Luto

Jornalista Paulo Henrique Amorim morre aos 76 anos vítima de infarto

Reprodução/Record

O jornalista e apresentador da Record Paulo Henrique Amorim morreu nesta quarta-feira (10) - Reprodução/Record

O jornalista e apresentador da Record Paulo Henrique Amorim morreu nesta quarta-feira (10)

REDAÇÃO - Publicado em 10/07/2019, às 08h34 - Atualizado às 11h55

Paulo Henrique Amorim, de 76 anos, morreu na madrugada desta quarta-feira (10) vítima de infarto. De acordo com a Record, última emissora do jornalista, ele teve um mal súbito após chegar em sua casa em Ipanema, no Rio de Janeiro. Amorim jantou com a mulher e amigos momentos antes. Segundo a viúva do jornalista, Geórgia Pinheiro, não houve tempo para esperar atendimento médico.

Afastado desde o mês passado de suas atividades na emissora, Amorim foi para a Record TV em 2003. Seu início de carreira foi no jornal A Noite, em 1961. Depois foi trabalhar em Nova York, como correspondente internacional da revista Realidade e, posteriormente, da revista Veja.

Na televisão, passou pela extinta TV Manchete e pela TV Globo, também como correspondente internacional. Em 1996, deixou a emissora carioca e foi para a Band, onde apresentou o Jornal da Band e o programa Fogo Cruzado.

Após uma passagem pela TV Cultura, Amorim chegou à Record, onde apresentou o Jornal da Record segunda edição. No ano seguinte, esteve à frente do programa Tudo a Ver. Em 2006, assumiu a apresentação do Domingo Espetacular.

Afastado por motivos políticos

No mês passado, o Notícias da TV informou em primeira mão que Paulo Henrique Amorim foi afastado da apresentação do Domingo Espetacular, da Record, após 14 anos ininterruptos. O motivo seria por pressão política. Amorim era esquerdista e alimentava seu blog pessoal Conversa Afiada, em que alfinetava frequentemente o movimento de direita. 

Na época, a Record confirmou a informação. "Paulo Henrique Amorim deixa o programa e permanece na emissora à disposição para novos projetos", disse a emissora em nota oficial.

Nos últimos meses, ficaram fortes os rumores de que o jornalista teria sido demitido da Record por ser um ferrenho crítico do governo de Jair Bolsonaro (PSL), principalmente do ministro da Justiça, Sérgio Moro.

No início de março, o repórter e apresentador do Jornal da Record Eduardo Ribeiro foi promovido para o Domingo Espetacular, o que aumentou os rumores de que Paulo Henrique Amorim seria afastado em algum momento.

Antes de Amorim, foi anunciada a saída de Janine Borba, em maio. Assim como Amorim, Janine estava no Domingo Espetacular desde 2006. Ela já foi deslocada para um novo projeto de boletins informativos do Jornal da Record.

Famosos lamentam a morte do jornalista

Ao vivo por telefone, a apresentadora do Hoje em Dia Ana Hickmann lamentou a morte de Paulo Henrique Amorim durante o telejornal SP no Ar. Ao jornalista André Azeredo, que apresenta o matutino, Ana se emocionou ao falar do amigo e colega de emissora. "Ele foi o primeiro a me dar oportunidade aqui na Record, quando me convidou para apresentar uma coluna de moda em seu programa", disse.

Durante o Fala Brasil desta manhã, Eduardo Ribeiro, substituto de Paulo Henrique Amorim na apresentação do Domingo Espetacular, disse que o jornalista o recebeu de braços abertos no programa desde seu primeiro dia. "Estou abalado com a notícia, foram muitos anos trabalhando lado a lado", lamentou Ribeiro, também por telefone.

Nas redes sociais, o dono do bordão "Olá, tudo bem?" também foi homenageado. "Paulo nunca perdeu a essência da nossa profissão: a de ser repórter", escreveu Luiz Bacci em seu Instagram.

Curiosamente, o perfil de Paulo Henrique Amorim, @conversaafiada, publicou uma imagem no Instagram minutos após sua morte ter sido confirmada pelo site R7. O meme mostra o episódio da série Chaves em que o personagem professor Girafales, intepretado pelo ator Rubén Aguirre, realizava uma espécie de audiência judicial. Com a frase "aqui vemos um julgamento mais íntegro que os do juiz Sérgio Moro", o perfil ironizou o atual Ministro da Justiça.

A Record soltou nota de pesar no fim da manhã desta quarta. Classificou Amorim como "um dos mais talentosos jornalistas de sua geração" que deixou "um grande legado para a história da imprensa nacional".

"Uma parte desta história foi escrita na Record, onde trabalhou desde 2003 e imprimiu sua marca em quatro programas. A estreia foi na apresentação do Jornal da Record – 2ª Edição, onde também trouxe o quadro Conversa Afiada, que, na época, comentava os assuntos de política e economia." 

"PHA, como era chamado nos bastidores da TV, ficou famoso pelo seu bordão 'Boa noite, Boa sorte!', que admitia ter trazido de um apresentador da televisão americana da CBS chamado Edward Murrow, que dizia as tais palavras. Em entrevista ao portal R7, em 2015, comentou sobre sua paixão pela profissão: 'Eu nasci jornalista e vou morrer jornalista. Vou morrer diante das teclas do computador'."

"A Record lamenta profundamente o falecimento de Paulo Henrique Amorim e se solidariza com os amigos, familiares e admiradores", encerra a nota da emissora.

Confira a última publicação de Paulo Henrique Amorim em seu Instagram: 

 
 
 
View this post on Instagram

Bom dia, amigo navegante!⠀ ⠀ #caf #pha #conversaafiada #chaves #moro #vazajato

A post shared by Conversa Afiada (@conversaafiada) on

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Com quem Maria da Paz deve ficar em A Dona do Pedaço?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook