Memória da TV

Em 1987, Silvio Santos tomou Praça da Band duas semanas após estreia

Divulgação/SBT

Telê Santana, Ronald Rios, como a Velha Surda, e Carlos Alberto de Nobrega em A Praça É Nossa - Divulgação/SBT

Telê Santana, Ronald Rios, como a Velha Surda, e Carlos Alberto de Nobrega em A Praça É Nossa

THELL DE CASTRO - Publicado em 10/05/2015, às 16h12

Em 1987, a Band resolveu ressuscitar o formato da Praça da Alegria, célebre programa humorístico criado nos anos 1950 por Manuel de Nóbrega (1913-1976), com versões na TV Paulista, Record e Globo. Para isso, contratou Carlos Alberto de Nóbrega, filho de Manuel, e colocou no ar a Praça Brasil, em 27 de março daquele ano. Mas apenas duas semanas após a estreia, com cinco episódios gravados, quase todo o elenco da atração migrou para o SBT. Nascia A Praça É Nossa, no ar até hoje.

O programa da Band contava com grandes nomes do humor nacional, como Agildo Ribeiro, Consuelo Leandro, Nair Bello, Orival Pessini, Canarinho, Geraldo Alves, Roni Rios e Teobaldo.

O começo foi muito promissor: a estreia marcou 11 pontos e garantiu o segundo lugar para a Band, contra 32 da Globo, 6 da Record e 3 da Manchete e do SBT. Naquela época, cada ponto equivalia a 32 mil domicílios na Grande São Paulo.

Mas a alegria da Band durou pouco. No dia 10 de abril de 1987, Joyce Pascowitch informava em sua coluna na Folha de S.Paulo que Carlos Alberto de Nóbrega e boa parte dos artistas da Praça Brasil estavam de mudança para o SBT.

"Novidade no front da atual guerra entre as emissoras de televisão. Silvio Santos, do SBT, acaba de contratar Carlos Alberto de Nóbrega e todo o elenco do programa Praça Brasil. Ele havia estreado na TV Bandeirantes há duas semanas, conseguindo ótimos índices de audiência. Carlos Alberto foi seduzido por um salário muito maior, com direito a luvas milionárias e o pagamento da multa de rescisão do contrato com sua ex-emissora. A Bandeirantes, além de ficar desfalcada de um apresentador, ainda perdeu o diretor do programa Bronco, que marca a rentrée de Ronald Golias no vídeo. No canal de Silvio Santos, comenta-se que o motivo da troca não foi financeiro, mas sentimental. Carlos Alberto é filho de Manuel da Nóbrega, o homem que inventou o Baú da Felicidade. O coringa do homem-sorriso", escreveu Joyce.

E assim foi feito. Daí que vem o nome A Praça É Nossa, humorístico que o SBT estreou no dia 7 de maio de 1987, com quase todos os nomes da Praça Brasil. A atração, logo de cara, conseguiu excelentes índices no Ibope.

Carlos Alberto de Nóbrega e Silvio Santos na estreia da Praça

Na estreia, Silvio Santos surpreendeu Carlos Alberto de Nóbrega no final do programa com uma participação especial. “Eu vim aqui visitar o meu irmão. E fazer uma entrevista comigo mesmo”, disse. De forma despojada e sem seu tradicional traje dominical, o dono do SBT falou sobre suas três personalidades _o Silvio simples do dia a dia, que gostava de comer melancia e cachorro quente, o animador e o empresário.

Ele explicou porque não participava de outros programas de televisão, apesar de inúmeros pedidos, e que estava na Praça porque Carlos Alberto não era só um funcionário, só um artista, mas "um irmão". “Eu considerava o Manuel como meu pai. Não tinha ninguém. Quando o conheci o Manuel, você, o Golias, todos ficaram sendo a minha família. Você hoje está sentado neste banco, mas se não fosse ele, não teríamos esse banco, nem essa televisão”, disse.

Carlos Alberto chorou muito, principalmente quando Silvio Santos falou de seus filhos.

A Praça Brasil da Band não terminou, pelo contrário. Moacyr Franco não migrou para o canal de Silvio Santos e assumiu o comando do programa. Golias também ficou e Costinha reforçou a atração. A Praça Brasil continuou no ar até 30 de dezembro de 1988, porém sem o mesmo fôlego inicial.

Confira a participação de Silvio Santos em A Praça É Nossa:


► Curta o Notícias da TV no Facebook e fique por dentro de tudo na televisão

► Siga o Notícias da TV no Twitter: @danielkastro

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Como você acha que Rick vai sair de Walking Dead?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook