'PILANTRAS'

Val Marchiori tem telefone clonado e mãe quase entrega R$ 5.900 a bandido

THIAGO DURAN/AGNEWS

Val Marchiori durante evento natalino do promoter Helinho Calfat, em São Paulo, em 10 de dezembro de 2019

Val Marchiori durante evento natalino do promoter Helinho Calfat, em São Paulo; socialite teve celular clonado

ELBA KRISS - Publicado em 25/03/2020, às 17h12

Val Marchiori levou um susto nesta quarta-feira (25) ao constatar que seu telefone havia sido clonado por golpistas que estavam pedindo dinheiro em seu nome. A socialite foi avisada por sua avó, Maria das Dores, e sua mãe, Vera Lúcia. "Minha mãe estava falando com uma pessoa pensando que fosse eu. Inclusive, ela estava indo para o banco depositar", conta ao Notícias da TV. Os bandidos exigiram R$ 5.900.

"Minha mãe mora com a minha avó. Então, o neto da minha avó que falou: 'Vó, cuidado que isso é golpe. Esse não é o número da Val'. Aí, ela me ligou. Mas estava quase indo ao banco fazer o depósito acreditando nesses golpistas", diz, indignada.

Na mensagem, os meliantes iniciam uma conversa com Vera e logo pedem o dinheiro: "Estou indo fazer uma gravação agora e estou precisando realizar uma transferência para um fornecedor. Mas não estou conseguindo fazer pelo aplicativo. Tenho que ir ao banco, mas no momento estou sem tempo. Consegue fazer para mim? Amanhã eu transfiro para sua conta. O valor é de R$ 5.900".

Assustada ao saber da ação dos golpistas, Val tratou de avisar a seus seguidores no Instagram: "Gente, é golpe. Olha a mensagem que esses pilantras estão enviando em meu nome", alertou. Aos seus contatos mais próximos, a empresária mandou uma mensagem de texto informando o crime. "Prezados amigos, cuidado. Clonaram meu telefone e estão pedindo dinheiro usando meu nome. É um golpe. Desconsidere".

Val divulga conversa dos bandidos com sua mãe, Vera

"Os meus cuidados foram esses: publicar no Instagram para que as pessoas que eu conheço não caiam nesse golpe e fiz uma lista para todos meus contatos avisando que meu telefone havia sido clonado", explica.

Val decidiu não abrir um boletim de ocorrência para não quebrar a quarentena e não se expor ao vírus da Covid-19. "Não fiz devido ao coronavírus. Estamos todos em casa e também por ser um crime digital, que é mais difícil de ser punido", lamenta.

Até o momento, Val não soube de mais nenhuma pessoa próxima que tenha sido abordada pelos criminosos. "Que eu saiba, até agora foi só a minha mãe [que quase foi enganada], que estava indo ao banco depositar o dinheiro. Meus amigos já estão avisados", conta.

Os bandidos também não procuraram a empresária. "Nenhum golpista entrou em contato comigo. Até porque eu ia dar um 'hello' para ele, que ele ia ver", se diverte.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Qual reprise da Globo você mais quer ver?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook