Guerra dos domingos

'Tenho dó dos meninos do Pânico', diz líder do 'carrasco' Encrenca

Divulgação/RedeTV!

Ângelo Campos, Tatola Godas, Dennys Motta e Ricardinho Mendonça em ação no Encrenca - Divulgação/RedeTV!

Ângelo Campos, Tatola Godas, Dennys Motta e Ricardinho Mendonça em ação no Encrenca

GABRIEL PERLINE - Publicado em 07/03/2016, às 05h27

Programa cuja principal atração são vídeos da internet, o tosco Encrenca virou uma pedra no sapato do "sofisticado" Pânico. Embora de produção muito mais rica, o humorístico da Band parece não saber mais o que fazer para enfrentar o programa que o substituiu na RedeTV! e que, desde o final do ano passado, ganhou musculatura no Ibope e, consequentemente, grandes anunciantes como a Coca-Cola. Em 2016, o Encrenca teve mais audiência do que o Pânico em seis de dez disputas (sem contar a de ontem).

Para tentar ajudar o Pânico, que entra no ar mais tarde do que o Encrenca, a Band repaginou o enlatado Só Risos, que bate de frente no Ibope com o humorístico da RedeTV!. Desde junho de 2015, o Só Risos exibe vídeos engraçados que viralizam nas redes sociais com narração de integrantes do Pânico. Exatamente o que faz o Encrenca no Zap Zap, seu quadro de maior sucesso.

"Tenho dó dos meninos do Pânico, porque eles são ótimos como humoristas, mas o Só Risos é uma vergonha, uma cópia descarada e malfeita do nosso programa. Dá para perceber que os caras não gostam de fazer isso", provoca Tatola Godas, líder do Encrenca. "Eles [a Band] já tentaram de tudo para nos bater. Colocaram filmes, Datena, MasterChef, gostosonas quase peladas, Milton Neves e futebol feminino, mas nada parece dar certo", acrescenta.

Nos melhores dias, o Encrenca supera a casa dos cinco pontos no Ibope da Grande São Paulo, com picos de sete. Herda uma audiência sofrível do Chega Mais, que o antecede. Mas qudruplica os números em questão de minutos. Contra a Band, enfrenta o final do Terceiro Tempo, todo o Só Risos e uma hora e meia de Pânico. Domingo passado, cravou média de 5,8 pontos, contra 5,3 do programa de Emílio Surita.

"Viemos aqui para dar audiência. Não adianta fazer uma coisa toda bonitinha, investir R$ 50 mil em um quadro de 20 minutos, sendo que não é isso que o povo quer ver", explica o diretor Ricardo de Barros. "Fazemos quadros de 30 segundos, um minuto, para colocar um ritmo mais dinâmico. E as pessoas preferem esse modelo. É o que tem dado certo para nós."

DIVULGAÇÃO/rEDETV!

Dennys Motta, Tatola Godas, Ricardinho Mendonça e Ângelo Campos apresentam o Encrenca

Investimentos
As frequentes vitórias contra o Pânico atraíram o olhar do mercado publicitário, e o Encrenca conquistou em 2016 três grandes anunciantes (Coca-Cola, Nike e Tim). Mas, apesar da "riqueza", a produção continua pobrinha.

"A gente se vira com pouca verba e curtimos fazer dessa maneira. Conseguimos estimular mais a nossa criatividade", afirma Ricardinho Mendonça, integrante do programa. "O pessoal de casa gosta desse lance mais tosco. E a gente consegue se virar bem com o que temos em mãos", acrescenta Dennys Motta.

Prestes a completar dois anos na grade da RedeTV!, o time do Encrenca diz buscar um caminho contrário ao do Pânico, sobretudo na maneira de fazer humor.

"Nosso maior investimento é em criatividade. Temos um processo de criação muito forte, a gente não sossega. Conseguimos entender o que o povo de casa gosta e fazemos um trabalho que não obriga o cara que está em casa a assistir ao programa escondido, que tenha que fazer o filho sair da sala ou que o faça ficar constrangido na frente de sua mulher. Não ofendemos ninguém. O maior desafio do Encrenca é fazer a família se reunir para nos assistir", diz Tatola.

Constragimento

Uma das premissas do quarteto é evitar situações embaraçosas, que possam ofender o telespectador e também quem participa dos quadros. Essa medida é mantida pelo grupo desde 2012, quando estrearam o programa Quem Não Faz Toma, rádio 89 FM. De lá, eles migraram para a TV _caminho igual ao do Pânico_, mantendo a mesma maneira de praticar humor.

"Tem artista que morre de medo de ir no programa do Pânico na rádio, mas adora ir no Quem Não Faz Toma. Com a gente, o cara não vai ser sacaneado e nem humilhado. Nós tiramos um barato com a nossa própria cara e o convidado entra na brincadeira", comenta Mendonça. "Nós não somos humoristas, somos amigos bem-humorados. Isso faz toda a diferença", finaliza Tatola.


► Curta o Notícias da TV no Facebook e fique por dentro de tudo na televisão

► Siga o Notícias da TV no Twitter: @danielkastro 

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Na casa de que famoso você passaria a quarentena?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook