Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

MOMENTOS MARCANTES

Tapa de Will Smith e vitória do streaming: Oscar 2022 entra para história

Reprodução/Globoplay e Twitter

Montagem com Will Smith durante discurso no Oscar 2022 e agredindo Chris Rock com um tapa

Will Smith foi um dos destaques do Oscar 2022; ator venceu prêmio e deu tapa em Chris Rock

ANDRÉ ZULIANI

andre@noticiasdatv.com

Publicado em 28/3/2022 - 2h18
Atualizado em 28/3/2022 - 2h36

Com um novo formato e cheio de expectativas pelo retorno da cerimônia presencial, o Oscar 2022 ficou marcado para a história. A edição deste ano teve vários momentos marcantes, em especial a primeira vitória de um serviço de streaming na principal categoria da noite e o tapa de Will Smith em Chris Rock durante a transmissão ao vivo.

Com recordes negativos de audiência nas cerimônias dos últimos anos, a Academia mudou o formato do Oscar e decidiu que parte dos prêmios seriam entregues fora da TV. Descrita como engessada por críticos, a produção optou por priorizar a agilidade e trazer novidades.

Na disputa mais acirrada da noite, No Ritmo do Coração (2021) venceu o duelo de favoritos contra Ataque dos Cães (2021) e trouxe o primeiro Oscar de melhor filme para um serviço de streaming. O prêmio marca o triunfo do Apple TV+ contra a Netflix, que via na edição de 2022 a grande chance de sair vitoriosa após bater na trave nos últimos anos --aqui no Brasil, o longa ganhador está no Prime Video.

Em números totais, Duna: Parte Um (2021) foi o grande vencedor da noite, com seis estatuetas conquistadas na edição deste ano. Todas, no entanto, foram por prêmios técnicos: melhor som, melhores efeitos visuais, melhor design de produção, melhor trilha sonora, melhor edição e melhor fotografia.

Will Smith x Chris Rock

O prêmio de No Ritmo do Coração, no entanto, pode ser ofuscado pela confusão quase cinematográfica entre Will Smith e Chris Rock. Tudo começou quando o comediante, um dos apresentadores convidados da noite, subiu ao palco para anunciar o vencedor na categoria de melhor documentário.

Durante o seu monólogo, Rock fez piadas de casais com Javier Bardem e Penélope Cruz antes de se dirigir a Smith e sua mulher, Jada Pinkett-Smith. O clima esquentou quando o comediante resolveu fazer o humor com a falta de cabelo da atriz.

O problema é que Jada sofre de alopecia, uma doença autoimune que causa perda de cabelo --motivo pelo ela decidiu raspar a cabeça e ficar careca. Ciente disso, já que a condição da mulher de Smith é pública, Rock fez piada com sua aparência.

Antes que o comediante pudesse continuar seu discurso, Will Smith subiu no palco e deu um tapa em Chris Rock durante a transmissão ao vivo. Mesmo após retornar à sua mesa, o astro, que mais tarde levaria o Oscar de melhor ator--o primeiro de sua carreira-- continuou vociferando contra o apresentador.

Em seu discurso de aceitação do prêmio, Smith chorou copiosamente e pediu desculpas aos membros da Academia, responsáveis pela organização e produção do Oscar, e aos outros colegas indicados da noite.

"Quero me desculpar com a Academia, quero me desculpar com todos os meus colegas indicados. Este é um momento lindo e não estou chorando por ganhar um prêmio, não se trata de ganhar um prêmio para mim. A arte imita a vida, e eu estou parecendo o pai maluco que faz de tudo para proteger a família. Mas amor vai fazer você fazer coisas loucas", disse o ator.

Prêmio do streaming e da diversidade

Após anos com filmes entrando como favoritos e saindo derrotados, um serviço de streaming finalmente conquistou a tão almejada estatueta dourada de melhor filme. No Ritmo do Coração, adquirido pelo Apple TV+ por US$ 25 milhões (R$ 118,5 milhões), ainda levou o prêmio de melhor roteiro adaptado por ser refilmagem do longa francês A Família Bélier (2014).

O longa, que tem a maioria de seu elenco formado por artistas com deficiência auditiva, rendeu o prêmio de melhor ator coadjuvante a Troy Kotsur. Com a vitória, ele se tornou o primeiro ator surdo na história do Oscar a levar um prêmio na categoria masculina --entre as mulheres, Marlee Matlin venceu por sua atuação em Filhos do Silêncio (1986).

A diversidade na edição de 2022 também foi representada na categoria de melhor direção. Jane Campion, que comandou Ataque dos Cães, tornou-se a terceira mulher a vencer o prêmio e marcou a primeira vez na história do Oscar que duas mulheres sagram-se vencedoras por dois anos seguidos.

TUDO SOBRE

Oscar

Will Smith


Leia também

Enquete

Pantanal perde audiência: novela está chata?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.