Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

LUTO

Atriz da Escolinha, Marina Miranda morre aos 90 anos em luta contra Alzheimer

REPRODUÇÃO/RECORD

Marina Miranda em cena como Marisa em Os Mutantes (2008), na Record

Marina Miranda em cena como Marisa em Os Mutantes (2008), na Record; luto na televisão

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 21/9/2021 - 15h08
Atualizado em 21/9/2021 - 15h31

Marina Miranda morreu na noite de segunda-feira (20) aos 90 anos após travar luta contra o Alzheimer. A atriz estava internada no Hospital Municipal Miguel Couto, no Leblon, no Rio de Janeiro, após entrar em coma por complicações da doença. A veterana, famosa por interpretar Dona Mandala na Escolinha do Professor Raimundo (1990-1995), estava em estado grave.

A informação foi confirmada pela comunicação da Secretaria Municipal de Saúde, do Rio de Janeiro. "A direção do Centro de Emergência Regional (CER) do Leblon lamenta informar que a paciente Marina Miranda faleceu na noite desta segunda-feira (20). Ela estava internada na unidade, com quadro grave, desde o dia 19", comunicaram.

Ao Notícias da TV, Sylvia Miranda, filha da interprete se mostrou inconsolável. "A vida perdeu o sentido. Estou morta", declarou.

O drama de Marina foi compartilhado no Instagram por Sylvia no domingo (19). Segundo ela, a humorista estava inicialmente em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no Rio de Janeiro, com sintomas de tuberculose.

Na segunda-feira (20), ela voltou às redes para informar a remoção para o hospital municipal e que a suspeita da doença bacteriana infecciosa nos pulmões foi afastada. No entanto, a interprete apresentava escara na terceira derme, infecção urinária e pulmonar.

Segundo a herdeira, a atriz vivia com as filhas Glaucia e Priscila. Na sexta-feira (17), elas informaram a irmã de que a mãe teve um "apagão". Levada para a UPA, os médicos constataram o coma e o quadro "irreversível". A família tentava uma transferência para um hospital particular com a ajuda de famosos, como Lúcio Mauro Filho e Helio de La Peña.

Marina ficou famosa a partir de 1971, participando de humorísticos como Escolinha do Professor Raimundo, Os Trapalhões (1966-1995) e Balança Mas Não Cai (1968-1971).

Sua carreira foi construída com personagens marcantes. Nas novelas, atuou em produções como Dona Xepa (1977), ao lado de Nívea Maria e Yara Cortes (1921-2002), e O Dono do Mundo (1991), ambas na Globo. Também fez minisséries na emissora, como Tenda dos Milagres (1985). Seus trabalhos recentes na televisão foram nas novelas Os Mutantes (2008) e Prova de Amor (2005). 

Em 2020, a atriz teve sua vida pessoal exposta. No ano passado, a comediante viveu um drama ao ser retirada de seu apartamento em Copacabana, no Rio de Janeiro, por morar em meio ao lixo. Segundo denúncia feita por Sylvia na ocasião, uma das irmãs virou acumuladora compulsiva.

Sylvia e as irmãs Glaucia e Priscila travaram uma briga na Justiça pela guarda de Marina, que perdeu e passou a visitar a mãe graças a uma ordem judicial.

Relembre Marina Miranda na Escolinha do Professor Raimundo:

Prêmio NTV Melhores do ano


Leia também

Enquete

Qual foi o melhor telejornal ou programa jornalístico do ano?

Web Stories

+
Ficção virou realidade: Casa de Esqueceram de Mim é aberta ao público; veja fotosDivórcio, tragédia e treta: 5 notícias que peões de A Fazenda 13 não sabemJuan Paiva rouba a cena em Um Lugar ao Sol; conheça a história do atorGui Araujo deixa A Fazenda 13 após expor lado prepotente e preconceituoso; relembreDe série na Netflix a aposentadoria: Por onde anda o elenco de O Cravo e a Rosa?

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas