais doce, ela é. Então foi bem difícil, quase desconfortável aquele personagem. Mas, depois de pronto, vi que não tinha nem atriz nada. Era uma missão estar fazendo o filme. É muito bonita a mensagem", diz Regiane.

Divaldo - O Mensageiro da Paz

O longa retrata a história do médium Divaldo Franco. Começa na década de 1920, na cidade de Feira de Santana, na Bahia. Ainda criança, Divaldo descobre que consegue ver e conversar com espíritos e, por isso, passa a sofrer com a rejeição dos colegas de escola, da igreja e da própria família.

Já adolescente, se muda para Salvador para aprender a lidar com seu dom. Aos poucos vai se adaptando até descobrir sua vocação filantrópica. A partir daí sua vida dá uma guinada, marcada pela inauguração da Mansão do Caminho, obra social que presta serviços voltados à saúde e à educação de milhares de pessoas, há 67 anos, na capital baiana.

Além de Regiane Alves, o elenco conta com Bruno Garcia, que interpreta Divaldo em sua fase mais madura --João Bravo (Bom Sucesso), criança, e Ghilherme Lobo (Sete Vidas), entre a adolescência e a vida adulta, também dão vida ao líder espírita.

Também participam do filme Marcos Veras, Laila Garin, Ana Cecília Costa, Caco Monteiro, Bruno Suzano, Osvaldo Mil e Álamo Facó.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Você gostou de Órfãos da Terra?

Últimas notícias

Notícias da TV
Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook