Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

NÃO ACABOU

Felipe Prior ainda pode ser indiciado por crime sexual pelo Ministério Público

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Imagem de Felipe Prior usando camiseta preta

Felipe Prior em foto publicada nas redes sociais; ex-BBB ainda pode ser indiciado por crime sexual

REDAÇÃO

Publicado em 6/8/2020 - 10h17

Apesar de não ter sido indiciado pela 1ª Delegacia de Defesa da Mulher de São Paulo pelas denúncias de estupro e tentativa de estupro, Felipe Prior ainda pode ser indiciado pelo Ministério Público. Segundo as advogadas das supostas vítimas, a primeira conclusão do inquérito não é determinante para dar continuidade ou não ao processo na Justiça. As defensoras ainda caracterizaram como injusta a decisão divulgada na quarta (5).

"Como cabe ao Ministério Público decidir sobre a continuidade da apuração dos fatos, a opinião da Delegacia não é determinante para a continuidade do processo. Esperamos que a injustiça deste relatório seja invertida nas próximas etapas", declararam as advogadas Maiara Machado e Juliana de Almeida em nota enviada ao Notícias da TV.

Em 3 de abril, em uma reportagem exclusiva da revista Marie Claire, três mulheres acusaram o ex-BBB de estupro e tentativa de estupro durante a realização do Interfau, jogos universitários do curso de Arquitetura e Urbanismo. Os casos teriam ocorrido em 2014, 2016 e 2018, respectivamente.

Na última terça-feira (4), a DDM concluiu o inquérito das acusações de crime sexual sem indiciamento ao arquiteto. "Sempre acreditamos na inocência dele. É uma boa notícia", apontou Carolina Pugliese, advogada de Prior, que comemorou o resultado inicial.

Para as defensoras das supostas vítimas, no entanto, a decisão ainda não inocenta o ex-BBB das acusações. "Somente uma crença infundada em teorias da conspiração explica o relato de quatro mulheres, confirmado por testemunhas, documentos e laudo pericial, ser desconsiderado apenas porque o agressor negou a prática dos crimes", declararam.

Maiara e Juliana ainda repudiaram a conclusão da Delegacia de Defesa da Mulher e afirmaram que tal atitude pode desencorajar mulheres vítimas de violência a denunciarem o que sofrem. "Nenhuma mulher se beneficia de denunciar um estupro", afirmaram as defensoras.

Leia abaixo a nota na íntegra:

"A defesa das vítimas repudia as conclusões da polícia formuladas no relatório final, por entendermos que elas não refletem o conjunto de provas que confirma os relatos das mulheres. Nenhuma das testemunhas de defesa foi capaz de refutar diretamente esses relatos.

Somente uma crença infundada em teorias da conspiração explica o relato de quatro mulheres, confirmado por testemunhas, documentos e laudo pericial, ser desconsiderado apenas porque o agressor negou a prática dos crimes. Nenhuma mulher se beneficia de denunciar um estupro.

Como cabe ao Ministério Público decidir sobre a continuidade da apuração dos fatos, a opinião da delegacia não é determinante para a continuidade do processo. Esperamos que a injustiça deste relatório seja invertida nas próximas etapas.

Esperamos ainda que essa posição lamentável da polícia não leve as milhares de mulheres que sofrem violência todos os dias a ter medo de denunciar o que sofreram."

Prêmio NTV Melhores do ano

Leia também

Enquete

Qual foi o melhor telejornal ou programa jornalístico do ano?

Web Stories

+
Ficção virou realidade: Casa de Esqueceram de Mim é aberta ao público; veja fotosDivórcio, tragédia e treta: 5 notícias que peões de A Fazenda 13 não sabemJuan Paiva rouba a cena em Um Lugar ao Sol; conheça a história do atorGui Araujo deixa A Fazenda 13 após expor lado prepotente e preconceituoso; relembreDe série na Netflix a aposentadoria: Por onde anda o elenco de O Cravo e a Rosa?

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas