Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

ESTREIA EM MARÇO

CNN Brasil adota conselho editorial para blindar noticiário de acionistas

Reprodução/CNN

A jornalista Shasta Darlington durante transmissão da CNN diretamente do Rio de Janeiro

A jornalista Shasta Darlington, da CNN americana; ela integrará o conselho editorial da CNN Brasil

DANIEL CASTRO

dcastro@noticiasdatv.com

Publicado em 29/1/2020 - 5h45

A CNN Brasil constituiu um conselho editorial composto por sete jornalistas, entre eles a norte-americana Shasta Darlington, ex-correspondente da CNN Internacional no Rio de Janeiro. O conselho terá a missão de blindar o novo canal de notícias de interferências do principal acionista da empresa que o controla, a Novus. A CNN Brasil será lançada oficialmente em 9 de março, em evento no Ibirapuera, em São Paulo.

O conselho será presidido por Douglas Tavolaro, CEO (o equivalente a presidente) da CNN Brasil, e pelos principais executivos da área editorial do canal: Leandro Cipoloni (vice-presidente de Jornalismo), Américo Martins (vice de Conteúdo) e Virgilio Abranches (vice de Programação e Multiplataforma). Duas das oito vagas serão ocupadas pelos cinco diretores de Jornalismo do canal, em rodízio. O diretor Jurídico, Marco Aurélio Cordeiro, completa o grupo. Advogado especializado em comunicações, Cordeiro é o único não-jornalista.

A principal missão do conselho será preservar a "a irrestrita independência editorial" do canal, uma exigência da CNN Internacional para licenciar a marca. A CNN Brasil não pertence aos mesmos donos da CNN americana, a WarnerMedia/AT&T. O canal é um investimento do empresário Rubens Menin, dono da construtora MRV, uma das maiores do país, e de Douglas Tavolaro. Menin tem 64% das cotas da Novus, e Tavolaro, 35% --o diretor financeiro da MRV ficou com 1% do capital.

Aprovado em assembleia de acionistas, o conselho dá a Tavolaro o controle de todo o conteúdo da CNN brasileira. Assim, em tese o canal terá independência para veicular eventuais notícias contrárias aos interesses da MRV, alvo de denúncias da Record em setembro passado. Também em tese, o dono da construtora, Rubens Menin, não poderá usar a CNN Brasil para defender interesses do governo federal, com quem tem negócios --a MRV é a maior empreiteira do programa Minha Casa Minha Vida.

Consultora-executiva da CNN Internacional, Shasta Darlington será o "olho" da matriz americana na franquia brasileira. A criação do conselho editorial segue diretrizes do grupo norte-americano. Em 2016, quando anunciou a compra da então Time Warner, controladora da CNN, a gigante das telecomunicações AT&T tornou pública uma declaração de independência editorial da rede de notícias.

Estreia em março

Anunciada em janeiro do ano passado, a CNN Brasil deveria entrar no ar no último trimestre de 2019, mas o atraso na importação de equipamentos adiou a estreia para março.

O canal já está em operação em um prédio na avenida Paulista, em São Paulo, e deverá empregar um total de 400 jornalistas. Será distribuído pelas principais operadoras de TV paga e em plataformas online.

Entre as principais contratações do canal, estão Monalisa Perrone, Reinaldo Gottino, Evaristo Costa, William Waack e Cris Dias.


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?