Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

CASO EM SP

No Encontro, Douglas Silva detona racismo e desabafa: 'Machuca muito'

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

O ator e ex-BBB Douglas Silva no Encontro com Fátima Bernardes, programa da Globo, nesta quarta-feira (4)

Douglas Silva no Encontro com Fátima Bernardes desta quarta (4); ator lamentou preconceito

KELLY MIYASHIRO

kelly@noticiasdatv.com

Publicado em 4/5/2022 - 11h31

Douglas Silva detonou o racismo sofrido por uma passageira negra no metrô de São Paulo e desabafou sobre o preconceito racial que ainda permeia a sociedade. Convidado do Encontro com Fátima Bernardes desta quarta-feira (4), o ator enfatizou a problemática de falas discriminatórias. "Machuca muito", lamentou o terceiro colocado do BBB 22.

O programa da Globo começou abordando a história de Welica Ribeiro, mulher negra do Rio de Janeiro que ouviu de uma mulher branca, identificada como Agnes Vajda, que era melhor ela "tomar cuidado com seu cabelo, pois ele poderia transmitir doença". As duas foram conduzidas até uma delegacia.

"Toma cuidado com o seu cabelo porque ele está muito próximo ao meu rosto e pode me causar doença", relatou Welica à polícia sobre a fala de Agnes, conforme o boletim de ocorrência divulgado pelo G1.

No Encontro, Fátima Bernardes demonstrou indignação com o caso: "O que faz as pessoas acharem que têm direito de falar do cabelo do outro. Ainda mais quando a pessoa é negra, né, Douglas". 

"É complicado, né, Fátima. Isso é reflexo da nossa sociedade. Desde que o mundo é mundo esse preconceito existe. Eu até entendo super o que a moça passou naquele momento, o constrangimento, porque o que dá o direito a outra pessoa agir daquela forma é e falar algo desse gênero, que isso machuca muito", desabafou o artista.

"E pra gente superar isso, independentemente se vai pra delegacia. A moça que falou essas palavras, que agiu de forma totalmente inadequada, que cometeu esses crime, ela vai seguir a vida dela. Não sei como as autoridades vão agir, mas a pessoa vítima, que sofreu esse ataque, isso vai reverberando por muito tempo", completou ele.

"Certamente porque não foi a primeira vez. O que a gente viu é que outras pessoas que estavam ali no metrô ficaram revoltadas, e elas impediram a saída da passageira que fez as agressões, então até a chegada da Polícia Militar ela teve que ser escoltada sob muitos gritos indignados de racista", continuou a apresentadora. 

Em seguida, a atração exibiu um vídeo gravado por passageiros que mostrava Agnes sendo repreendida por diversas pessoas, tendo que ser protegida por policiais. 

"Eu acho que é isso, o movimento tem que ser este. Toda vez que alguém vir um ato desse, de crime, tem que se solidarizar, ajudar. Porque quem sofre o ataque às vezes não consegue agir da maneira que precisa agir. Porque você foi humilhado ali naquele momento e é muito difícil você se recuperar rápido ali no ato, nem todo mundo consegue", incentivou o ex-brother apelidado de DG.

"E quando você vê alguém agindo dessa forma, você tem que ali, ter empatia, ajudar a pessoa. Tem que bater palma aí pra galera que tava no vagão aí, que ajudou o irmão e a irmã", concluiu o ator. 

O programa, então, mostrou uma entrevista ao vivo com a vítima do caso registrado como injúria racial. 


Leia também

Enquete

Qual o personagem mais chato de Pantanal?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.