Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
X
Instagram
Youtube
TikTok

BRIGA NA WEB

José de Abreu debocha de processo de Murilo Rosa: 'Justiça vai julgar meu hálito'

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

José de Abreu sorri discretamente e olha para o lado em foto publicada no Instagram

José de Abreu em foto publicada no Instagram; veterano zombou de ameaça de Murilo Rosa

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 5/6/2024 - 7h11

José de Abreu zombou da ameaça de processo feita por Murilo Rosa após a troca de farpas entre eles nas redes sociais. O veterano afirmou que também pode entrar na Justiça por ter tido prejuízos morais e materiais após a live do ator com Maria Zilda Bethlem em 2020.

O artista se pronunciou no X (antigo Twitter) na madrugada desta quarta (5). "Murilo me processando traz Maria Zilda para o processo. As fotos estão na rede, ele quem postou. A Justiça brasileira vai dedicar seu tempo a julgar meu hálito. Interessante. Meu dentista vai ficar mais famoso", debochou.

"Obviamente cabe processo por dano. A live dos dois me causou prejuízos morais e materiais. Não quis processar na época por saber que ela andava dura. Murilo 'murilando' vai ferrar a Zilda. Vida que segue", completou.

Rosa prometeu entrar na Justiça depois que o veterano publicou uma foto dele com o pai, Odair Rosa, que morreu em setembro de 2023, e com o filho menor de idade.

"Isso é extremamente baixo e teve a clara intenção de me ofender, de me atacar usando minha família, os meus maiores afetos. Mas não revidarei. Para isso existe Justiça cível e criminal. O desrespeito com meu filho e com a minha dor da perda do meu pai é inaceitável. A sua resposta virá dos órgãos competentes em todas as esferas", afirmou o apresentador do reality show A Ponte, da Max.

Abreu usou a imagem para provocar o brasiliense após a derrota do Vasco na partida contra o Flamengo pelo Campeonato Brasileiro. Ele apagou a imagem após receber uma enxurrada de críticas.

O veterano também fez referências ao processo em postagens no Instagram. "Vitrine de garrafas artísticas no restaurante Victor Montes na Plaza Nueva, Casco Viejo, Bilbao, Vasco (epa! Estão ameaçando me processar por zoar os 6 a 1!), então, Basco", escreveu na legenda de um registro feiro durante viagem à Espanha.

Ele ainda compartilhou a foto de uma embalagem de bala. "Pronto, já estou com o hálito maneiro. Mas o caráter de umas e outros não se resolve tão facilmente. O pior fedor é o da alma", disparou.

Entenda a briga

A discussão começou quando Abreu rebateu a acusação de Maria Zilda de que ele teria mau hálito. A fala da atriz viralizou em 2020, quando ela fez uma live com Murilo Rosa e relembrou o par romântico que formou com o veterano em Bebê a Bordo (1989).

Após quatro anos, o artista de 78 anos se rebelou e chamou a colega de "amarga". Ele ainda afirmou que ela teria traído Roberto Talma (1949-2015) com ele.

Quanto a Murilo Rosa, o veterano foi econômico nas palavras. "É um outro merda que, se fosse digno, teria me defendido. Não é à toa que existe na Globo o verbo 'Murilar', ou seja, agir como Murilo Rosa. E dele mais não falo, não merece", desabafou ele.

Ao ver seu nome envolvido na treta, o ator revelou ter tido um "acerto de contas" com Abreu nos bastidores da minissérie A Casa das Sete Mulheres (2003), na qual contracenaram.

Sem citar nomes, o intérprete de Afonso Corte Real usou a minissérie sobre a Revolução Farroupilha (1835-1845) para classificar José de Abreu como um homem de "áurea negativa" e de "olhar invejoso". A discussão teria acontecido após o veterano chegar atrasado e o acusar de "roubar cenas".

Na sequência, ele quis dar um contexto para o tal verbo "murilar", citado por José de Abreu. "Estávamos focados em fazer o nosso melhor, em ir além, em ajudar, contribuir e superar… Jayme Monjardim criou um termo carinhoso e até hoje me pergunta 'onde eu estou murilando',", narrou o ator.

Na madrugada de sexta (31), José de Abreu disse ter recebido uma ligação de Murilo Rosa após criticá-lo nas redes sociais. O veterano afirmou que só atendeu ao telefone porque nem sabia quem era, mas desligou assim que o colega se identificou. "Mandei à m*rda", escreveu.

Em seguida, Abreu deu a sua versão sobre o verbo "murilar": "É sacanear o colega, entrar na frente do câmera, ser oficial subalterno e cavalgar na frente dos generais, não morrer apesar de levar 200 tiros [o diretor mandou um dublê matá-lo a facadas], pedir para a autora de A Casa das Sete Mulheres fazê-lo voltar como fantasma. Essas coisas de ator que não sabe o seu tamanho".

Depois, o veterano ainda disse que iria colocar um ponto-final na discussão. "Gente, na boa, Maria Zilda e Murilo Rosa são duas faces da mesma moeda. Atores medíocres, seres humanos de nível baixíssimo. Ninguém os suporta. E chega disso", postou ele.


Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.