Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

MENTE CRIMINOSA

De Ted Bundy a You: cinco atrações sobre psicopatas para ver na Netflix

Fotos: Reprodução/Netflix

O psicopata da vida real Ted Bundy (à esq.) e o ficcional Joe, vivido por Penn Badgley na série You - Fotos: Reprodução/Netflix

O psicopata da vida real Ted Bundy (à esq.) e o ficcional Joe, vivido por Penn Badgley na série You

REDAÇÃO

Publicado em 25/1/2019 - 10h26

A Netflix estreou na quinta-feira (25) a série documental Conversando com um Serial Killer: Ted Bundy, atração em quatro episódios em que um dos serial killers mais famosos do mundo conta a sua versão da história. Mas a plataforma de streaming oferece diversas opções para quem deseja explorar melhor a mente de um psicopata.

Da ficcional You ao premiado documentário Making a Murderer, o Notícias da TV selecionou cinco séries sobre assassinos. Confira:

Conversando com um Serial Killer: Ted Bundy
O assassino em série Ted Bundy (1946-1989) foi um dos criminosos mais conhecidos dos Estados Unidos. Além de matar, ele roubava e estuprava suas vítimas (inclusive depois de mortas). Antes de ser executado, ele confessou ter assassinado 30 pessoas, mas o real número de homicídios é desconhecido.

Agora, exatos 30 anos depois de ser morto, Bundy volta aos holofotes com a série Conversando com um Serial Killer. A produção resgata fitas que ele gravou e nas quais conta seu lado da história, além de entrevistas atuais com pessoas que o conheceram ou acompanharam seu caso de perto.

You
Inspirada no best-seller de Caroline Kepnes, o drama You ganhou o público da Netflix no fim do ano passado, ao apresentar o psicopata Joe Goldberg (Penn Badgley, de Gossip Girl), que se apaixona pela aspirante a escritora Guinevere Beck (Elizabeth Lail) e faz de tudo para ficar com ela.

O que a princípio parece amor se revela uma obsessão doentia, que fica ainda mais assustadora com a narração da série, na qual Joe revela o quanto é fácil perseguir uma pessoa nos dias de hoje, com a exposição exagerada nas redes sociais. A primeira temporada tem dez episódios, e uma segunda já está a caminho.

Sou um Assassino
Cada um dos dez episódios da série documental conta a história de um condenado por assassinato, sentenciado ao corredor da morte nos Estados Unidos por crimes variados e chocantes. Os próprios criminosos dão seus relatos, de forma brutalmente honesta e sem nenhum filtro ou autocensura.

Há confissões sobre uso de drogas, ciúme, paixão e muitas reviravoltas ao longo de cada capítulo --o caso de James Robertson, que matou um colega de prisão porque teria uma cela melhor na ala onde aguarda sua execução, é surpreendente.

Criminal Minds
Quarta série mais longeva da atualidade, Criminal Minds chegará ao fim no ano que vem, em sua 15ª temporada. Uma delas, a 11ª, está disponível na Netflix. Trata-se de um drama que acompanha um esquadrão de elite do FBI, especializado em análise comportamental, que entra na mente de serial killers e tenta decifrar sua motivação.

Quem assiste aos episódios da série se choca ao descobrir que muitos casos são adaptações de histórias reais, como a de Charles Manson (1934-2007), líder de uma seita que pretendia iniciar uma guerra entre brancos e negros. O próprio Ted Bundy serviu de inspiração para pelo menos oito capítulos do drama.

Making a Murderer
Vencedora de quatro prêmios Emmy em 2016, a série documental Making a Murderer conta a história de Steven Avery, um homem que passou 18 anos na cadeia após ser condenado erroneamente pelo estupro de uma mulher. Solto em 2003, ele foi preso novamente pelo assassinato de uma fotógrafa, Teresa Halbach.

A atração mostra como é construída a imagem de um suposto criminoso. Avery alega que não matou Teresa e foi vítima de uma armação --após ser inocentado da acusação de estupro, ele entrou com um processo em que pedia US$ 36 milhões de indenização pelo tempo que passou na cadeia. Making a Murderer não conclui se ele é culpado ou não, mas pinta um retrato curioso dos dois lados da lei.

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Qual reality show você acompanhará após o fim do BBB21?