Rogério Gomes

Diretor vira queridinho na Globo e gera fila de espera de novelas

Estevam Avellar/TV Globo

Rogério Gomes, o Papinha, diretor artístico de A Força do Querer: agenda cheia até 2019 - Estevam Avellar/TV Globo

Rogério Gomes, o Papinha, diretor artístico de A Força do Querer: agenda cheia até 2019

DANIEL CASTRO - Publicado em 12/04/2017, às 05h24

Conhecido no mundo das celebridades pelas famosas que já namorou, Rogério Gomes, o Papinha, está acrescentando outra marca a seu "currículo": a de diretor talentoso. Papinha é atualmente o diretor artístico mais disputado da Globo. São tantos os autores que querem trabalhar com ele que a emissora teve de mudar seu planejamento de novelas.

O namorado de Paolla Oliveira está atualmente no comando de A Força do Querer, de Gloria Perez, mas já trabalha na escalação da próxima novela de Aguinaldo Silva, prevista para o primeiro trimestre de 2018. Como Gomes não pode fazer a direção artística de duas ou três novelas simultaneamente, a Globo teve de mexer na fila das tramas das 18h.

Prevista para o início do ano que vem, a nova novela de Elizabeth Jhin ficará para depois. Cederá seu lugar na fila das novelas das seis para Marcos Bernstein, que vem com uma história que se passa na virada do século 19 para o século 20 e mostra a adaptação de uma família tradicional às modernidades da época.

Rogério Gomes com Gloria Perez na apresentação de A Força do Querer à imprensa (João Miguel Jr/Globo)

Assim, Papinha já está com a agenda comprometida até 2019. Na cúpula da Globo, ele está sendo visto como um "toast of the town", expressão em inglês que designa o homem ou a mulher do momento, alguém muito admirado numa comunidade. Entre os diretores artísticos, somente José Luiz Villamarim (Amores Roubados, Justiça) se iguala a Papinha em prestígio.

Filho de Hilton Gomes (1924-1999), locutor que dividiu a primeira bancada do Jornal Nacional com Cid Moreira, Papinha começou na Globo como operador de videotape, em 1980. Dez anos depois, passou a trabalhar em teledramaturgia, inicialmente como editor _Rainha da Sucata (1990), de Silvio de Abreu, foi seu primeiro trabalho.

Papinha cresceu rápido na área. Em 1992, já assinava como diretor de novelas, em Deus nos Acuda. Em 1996, fez sua primeira direção geral (Vira Lata), sob a direção de núcleo de Jorge Fernando. Em 2009, passou a ter status de diretor de núcleo, o equivalente ao atual diretor artístico, o posto mais alto na hierarquia dos estúdios.

Desde então, ele trabalhou com Benedito Ruy Barbosa (Paraíso), Walcyr Carrasco (Morde & Assopra), Elizabeth Jhin (Escrito Nas Estrelas, Amor Eterno Amor e Além do Tempo) e Aguinaldo Silva (Império) _que, aliás, rasgou elogios à direção do primeiro capítulo de A Força do Querer.

Maldosamente, Papinha também é chamado de papa-beldades. A "coleção" começou nos anos 1990, com Deborah Secco, que casou com ele quando tinha apenas 18 anos. Mais recentemente, em 2014, durante Império, teve um romance com Andreia Horta. Em 2015, enquanto gravava Além do Tempo, se encantou por Paolla Oliveira.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Qual é seu programa favorito gravado na quarentena?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook