Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

NO ENCONTRO

Eduardo Bolsonaro insinua que Fátima incentiva masturbação na quarentena

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Montagem de fotos com o deputado federal Eduardo Bolsonaro e a apresentadora Fátima Bernardes

Eduardo Bolsonaro foi ao Twitter para criticar uma pauta do programa de Fátima Bernardes nesta terça (9)

REDAÇÃO

Publicado em 9/6/2020 - 15h06

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) criticou uma discussão sobre abstinência sexual exibida durante o programa Encontro desta terça-feira (9). O filho do presidente da República disse que o horário deveria ser reservado para "desenhos e programação educativa, como ocorria antigamente" e insinuou que Fátima Bernardes fez um incentivo para que o público se masturbe durante a quarentena --o que não aconteceu.

"Dez da manhã, crianças em casa, sem poder ir à escola ou sair pra brincar. O que a Globo deveria exibir? Desenhos e programação educativa, como ocorria antigamente. O que a Globo está exibindo? Fátima Bernardes incentivando que o público se masturbe durante a pandemia", escreveu Eduardo Bolsonaro no Twitter, em referência à extinta TV Globinho (1994-2015).

No entanto, a apresentadora do Encontro não fez apologia à masturbação em nenhum momento do matinal. Uma das pautas do programa era "a vida de solteiro na quarentena", que mostrava os riscos de tentar se relacionar em tempos de pandemia da Covid-19.

A atração criou uma dinâmica, em que um semáforo era exibido no telão, e o psiquiatra Jairo Bouer explicava se determinada situação tinha sinal verde (liberado), amarelo (atenção) ou vermelho (deveria ser evitado) durante a quarentena. O tópico que abriu a discussão foi a falta de sexo.

"A abstinência sexual ou você conseguir ter prazer com você mesmo, alguma forma de você ter prazer com você mesmo são medidas seguras [em relação ao coronavírus, não há risco]. Sinal verde, tá tranquilo, tá liberado. Alguns países até chegaram a recomendar a masturbação como uma possibilidade de obtenção de prazer nesse momento", falou o especialista.

Fátima Bernardes não fez nenhuma menção ao que Bouer explicou e deu sequência ao quadro, com a discussão de outros temas. Além do psiquiatra, a apresentadora conversava com Ana Flávia, uma jovem brasileira de 19 anos que mora em Lisboa, Portugal, e contraiu Covid-19 após se encontrar com um rapaz que ela tinha conhecido em um aplicativo de relacionamento.

Até a publicação deste texto, a crítica de Eduardo Bolsonaro tinha mais de 30 mil curtidas no Twitter. Muitos dos seguidores se colocaram contra o que escreveu o deputado federal e expressaram surpresa ao saber que ele acompanha à programação da Globo, emissora criticada pelos aliados do presidente da República.

"Dudu, se você tiver em casa sem poder sair pra brincar e quiser ver desenho animado, na Netflix tem várias opções", aconselhou Rodrigo Amaral. "Eu não sabia que os pais obrigavam os filhos a assistir Fátima Bernardes", ironizou Cristina Andrade.

Houve também quem o apoiasse. "Esse é o trabalho da Globo, é para isso que eles são pagos. Eu vejo isso como uma oportunidade, Eduardo, os conservadores deveriam criar um conteúdo saudável para que as crianças possam assistir pela internet. Se eu tivesse condições, faria isso. Milhares de pais agradeceriam", pediu Alan K Brasil.

Procurada, a Globo não se manifestou sobre a acusação do deputado federal. Confira o tuíte e os comentários abaixo:

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Qual reality show você acompanhará após o fim do BBB21?