Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

CONFINADOS DIGITALMENTE

Sem reality show na TV, youtubers criam versão 'fake' de A Fazenda

REPRODUÇÃO/YOUTUBE

Reprodução de imagem de Neymala Jr., Inês Brazilian e Alberto Injustus, participantes de A Fazenda Depressão

Neymala Jr., Inês Brazilian e Alberto Injustus participam de A Fazenda Depressão, reality disponível no YouTube

ERICK MATHEUS NERY

erick@noticiasdatv.com

Publicado em 11/5/2020 - 5h54

Com a paralisação dos reality shows de confinamento devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), uma das alternativas encontradas para seguir com a produção destes formatos é a tecnologia. Assim, os youtubers Filipe Oliveira e Eduardo Camargo, do canal Diva Depressão, decidiram utilizar um jogo de videogame e a imaginação para criarem uma versão "fake" de A Fazenda, exibido pela Record desde 2009.

Em A Fazenda Depressão, nove personalidades da mídia (termo utilizado pelos apresentadores para descrever celebridades, subcelebridades e pessoas com relevância no ambiente digital) disputam o prêmio de um milhão de simonios (moeda fictícia) e uma mansão digital personalizada. Para que o confinamento ocorra, os youtubers utilizam o jogo The Sims, no qual os usuários criam personagens e constroem ambientes onde elas se socializam.

No entanto, os participantes da primeira temporada do reality digital são inspirados em famosos de carne e osso. "Sabemos que metade deles, pelo menos, não aceitaria o convite para estar de verdade [no programa da Record], então decidimos colocar no jogo", revela Filipe ao Notícias da TV.

Neymala Jr., Márcia Sensatíssima, Alberto Injustus, Inêz Brazilian, Latindo, Blogueirinha Horta, Irmão Berti, Fadinha da Fazenda e Ciduxa integram o elenco da atração disponível no YouTube. Em menos de uma semana, o primeiro episódio do programa conquistou mais de 700 mil visualizações na plataforma.

Além das tradicionais provas e o confinamento no campo, os youtubers buscaram inspiração em outros formatos. Logo no primeiro episódio, eles criaram o Celeiro de Vidro, dinâmica similiar à da Casa de Vidro do Big Brother Brasil. Na versão rural, os internautas tiveram que escolher quem gostariam de ver na disputa: Ciduxa ou Saulo. Mais de 50 mil votos foram registrados, e a peoa entrou no jogo.

"As pessoas gostam de se sentir no poder de decidir algo que você está produzindo, e gostamos de dar a elas essa 'recompensa' por nos ajudar a alcançar tudo o que temos hoje. É bem legal, não seria a mesma coisa sem o engajamento do público", conta Eduardo.

Bastidores do programa

O reality conta com episódios semanais e é gravado como um gameplay --vídeos feitos por internautas enquanto eles disputam uma partida de jogo. No The Sims, existe uma ferramenta de interação automática entre os personagens. Ao ser ativada, os avatares começam a conversar e circular pelas dependências da fazenda. Enquanto isso, os youtubers narram as cenas e as supostas falas dos peões.

"Não existe roteiro. Como quase tudo que fazemos, é na base do improviso. A gente vai olhando e comentando. Nem tudo entra na edição final, só o que realmente sentimos que funcionou para o game", dizem os apresentadores.

rEPRODUÇÃO/YOUTUBE

Filipe e Eduardo narram diálogo entre peões Ciduxa e Latindo

Segundo Filipe, a ideia do programa surgiu em 2018, porém eles aproveitaram o período de isolamento social para colocá-la em prática: "Nós mesmos estamos com mais tempo. Unimos o útil ao agradável, mas não por falta de assunto, e sim para aproveitar o tempo e o fato de a galera estar em casa querendo conteúdo para se divertir mesmo".

No YouTube, além de produzirem o reality Corrida das Blogueiras, os meninos do Diva comentam outras atrações televisivas. "Achamos que o Brasil produz as melhores versões dos realitys que já existem lá fora. Sentimos falta, apenas, de programas mais voltados para o público LGBT, como uma versão nacional de RuPaul's Drag Race", finalizam. 

Os episódios de A Fazenda Depressão são disponibilizados às terças-feiras, no canal Diva Depressão, no YouTube.


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?