Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

CRÍTICA POLÍTICA

Homenageada na CCXP, Laerte Coutinho detona Bolsonaro: 'Um horror, pesadelo'

REPRODUÇÃO/YOUTUBE

A cartunista Laerte Coutinho sorri, de cabelo preso, vestido estampado e colar e brincos vermelhos, em vídeo para o YouTube

Laerte Coutinho sorri em vídeo para o YouTube; a cartunista foi homenageada na CCXP 2021

FERNANDA LOPES

fernanda@noticiasdatv.com

Publicado em 4/12/2021 - 15h55

Todo ano, a CCXP escolhe um artista para ser o homenageado da edição, e no evento de 2021, que começou neste sábado (4), a eleita foi a cartunista Laerte Coutinho. Ela aproveitou o palanque do evento para falar um pouco sobre seu processo criativo e criticar o atual momento político do Brasil. "[Jair] Bolsonaro é um horror, um pesadelo total", detonou. 

Durante a entrevista, Laerte disse que se sentia emocionada, ainda mais considerando os artistas que foram homenageados nos anos anteriores --Fernanda Montenegro, Renato Aragão e Cao Hamburger, por exemplo. 

A cartunista, que completou 50 anos de carreira, contou que demorou a entender que desenhar e criar histórias poderia se tornar seu meio de vida. Ela acredita que hoje quem quer seguir nessa profissão tem mais facilidade pelo advento da tecnologia, por poder disponibilizar seu trabalho em meios digitais. Mas ponderou que o atual momento do Brasil, especialmente na política, está bem pior. 

"A história da busca democrática do Brasil é uma história real, que vem acontecendo, mas ao mesmo tempo a eleição de uma pessoa como Jair Bolsonaro e o que ele tá propondo como projeto político... Ele não tem projeto político, mas é um horror, um pesadelo total", lamentou.

"A gente conseguiu vencer a ditadura, eleger governos democráticos, elaborar funcionamentos da sociedade que podem vir a atender a população brasileira em todos os lugares, mas ao mesmo tempo é possível que isso tudo venha abaixo. O que eu me pego muitas vezes pensando é em como é frágil isso", ponderou.

"A gente tá falando da história de um pais, tradições que existem no Brasil, mas ao mesmo tempo a gente tá falando de possibilidades de mudanças radicais. De repente dar de cara com Bolsonaro, com Sergio Moro? É impressionante, o mínimo que eu tô é impressionada com o momento brasileiro", afirmou ela. 

Em seu trabalho, Laerte faz muitas críticas à sociedade, a parlamentares e a acontecimentos políticos e socioeconômicos. Para isso, busca referências em livros, filmes, conversas e jornais --o que chama de "comida para o cérebro". 

A cartunista defendeu que se conscientizar do que está acontecendo ao redor e fazer algo em relação a isso, na área profissional que for, é o que todas as pessoas deveriam fazer. 

"As pessoas têm papéis pra desempenhar conforme têm consciência da situação. Se [o indivíduo] têm consciência do que tá acontecendo num país, vai saber o que fazer na área em que estiver. Se for professora, médica, autora de quadrinhos, ela vai saber o que fazer. Quando penso em papel de artista, é isso, papel das pessoas de acordo com suas consciências e compreensões da realidade", afirmou. 


Leia também

Enquete

Você acha que a edição 2022 de No Limite vai superar a do ano passado?

Web Stories

+
Pão Pão, Beijo Beijo chega no Viva 39 anos depois: Quais atores já morreram?Resumo de Pantanal: Madeleine sofre tragédia, e Bruaca se choca com podridão do maridoGkay já fez harmonização facial? Veja antes e depois da influenciadoraNovela Pantanal: Descubra quem é Guito, o ator que interpreta Tibério na tramaEnquete: Barraqueiro x Sem graça - Vote no casal que vai gerar caos no Power Couple

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas