Débora Brasil

Ex-morena do É o Tchan revela depressão e se lança cantora na Record

REPRODUÇÃO/RECORD

Débora Brasil de blusa azul durante entrevista ao programa Domingo Show

Primeira morena do grupo de axé É o Tchan, Débora Brasil foi entrevistada pelo programa Domingo Show hoje (22)

REDAÇÃO - Publicado em 22/09/2019, às 15h34 - Atualizado às 15h47

Conhecida por ser a primeira morena do É o Tchan, Débora Brasil relevou que desenvolveu depressão e síndrome do pânico após sair do grupo de axé baiano em 1997. A confissão da ex-dançarina, hoje com 48 anos, foi feita no programa Domingo Show, da Record, neste domingo (22). A artista também foi lançada como cantora gospel no palco do programa de Geraldo Luís.

"Eu não tinha forças. Eu entrei na depressão tão profunda que eu não tomava banho, não escovava os dentes, não me alimentava, não reconhecia as pessoas que estavam me visitando e não falava", desabafou Débora.

"Desde a minha infância, eu sentia uma tristeza e um vazio que não preenchia com nada. Eu construi um sonho, acreditando que esse sonho iria preencher esse vazio", contou a ex-dançarina. A morena contou que achava que a fama e o dinheiro que conseguiu com o É o Tchan iriam trazer a felicidade que ela tanto esperava.

Porém, com o grande sucesso, Débora passou também a ter mais compromissos e menos tempo com a família. "Veio muita responsabilidade, cansaço. Tive momentos alegres com meus colegas, mas eu falo de mim, dentro, alma, coração ser humano. E bom que você entenda que atrás do artista existe o ser humano", explicou a entrevistada.

A ex-dançarina revelou que a saída do grupo influenciou o desenvolvimento da doença. "Foi depois de um tempo que o contrato já estava para acabar. Eles resolveram colocar outras pessoas. Teve a rescisão do contrato e eu continuei minha caminhada", contou.

A morena disse que não imaginava que iria sair do É o Tchan e que tudo foi uma questão de estratégia da banda. "Enquanto era interessante eu estar, eles mantiveram o contrato", desabafou. Apesar de tudo, Débora revela não guardar mágoas dos ex-colegas e disse que acompanhou a seleção de Scheila Carvalho como sua substituta.

"Eu sai e comecei minha caminhada como carreira solo. Foi quando eu tive a depressão", explicou a ex-dançarina que perdeu mais de 20 quilos enquanto esteve doente.

A recuperação

Débora Brasil atribui sua recuperação a família e a religião. "Ninguém entendia o que tinha acontecido e eu não tinha forças para sair daquela situação", revelou. A morena contou que sua mãe e uma tia foram muito importantes para que ela saisse dessa situação.

A ex-É o Tchan também confessou que teve uma experiência sobrenatural que a fez ter fé. "Vinha na minha mente 'Só o verdadeiro amor salva' e eu passei um tempo pensando o que era esse verdadeiro amor", disse a entrevistada. Depois, ela entendeu que esse amor incondicional só poderia ser o amor de mãe.

Já a conversão para a religião aconteceu por intermédio de uma tia. "Aceitei Jesus pelo telefone, em uma oração. Eu tenho certeza absoluta que se eu não tivesse entregue minha vida a Jesus naquele momento, eu não estaria aqui", contou emocionada.

A morena disse que até hoje os fãs do grupo de axé a reconhecem pelo sorriso e ficam assustados com a mudança da bailarina. "Sou missionária, me converti. Todos ficam muito feliz com o caminho que eu segui", afirmou.

Carreira gospel

No palco do Domingo Show, Débora Brasil foi lançada como cantora gospel. Antes de soltar a voz, a ex-dançarina agradeceu a oportunidade de participar do programa. "Você foi escolhido por Deus para contar a minha história. Eu fui em oração e senti que deveria vir", afirmou a Geraldo Luís.

Durante a entrevista, ela revelou que não esperava que conseguiria fama dançando. “Não foi nada programado. Nunca imaginei fazer sucesso como dançarina. Eu sempre tive o sonho de ser cantora. Nunca dançarina”, confessou.

O apresentador da Record também promoveu o encontro da ex-É o Tchan com a irmã dela, Mabel, que atua como missionária no Japão há 15 anos.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Você está curtindo o programa Se Joga?
Sim, é divertido e leve.
22.27%
Não é horrível, mas também não é bom.
26.34%
Não, achei muito ruim, uma vergonha.
27.00%
Prefiro A Hora da Venenosa.
24.40%

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook