Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

PROGRAMA DE MAMÃE

Grávida de gêmeas, Bruna Surfistinha vai ensinar as filhas a 'respeitar p***'

DIVULGAÇÃO/INSTAGRAM

Bruna surfistinha se escora em uma árvore enquanto mostra a barriga de seis meses de gestação; ela terá gêmeos

Bruna Surfistinha exibe gravidez; ex-garota de programa assume seus medos quanto a criação das filhas

EDUARDO F. FILHO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 29/5/2021 - 7h20

Mãe de primeira viagem, Raquel Pacheco, mais conhecida como Bruna Surfistinha, diz estar preocupada com o crescimento das filhas no Brasil. A empresária, que revelou esperar gêmeas no último Dia das Mães, adianta que não vai esconder seu passado como prostituta das bebês: "Elas vão entender que precisam respeitar puta, negro, gay, independentemente de quem seja".

Raquel havia descoberto a gravidez em janeiro deste ano, mas manteve o segredo até 8 de maio, quando publicou na internet uma foto com a barriga de cinco meses e disse que seu coração estava batendo mais forte. "Quem me acompanha há bastante tempo sabe o quanto sempre desejei ser mãe e, agora, estou realizando este sonho", escreveu a mamãe.

Não demorou para que comentários preconceituosos e depreciativos em relação a gravidez de Raquel surgissem. "Vai ensinar suas filhas a serem prostitutas?", escreveu uma mulher, enquanto outro internauta disse que a empresária "não merece ser mãe".

Ao Notícias da TV, Raquel, de 36 anos, afirma que não gosta de sofrer por antecipação, mas que, de uns tempos para cá, está pensando no seu futuro e no crescimento de suas filhas em um país que só a enxerga como garota de programa:

Não ligo para os comentários de ódio que escrevem a meu respeito, mas começaram a falar sobre minhas filhas. Um homem escreveu: 'Chega de vadias nesse país'. Elas ainda nem nasceram, não têm culpa das minhas escolhas no passado. Tenho medo dessa sociedade machista, receio do que minhas filhas podem escutar sobre mim.

A empresária decidiu que não vai esperar as filhas se tornarem adolescentes para contar sobre sua vida na prostituição. Raquel quer que as duas cresçam já sabendo que a mãe delas foi a garota de programa mais conhecida do país. "Quero que esse momento seja transparente", afirma.

Ela acredita que o melhor momento para abrir o jogo com as meninas, que devem se chamar Maria e Elis --a mãe ainda não se decidiu se a primeira terá um nome composto--, será em torno dos cinco anos, quando as meninas já estiverem conversando sobre assuntos mais sérios e maduros:

Vou conduzir a conversa da melhor maneira possível. Vou falar: 'Mamãe se prostituiu dos 17 aos 20 anos, mas escolhi parar no auge, pois se fosse bom eu não teria parado, poderia ter aproveitado muito mais'. Vou falar com a certeza de que nada disso vai acontecer com elas, porque ambas vão ter muito amor e atenção. Elas não vão crescer se sentindo vazias.

Apesar da maternidade sempre ter sido um sonho, Raquel nunca imaginou que ela chegaria de maneira tão rápida em sua vida. Ela conheceu o noivo, Xico Santos, de 31 anos, em setembro do ano passado, durante uma gravação para o canal da amiga Fabiana Escobar, vulgo Bibi Perigosa.

Exatamente um mês depois, no aniversário de Raquel, Xico pediu a mão de Raquel em namoro e noivado ao mesmo tempo. Ele é ator e está no filme de terror Vale dos Espíritos, da produtora independente Rocywood, de Fabiana. 

Ela afirma que, apesar da rapidez, os dois já tinham conversado sobre ter filhos e que a vinda das meninas foi "muito bem programada".

Raquel e Xico pretendem se casar após o nascimento das meninas e depois que as duas já estiverem andando. A empresária quer que as filhas entrem na igreja com as alianças.

Raquel Pacheco ou Bruna Surfistinha?

Para começar a nova fase de sua vida, Raquel se mudou de São Paulo, onde nasceu, cresceu e fez história como garota de programa, para o Rio de Janeiro. Segundo ela, por dois motivos. O primeiro é em relação ao noivo: Xico e sua família são todos cariocas, e ficaria mais fácil para Raquel criar as filhas perto dos familiares do futuro marido.

O segundo motivo é o assédio que ela recebe na capital paulista. Raquel não podia dar um passeio na avenida Paulista, por exemplo, sem que fosse reconhecida e assediada por transeuntes. Isso acontece com menos frequência no Rio de Janeiro.

Segundo ela, os afagos dos fãs geralmente são tranquilos, no caso de uma foto, um autógrafo ou apenas conversas, mas também podem ser desrespeitosos:

Eu não corrijo se me chamam de Bruna na rua. Eu fiquei muito mais conhecida como Bruna do que como Raquel. Às vezes eu até me confundo, e quando me chamam de Raquel eu não respondo. Mas tem homens que me veem e me chamam pejorativamente de Bruninha, com um apelo sexual nojento. E isso me incomoda muito. Eu parei de fazer programa em 2005, mas eles ainda acham que eu estou na vida.

Indagada sobre como as filhas devem chamá-la, se de Raquel ou de Bruna, a empresária responde, aos risos, sem hesitar: "Mamãe".


Leia também

Web Stories

+
A Fazenda 13: Surto na baia e barraco com ofensas marcam primeira semana do realityQuem é Alanis Guillen? Conheça a Juma Marruá do remake de PantanalHarmonização facial e lente nos dentes: Veja antes e depois dos peões de A Fazenda 13Ex de Anitta e rei da pegação: Gui Araujo é o primeiro fazendeiro de A Fazenda 13Elenco, estreia e bastidores: Saiba tudo sobre o reboot de Um Maluco no Pedaço

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Além de Pantanal, qual novela antiga merecia um remake?