A Vida como ela é

Dinheiro, vaidade e blefe: os bastidores do reality show de confeiteiros do SBT

Reprodução/Instagram

O ex-jurado do Bake Off Fabrizio Fasano, que não entrou em acordo sobre salário com o SBT - Reprodução/Instagram

O ex-jurado do Bake Off Fabrizio Fasano, que não entrou em acordo sobre salário com o SBT

DANIEL CASTRO e FERNANDA LOPES - Publicado em 30/05/2018, às 16h49

Por trás das saídas de Fabrizio Fasano e Carol Fiorentino do Bake Off Brasil, reality show de confeiteiros do SBT, há uma história que mistura dinheiro, vaidade e blefe. Para renovar contrato e gravar a quarta temporada do programa, os dois jurados exigiram um substancial aumento de salário, que os igualaria aos apresentadores de programas. Fasano ainda tentou emplacar uma atração só dele.

Segundo fontes que acompanharam as negociações, os jurados se apresentaram como indispensáveis e elevaram o tom das conversas. Blefaram. Os executivos do SBT não aceitaram as exigências e conseguiram, facilmente, nomes disponíveis no mercado para substituí-los. No lugar de Fasano, entra Olivier Anquier, ex-GNT. A vaga de Carol Fiorentino ficará com Nadja Haddad _que é jornalista.

Fasano confirma que saiu do reality show por causa de dinheiro e que pediu para ter um segundo programa. "A gente não chegou num acordo. Eu tenho 57 anos, tenho um valor. Não chegamos a um acordo sobre esse valor. E lógico que há um desejo de ter um programa só meu, sempre há. Quem é que trabalha na televisão que não quer ter um programa só seu?", diz Fasano ao Notícias da TV.

Segundo fontes no SBT, Fasano vinha reclamando de seu salário desde a temporada do ano passado. Na negociação que perdurou até a semana passada, o SBT chegou a oferecer um aumento, mas não foi o desejado pelo jurado mais exigente de Bake Off. Quanto ao novo programa, ninguém no SBT lhe deu nenhuma esperança.

Nos bastidores da emissora, circula uma versão ainda mais apimentada. Fasano e Carol teriam descoberto que Beca Milano, igualmente jurada do Bake Off Brasil, ganharia mais do que eles e teriam se rebelado. Todas as partes envolvidas negam.

"Eu acho que foi uma grande falha de comunicação, minha empresária estava falando com eles, estava tudo certo. Mas acho que teve alguma interpretação errada no meio do caminho e ficou assim", defende-se Carol. 

"Eu fiquei tão chocado com a saída da Carol quanto vocês. Não tinha a menor ideia de quanto a Carol ganhava, não quero saber [o salário] da Beca também, não quero saber de p**** nenhuma", desabafa Fasano.

DIVULGAçÃO/SBT

Carol Fiorentino e Fabrizio Fasano durante gravações da terceira temporada do Bake Off

Na semana passada, as conversas, principalmente entre Fabrizio Fasano e o SBT, se tornaram mais tensas. O herdeiro da família Fasano, que se define nas redes sociais como palestrante e fotógrafo, teria sido irredutível e ríspido ao telefone com interlocutores da emissora.

O SBT nega que tenha havido qualquer discussão ou conturbação durante as negociações. Diz que apenas não houve consenso entre o que Carol e Fasano pediam e o que a emissora aceitava pagar. 

No Bake Off, Carol comandava a disputa entre confeiteiros, que a cada semana fazem provas de bolos, tortas e doces em geral. Ela assumiu o posto no ano passado, no lugar de Ticiana Villas-Boas, que abandonou o programa após seu marido, Joesley Batista, ser envolvido em investigações e polêmicas políticas.

Ela e Fasano acreditam que saíram de portas abertas da emissora. Carol diz que tem novos projetos engatilhados, e Fasano segue com a ideia de ter um programa solo _não necessariamente no SBT.

"Tem várias propostas, possibilidades, inclusive em outros lugares. Minhas portas estão superabertas com o SBT, mas também não tenho compromisso nenhum com eles. Ainda não posso falar sobre negociações", conclui.

Leia também

 

 

Enquete

O que você achou do vaivém de Datena na Band?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook