Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
X
Instagram
Youtube
TikTok

JULIANA SILVEIRA

Atriz aconselha Rafa Kalimann após desconforto em novela: 'Ir até o fim'

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM e TV GLOBO

Na montagem: Juliana Silveira (à esquerda) e Rafa Kalimann (à direita)

Juliana Silveira e Rafa Kalimann: atriz da Globo levantou debate sobre limitações de artistas

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 19/6/2024 - 17h20

A atriz Juliana Silveira aconselhou Rafa Kalimann a se entregar à sua personagem na novela Família É Tudo. A ex-BBB comentou em entrevista que se sentia desconfortável em pronunciar a palavra "desgraça" quando estava em cena, pois era contra seus princípios religiosos e familiares. A eterna Floribella apontou que um artista precisa estar preparado para tudo quando aceita o papel.

Nos Stories do Instagram, Juliana comparou sua experiência durante o início de carreira com a de Rafa. "Quando você aceita aquele personagem, você tem que ir até o fim e fazer o que é necessário para contar aquela história. Quem tem que entender o próprio limite é o ator", aconselhou.

"A gente tem que entender que é o primeiro personagem da Rafa numa novela, e que ela está lidando a primeira vez com essas questões do ator. Eu já me senti muito desconfortável com a exposição do meu corpo. Então enquanto eu não me sentia confortável nesse lugar, eu não fiz personagens que tinham essa exposição", disse ela.

Juliana relembrou quando fez testes para viver a protagonista da minissérie Presença de Anita (2001), que conta a história de uma mulher jovem que se envolve com um homem casado mais velho. O papel de Anita ficou com Mel Lisboa, e o galã Fernando foi interpretado por José Mayer.

"Eu fiz o teste para Presença de Anita e desisti do processo porque eu não estava preparada para contar a história e para o que aquele personagem precisava para aquele momento", descreveu Juliana.

A atriz já estava tarimbada quando fez a novela Vitória (2014), na Record. Na trama, ela viveu uma personagem neonazista com a personalidade totalmente distante da sua vida pessoal. A intérprete usou técnicas para conseguir acessar os preconceitos de Priscilla.

"Com a minha primeira vilã, a Priscilla, nós tivemos problemas porque ela era uma neonazista. Foi um momento muito delicado até dentro da própria emissora, porque o público rejeitou. Ninguém queria chegar em casa do trabalho e assistir a cenas pesadas, que provocassem gatilhos", concluiu.

Veja abaixo o conselho de Juliana Silveira para Rafa Kalimann:


Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.