10 SEGUNDOS

Record provoca Globo após mudança em comerciais: 'Que inovação é essa?'

Reprodução/TV Globo

William Bonner no Jornal Nacional: telejornal agora aceita comerciais de 15 segundos em seus breaks - Reprodução/TV Globo

William Bonner no Jornal Nacional: telejornal agora aceita comerciais de 15 segundos em seus breaks

DANIEL CASTRO - Publicado em 15/05/2019, às 05h44

A notícia de que a Globo finalmente passou a aceitar comerciais de 10 e 15 segundos de duração reacendeu as trocas de farpas entre os executivos da emissora e os da Record, sua principal concorrente. Walter Zagari, vice-presidente Comercial da rede de Edir Macedo, não se conforma que a Globo tenha anunciado a novidade como uma inovação. "A Record faz isso há dez anos. Que inovação é essa?", provoca o executivo.

Desde segunda-feira (13), a Globo aceita inserções comerciais de 10 e 15 segundos em sua programação, em todas as 122 emissoras. Antes, só rodava filmes de 30 segundos ou mais. Formatos com 10 ou 15 segundos eram considerados especiais, exclusivos dos patrocinadores de grandes pacotes, como os do futebol.

Record, SBT e emissoras do mundo todo já flexibilizaram suas políticas de comercialização de formatos há mais de dez anos. "A Record já trabalha com anúncios de 5 segundos", informa Zagari. "Se tiver agência que fizer comercial de 1 segundo, eu ponho no ar", desafia.

Provocações à parte, no mercado a flexibilização tardia da Globo com seus formatos comerciais está sendo vista como reflexo de queda nas receitas com publicidade, cada vez mais pulverizada. No ano passado, a Globo teve um prejuízo operacional de R$ 530 milhões. Ou seja, o que ela gastou foi maior do que o que arrecadou com seu principal produto: os intervalos comerciais.

RECORD INFLACIONA VALOR E ESPN DESISTE DO PAN

Após algumas rodadas de negociações com a Record, a ESPN desistiu de transmitir os Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru, entre julho e agosto. O canal esportivo do grupo Disney não concordou com os valores pedidos, acima de R$ 10 milhões pelo repasse dos direitos. 

A Record priorizava o acordo para não ter prejuízo com o Pan. O pacote comercial da cobertura está encalhado no mercado publicitário, mesmo com a promessa da emissora de dar descontos para as empresas que fecharem contrato. A Record será a única TV aberta no Pan, enquanto o SporTV será o único esportivo da TV paga. 

GLOBO E PALMEIRAS TÊM ENCONTRO FRUSTRADO

Um atraso no vôo que levou parte da comitiva da Globo para assistir ao sorteio das oitavas de final da Libertadores, realizado na última segunda (13), no Paraguai, impediu uma reunião previamente marcada entre a emissora e o Palmeiras, com quem negocia os direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro. 

Fernando Manuel Pinto, diretor de Gestão do Futebol do Esporte Grupo Globo, e Maurício Galiotte, presidente do Palmeiras, se encontraram e conversaram durante 15 minutos na sede da Conmebol, mas o papo foi rápido. Os executivos combinaram de marcar uma nova reunião ainda nesta semana. 

O Palmeiras é o único clube que não tem qualquer contrato com a Globo. O clube segue firme nos seus conceitos: quer um número mínimo de partidas na TV aberta, porcentagem entre 15% e 16% de todo o valor arrecadado com pay-per-view e um contrato mais curto com a emissora, válido até 2021.

(Com GABRIEL VAQUER)

Daniel Castro
DANIEL CASTRO transformou a coluna de Televisão da Folha de S.Paulo na mais relevante do país durante sua passagem pelo jornal, entre 1991 e 2009. Trabalhou no Notícias Populares (1995-96) e R7 (2009-13). E-mail: dcastro@noticiasdatv.com

Leia também

Carregando… Carregando...