Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

VALENTINA BULC

Vegetariana, atriz usa influência para disseminar a causa: 'É urgente'

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Valentina Bulc ajoelhada no chão, sorrindo enquanto abraça um cachorro com a pelagem preta e branca

A atriz Valentina Bulc compartilha o seu amor pelos animais e a importância do vegetarianismo

ISABEL MELLO

isabel@noticiasdatv.com

Publicado em 1/10/2021 - 6h25

Nesta sexta-feira (1º), é comemorado o Dia Mundial do Vegetarianismo. Mas a atriz Valentina Bulc, de Salve-se Quem Puder (2020), pertence aos 14% de brasileiros que se consideram vegetarianos e faz questão de apoiar a causa todos os dias do ano. Em seu Instagram, ela se autodenomina "atriz, vegetariana e prolixa". A brasiliense mostra aos seus seguidores como a alimentação à base de proteínas vegetais é um caminho possível, saudável e necessário. Segundo ela, "parar de comer carne é urgente".

Valentina se tornou vegetariana em janeiro de 2020. O convívio com algumas amigas adeptas do movimento fez com que ela compreendesse esse estilo de vida e repensasse os seus hábitos.

"Teve um momento que eu comecei a querer entender de verdade o que minhas amigas me falaram, e acho que quando você abre a caixa da Pandora com os olhos e ouvidos verdadeiramente abertos, é um caminho sem volta", conta ela ao Notícias da TV.

Mas por quê?

Os motivos para tirar esses alimentos do prato são diversos. No caso de Valentina, tanto a destruição ambiental causada pela agropecuária quanto o respeito à vida dos animais influenciaram em sua decisão. "Eu não me acho no direito de tirar a vida de um ser vivo só porque eu acho gostoso", declara.

Conforme dados divulgados pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura, a agropecuária é a atividade que mais gasta água no planeta. No ano de 2017, 97,4% do consumo de água no Brasil ocorreu em atividades relacionadas à agropecuária, segundo pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Já as informações do Map Biomas revelam que, entre os anos de 1985 e 2019, a agropecuária foi responsável por 90% do desmatamento da vegetação natural do país.

Além disso, o respeito à vida e à dignidade do animal e o questionamento do especismo, relacionado à crença da superioridade dos seres humanos, vêm sendo discutidos com mais ênfase nos últimos tempos. "Animais são sencientes, ou seja, eles sentem como nós, e deveriam ter o mesmo direito à vida", afirma a atriz.

Corpo e mente

No começo da transição para o vegetarianismo, existe um receio de não se adaptar ou de não saber como montar uma dieta equilibrada sem a proteína animal. Valentina sentiu algumas dificuldades para introduzir novos alimentos, mas logo se encontrou: "Eu me alimentava muito mal antes de virar vegetariana. Foi mais fácil do que imaginei. Acho que, como eu tinha uma motivação muito forte, me mantive no que acreditava". 

O acompanhamento com uma nutricionista é parte importante do processo. Além da descoberta de novos sabores, existe a necessidade de entender como montar refeições adequadas e nutritivas. "Eu fiz toda uma reeducação alimentar, minha saúde melhorou bastante, e agora sou muito mais feliz", diz a artista.

Sobre os comentários inconvenientes e as críticas --quase inevitáveis--, a brasiliense opta pela racionalidade. "Quando alguém questiona minha escolha, eu divido com a pessoa os meus motivos e espero que ela me respeite e me escute. Ela pode até não concordar comigo, mas talvez o que eu falei reverbere dentro dela, e isso pode fazê-la pensar sobre", explica.

Pequenos passos

Dificilmente alguém se torna vegetariano do dia para a noite. O consumo de carne faz parte da cultura da maioria das pessoas. Algumas décadas atrás, alguém que contestasse a ingestão de um alimento tão comum não seria ouvido. Mas as novas gerações, movidas por outros valores e preocupações, mostram disposição para desconstruir crenças enraizadas.

A atriz de 21 anos faz o seu papel transformador por meio das redes sociais. Com mais de 1 milhão de seguidores, ela consegue atingir diversas pessoas e conscientizá-las sobre a importância do movimento. "Já recebi muitos relatos de seguidores que, ao entender os meus motivos para virar vegetariana, começaram a repensar seus hábitos e escolhas. Vários me falam que deixaram de comer carne por influência minha, e eu acho isso incrível."

Um projeto com grande força na internet e apoiado pela artista é a Segunda sem Carne. A campanha surgiu nos Estados Unidos em 2003 a fim de prevenir doenças causadas pelo consumo excessivo de carne. Aqui no Brasil, a ideia foi lançada em outubro de 2009. 

Ela explora justamente a ideia de adotar uma pequena mudança de hábito em nome de uma melhora individual e coletiva, por meio da substituição de uma proteína animal por uma vegetal durante um dia da semana.

Sou a favor de pequenos passos até conquistarmos algo grande. Se você só conseguir fazer um dia da semana sem carne, já é incrível. E, particularmente para mim, estudar foi muito importante para me manter no vegetarianismo. Quanto mais você for atrás de informação, do que acontece, de documentários e livros, mais você vai perceber que parar de comer carne é urgente.

Prêmio NTV Melhores do ano


Leia também

Enquete

Qual foi o melhor telejornal ou programa jornalístico do ano?

Web Stories

+
Juan Paiva rouba a cena em Um Lugar ao Sol; conheça a história do atorGui Araujo deixa A Fazenda 13 após expor lado prepotente e preconceituoso; relembreDe série na Netflix a aposentadoria: Por onde anda o elenco de O Cravo e a Rosa?Vladimir Brichta contracena com a filha em Quanto Mais Vida, Melhor; veja outros casosConfinado em A Fazenda 13, Dynho não sabe que Mirella pediu divórcio; como fica o caso?

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas