IMBRÓGLIO JUDICIAL

Briga de Taylor Swift com empresários vira problemão para a Netflix; entenda

Divulgação

A cantora Taylor Swift em foto de divulgação de seu trabalho mais recente, o álbum Lover

A cantora Taylor Swift em foto de divulgação de seu trabalho mais recente, o álbum Lover

REDAÇÃO - Publicado em 15/11/2019, às 14h11

A cantora Taylor Swift revelou que um documentário que a Netflix estava preparando sobre sua carreira pode não ser lançado por causa da briga judicial que ela trava com os empresários Scooter Braun e Scott Borcheta. Todo o material gravado pode ser jogado no lixo caso os três não entrem em um acordo. Ela alega que está sendo chantageada pelos rivais.

"Essa não era a maneira que eu tinha planejado de contar isso para vocês, mas a Netflix fez um documentário sobre a minha vida nos últimos anos. Mas Scott e Scooter não liberaram o uso de minhas músicas antigas or gravações de shows para esse projeto", escreveu ela em um desabafo no Twitter e no Instagram, no qual também revelou que foi proibida de tocar suas primeiras canções na TV.

Em junho deste ano, Taylor escreveu uma carta aberta aos dois empresários e afirmou que estava enojada com a atitude de Braun, que comprou a gravadora Big Machine Records --com isso, o catálogo da empresa, que inclui os seis primeiros álbuns da cantora, passou para as mãos de Scooter, que é acusado de fazer bullying com a dona do hit Shake It Off. Segundo Taylor, ele teria se recusado a vender os direitos autorais da canção para ela.

Para evitar que Braun e Borchetta lucrem com suas apresentações, a cantora americana decidiu regravar todos os seus álbuns, algo que ela poderá fazer apenas em novembro do ano que vem, de acordo com seu contrato. Os empresários, acusa ela, estariam a chantageando para que ela não fizesse isso. 

"Scott Borchetta disse à minha equipe que eles vão permitir que eu use minhas músicas apenas se eu fizer o seguinte: se eu não gravar novas versões das minhas canções no ano que vem (algo para o qual eu tenho permissão legal e estou ansiosa para fazer) e se eu parar de falar dele e de Scooter Braun", continuou a cantora em sua postagem nas redes sociais na noite de quinta-feira (14).

Uma apresentação no AMA (American Music Awards), prevista para o dia 24, também está ameaçada. Na premiação musical, Taylor Swift receberia o prêmio de Artista da Década e pretendia fazer um medley de seus grandes sucessos --algo que os empresários não permitem, segundo sua acusação.

"No momento, a performance no AMA, o documentário da Netflix e qualquer outro projeto gravado que eu tinha planejado até novembro do ano que vem viraram uma grande interrogação", encerra a cantora.

Taylor Swift tem dois shows marcados em São Paulo, nos dias 18 e 19 de julho, como parte da turnê mundial de Lover, único álbum de sua carreira sobre o qual ela detém os direitos autorais. Confira o clipe de You Need to Calm Down, que conta com participações de astros da Netflix, como o quinteto de Queer Eye e a atriz Laverne Cox, de Orange Is the New Black:

Tudo sobre

Netflix

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

O que falta para Amor de Mãe conquistar mais audiência?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook