Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

O QUE VEM AÍ?

Justiça divulga novas regras para Classificação Indicativa na TV; veja detalhes

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Damares Alves com uma blusa marrom, e explicando mudanças no Governo Federal

Damares Alves: ministra quer endurecer as regras de Classificação Indicativa no Brasil

GABRIEL VAQUER, colunista

vaquer@noticiasdatv.com

Publicado em 26/11/2021 - 13h57

O Ministério da Justiça divulgou na última quarta-feira (24) no DOU (Diário Oficial da União) novas regras para a Classificação Indicativa para televisão, filmes, jogos e diversões em geral. A principal mudança foi no aviso para programas, novelas e produções que acabaram de estrear. A troca é um pedido de Damares Alves, ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. 

Segundo detalhou o decreto, a autoclassificação --quando as próprias emissoras de TV avaliam suas produções-- antes do parecer do DPJUS (Departamento de Promoção de Políticas de Justiça) precisará ser sinalizada ao espectador. Ou seja, uma letra A será colocada antes da indicação para avisar que não foi o governo quem avaliou o conteúdo Somente após o selo dado pela Justiça é que este aviso poderá ser retirado.

No trecho da portaria, à qual o Notícias da TV teve acesso, a Justiça explica que a mudança precisa acontecer para que o público brasileiro saiba se uma atração passou ou não pelo crivo do Ministério da Justiça.

"A classificação atribuída pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública torna-se válida a partir de sua publicação no Diário Oficial da União. A autoclassificação torna-se definitiva quando validada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública", diz trecho da portaria.

A portaria, no entanto, mantém as regras atuais da Classificação Indicativa, como a ausência de restrição de horário.

Fontes ouvidas pela coluna confirmam que não há um agravamento nos critérios, pelo menos por enquanto. Procurada, a Abert (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e TV) não se pronunciou sobre a nova portaria. 

Recentemente, a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, juntamente com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, manifestaram desejo de mudar as regras da classificação.

Eles estão preocupados com produtos de streaming que contêm cenas de violência. Para isso, criaram um grupo de estudos para tentar mudar essas regras, o que ainda não aconteceu. 


Leia também

Enquete

Você acha que a edição 2022 de No Limite vai superar a do ano passado?

Web Stories

+
Resumo de Pantanal: Madeleine sofre tragédia, e Bruaca se choca com podridão do maridoGkay já fez harmonização facial? Veja antes e depois da influenciadoraNovela Pantanal: Descubra quem é Guito, o ator que interpreta Tibério na tramaEnquete: Barraqueiro x Sem graça - Vote no casal que vai gerar caos no Power CoupleFilhos de famosos na TV: Veja artistas que seguiram os passos dos pais em novelas

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas