Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

Memória da TV

Rejeitada pela Globo em 1991, novela Carrossel fez sucesso no SBT

Reprodução/SBT

Elenco principal da primeira versão da novela mexicana Carrossel

Elenco principal da primeira versão da novela mexicana Carrossel, exibida pelo SBT em 1991

THELL DE CASTRO

Publicado em 19/4/2020 - 14h19

Verdadeira pedra no sapato da Globo em 1991, quando tirou audiência do Jornal Nacional e da novela O Dono do Mundo, Carrossel poderia ter sido comprada pela emissora da família Marinho, mas o folhetim mexicano da Televisa foi esnobado e acabou indo parar no SBT. A novela infantil fez muito sucesso na época.

Reportagem da Folha de S.Paulo de 29 de junho de 1991 informou que a trama da Televisa foi oferecida para a Globo em janeiro daquele ano, mas acabou dispensada.

"Acho que Carrossel nem foi vista na Globo", disse ao jornal a então vice-presidente da Salles Vídeo Internacional, Marina Galliez, que representava a emissora mexicana no Brasil. "Carrossel foi comprada pelo SBT por US$ 300 mil", completou.

Na época, a Globo comprava produções estrangeiras e as deixava na geladeira, apenas para que as concorrentes não as exibissem. Ou então, no máximo, passava para parceiras de baixa audiência, como a Gazeta. Além de novelas, a prática se estendia para séries e torneios esportivos.

A novela venezuelana Cristal (1985), por exemplo, foi comprada, mas nunca exibida. O mesmo poderia ter ocorrido com Carrossel, que chegou a dar 60 pontos de audiência em outros países onde foi mostrada.

"Eu estou de saída, mas ainda conheço isso aqui. Tem coisas que não são exibidas na Globo. Eles compraram a novela para que outros não comprassem", declarou o diretor Daniel Filho à mesma reportagem.

Por coincidência, os direitos de Cristal foram comprados posteriormente pela Televisa, e a novela teve uma versão brasileira produzida pelo SBT em 2006.

Um mês depois, em julho de 1991, a Folha informou que a Globo comprou a novela A Intrusa, também da Venezuela. "Comprou para vendê-la, não para que deixasse de ser exibida pelas concorrentes", disse ao jornal o então assessor da vice-presidência de operações da emissora, Edwaldo Pacote (1928-2009).

O executivo confirmou que Carrossel foi oferecida à Globo antes de ser vendida para o SBT. Segundo ele, a Globo não a comprou por considerá-la "indigente".

Na mesma matéria, Pacote corrigiu uma informação dada por Galliez, que havia dito que a Globo teria pago US$ 400 mil para exibir cenas de O Grande Ditador, de Charlie Chaplin (1889-1977), na abertura de O Dono do Mundo.

"Pacote esclareceu que a Globo pagou US$ 50 mil e não US$ 400 mil pelo direito de usar takes do filme. A abertura, pronta, custou US$ 100 mil", destacou a reportagem.

Carrossel estreou no Brasil no mesmo dia que O Dono do Mundo iniciou sua trajetória: 20 de maio de 1991. "Entre assistir às novelas da Globo, que exploram cenas de sexo, algumas constrangedoras, e Carrossel, admitamos que a segunda opção é um mal menor", afirmou Silvio Santos em reportagem da Veja de 12 de julho daquele ano.

A trama mexicana chegou a ultrapassar a casa dos 20 pontos de audiência, meta estabelecida pelo dono do SBT. Em 2012, o canal produziu uma versão nacional da novela, que não repetiu o fenômeno, mas teve boa audiência.


THELL DE CASTROé jornalista, editor do site TV História e autor do livro Dicionário da Televisão Brasileira. Siga no Twitter: @thelldecastro

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?