Síndrome do Pânico

Atriz da Globo, Mariana Santos revela que ia trabalhar chorando: 'A arte me salvou'

Estevam Avellar/TV Globo

A atriz Mariana Santos durante o lançamento da nova temporada de Malhação na segunda (8) - Estevam Avellar/TV Globo

A atriz Mariana Santos durante o lançamento da nova temporada de Malhação na segunda (8)

FERNANDA LOPES, no Rio de Janeiro - Publicado em 09/04/2019, às 06h21

Mariana Santos ficou conhecida na Globo por seus papéis cômicos em programas e novelas, mas conta que era comum até pouco tempo atrás chegar à emissora chorando. A atriz revela que sofreu durante muitos anos de sua vida de síndrome do pânico e até hoje se sente vulnerável em algumas situações. Além de tratamento psicológico, ela acredita que foi salva pelo trabalho.

"Tive síndrome do pânico, tratei a vida inteira. Ninguém nunca soube. Quantas vezes fui trabalhar em pânico, tinha que pegar [estrada de] serra, eu ia tremendo, em pânico, chorando. Chegava no Projac, enxugava as lágrimas e entrava sorrindo. Passava", lembra.

"Toda a minha vida foi com dificuldade. Pra sair de casa foi difícil. Eu sou uma pessoa muito forte, a arte me salvou. Meu amor pelo teatro é tão grande que eu ia com pânico fazer peça. O palco era o único lugar em que eu não tinha pânico, um lugar com exposição tamanha", complementa a atriz.

Mariana não sabe dizer em que momento começou a desenvolver síndrome do pânico, um transtorno de ansiedade que provoca crises intensas de medo e desespero nos pacientes. Ela acredita que deve ter a ver com algum momento de sua infância.

"Eu acho que nossos pânicos vêm da infância. Nada grave, uma criança vai desenvolver [a síndrome] e outra não. Eu fui escolhida. Fiz muita terapia, tô sem fazer há um tempinho, tenho que voltar porque é bom. Mas consegui ir vencendo isso, trabalhando. Eu não podia parar de trabalhar, e isso foi muito bom. Se você é rico, de repente com pânico você vai ficar dormindo, quietinho no teu ninho. Se você tem que sair, trabalhar e ganhar seu dinheiro, você vai à luta", opina.

Em fevereiro, Mariana estreou uma peça em São Paulo em que sua personagem também lida com síndrome do pânico. Ela passou a viver na capital paulista e viaja sempre para o Rio de Janeiro --e cada ponte aérea é uma superação.

"Tenho medo de avião, mas fui morar em São Paulo porque amei a cidade. Tive pânico de voar durante muitos anos da minha vida, e toda ponte aérea que eu pego, eu venço e me sinto mais forte", afirma.

Mariana volta constantemente para o Rio para gravar a nova temporada de Malhação, em que interpreta a personagem Carla, mãe de dois adolescentes. Aos 42 anos, a atriz diz que já vê os jovens atores como seus filhos e que não pretende engravidar na vida real, e sim adotar.

"Nunca me cobrei maternidade. Ainda existe uma cobrança muito grande para a mulher, tipo: 'E aí, vai ter filho quando?'. Acho que meu filho tá por aí, só que não vai sair daqui [de seu ventre]. Sei disso desde pequena, me imagino adotando, não me imagino grávida. Se meu filho estiver por aí, vai chegar", afirma.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Quem é o personagem mais trouxa da TV?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook