Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

No ostracismo

De Galisteu com ouro a Zeca Camargo detetive: os programas esquecidos da TV

Reprodução/Band

Zeca Camargo e Adriane Galisteu tiveram seus programas "esquecíveis" nos anos 2000 - Reprodução/Band

Zeca Camargo e Adriane Galisteu tiveram seus programas "esquecíveis" nos anos 2000

REDAÇÃO

Publicado em 3/11/2017 - 5h22

Nas últimas duas décadas, algumas atrações da TV aberta passaram tão batidas que não tiveram repercussão (nem negativa) suficiente para serem lembradas. Na tentativa de inovar, lançar novos apresentadores ou aproveitar um elenco, as emissoras levaram ao ar atrações duvidosas que foram estrondosos fracassos.

O Jogo, reality exibido na Globo em 2003, é um exemplo. Zeca Camargo comandou participantes em uma competição de investigação, em que tinham que descobrir o assassino de um crime fictício. A própria Globo admite, em registro no Memória Globo, que o formato era confuso e a audiência foi abaixo do esperado.

O Ibope também foi problema para Daniela Cicarelli e Adriane Galisteu na Band. A primeira apresentou um game show de disputa entre homens e mulheres chamado Quem Pode Mais?, que durou só seis meses. Já Galisteu comandou o Toda Sexta, que ficou um ano no ar e foi cancelado após reformulações.

Conheça dez programas que os telespectadores não lembram que existiram:

Reprodução/Band

Daniela Cicarelli no comando do Quem Pode Mais?, que durou apenas seis meses na Band

Quem Pode Mais? (2008)
Após quatro anos na MTV, Daniela Cicarelli estreou na Band em 2008 com o programa Quem Pode Mais?, um game show com oposição entre homens e mulheres. As equipes passavam por provas, e a própria apresentadora interpretava esquetes em que representava profissões pelas perspectivas feminina e masculina. O programa passou por reformulações, como criação de um quadro para formar casais e entrevistas com crianças, mas acabou fora do ar seis meses após a estreia.

divulgação/band

Adriane Galisteu estreou na Band com o Toda Sexta e dava até ouro para os participantes

Toda Sexta (2009)
Toda Sexta foi um programa de auditório que Adriane Galisteu apresentou na Band durante um ano. Os destaques eram os quadros da atração. No Gatos do Calendário, homens bonitos disputavam uma vaga no calendário do mês. Já no Quem Sabe Vale Ouro, pessoas tinham que dar respostas certas para as perguntas da apresentadora, na disputa por um quilo de ouro. O público não se entusiasmou com a atração, que passou de ao vivo para gravada, até ser cancelada por baixa audiência em 2010.

Crédito

Zeca Camargo comandava jogo de detetive no reality show O Jogo, que teve uma temporada

O Jogo (2003)
Depois do sucesso de No Limite (2000-2001), a Globo tentou emplacar outro reality show comandado por Zeca Camargo. O Jogo consistia em 12 participantes em busca de pistas e suspeitos para desvendar um crime fictício. A participante que descobriu o assassino recebeu prêmio de R$ 200 mil.

Considerado confuso e desinteressante, O Jogo passou por reformulações e até ganhou interatividade semelhante ao Você Decide, na qual o público podia ligar para dar seus palpites. Mas não houve salvação: com baixa audiência e derrotas para o SBT, o reality só teve uma temporada.

reprodução/recordTV

A estreia de Gilberto Barros na Record aconteceu no jornalístico Disque Record, em 1998

Disque Record (1998)
A estreia de Gilberto Barros na Record foi com um jornalístico considerado o antecessor do Balanço Geral. Em 1998, ele comandou o Disque Record, exibido na hora do almoço, com pautas sobre problemas enfrentados pela população da Grande São Paulo. A atração terminou em 1999, e Barros só teve sucesso com o Cidade Alerta e com o Leão Livre, que assumiu o horário de Carlos Massa, o Ratinho, contratado com salário milionário pelo SBT.

reprodução/sbt

Portiolli no comando do Tempo de Alegria, que foi apresentado também por Otávio Mesquita

Tempo de Alegria (1997)
Após comandar o Passa ou Repassa, Celso Portiolli ganhou a chance de apresentar seu próprio programa em 1997, o Tempo da Alegria. A atração tinha números musicais, apresentações circenses e até um quadro em que artistas eram desafiados a cumprir provas radicais _Portiolli deu o exemplo pulando de paraquedas. No ano seguinte, ele passou a dividir a apresentação com Otávio Mesquita.

Tempo de Alegria saiu do ar em 1999 e foi o último programa do SBT gravado no Teatro Silvio Santos, antes de toda a produção ser centralizada nos estúdios do complexo da emissora, em Osasco.

reprodução/recordtv

Cenário do Roleta Russa, game show da Record em que participantes caíam em buracos

Roleta Russa (2002)
Com formato da Sony, Roleta Russa foi um game show apresentado por Milton Neves na Record. Os participantes competiam em um jogo de perguntas e respostas com cenário que imitava um tambor de revólver. Os eliminados saíam do palco de forma brusca: caíam num buraco de quase dois metros de altura.

No início, os competidores eram anônimos, mas ao longo do programa convidados famosos começaram a participar, como Dedé Santana e Claudia Leitte. O game show, contudo, não teve fôlego para sobreviver a mais de um ano no ar.

divulgação/globo

Andréa Beltrão interpretava a personagem Radical Chic, que dava nome ao programa da Globo

Radical Chic (1993)
Antes do Casseta & Planeta, Maria Paula apresentou seu próprio game show. Ela comandava o Radical Chic, programa em que equipes de meninos e meninas de escolas diferentes entravam em uma competição de perguntas e respostas sobre o tema da semana. Andréa Beltrão participava da atração com esquetes de humor.

Alguns dos temas do programa foram relacionados a sexo, o que provocou intervenções da Vara de Infância do Rio de Janeiro e a proibição de participantes menores de idade. Como resultado, o programa só ficou oito meses no ar, de abril a dezembro de 1993.

divulgação/sbt

Silvia Abravanel e Décio Piccinini no cenário do Programa Cor-de-Rosa, que durou dois meses

Programa Cor-de-Rosa (2004)
Espécie de Fofocalizando (sem barracos), o Programa Cor-de-Rosa estreou no SBT em agosto de 2004, com Décio Piccinini e Silvia Abravanel no comando. A proposta era oferecer ao público feminino uma variedade de notícias sobre o mundo dos famosos, mas a atração não agradou a Silvio Santos, segundo o jornal Agora. Sem aviso prévio, o programa saiu do ar dois meses após o início e foi substituído por Chaves.

divulgação/sbt

Alexandre Bacci, Claudete Troiano, Ellen Jabour e Francesco Tarallo no cenário do Olha Você

Olha Você (2008)
Outro programa de variedades que fracassou no SBT foi o Olha Você, que ficou no ar durante seis meses entre 2008 e 2009. Com notícias, culinária, entrevistas e pautas de serviço, a atração foi muito comparada ao Hoje em Dia, e Britto Jr. chegou a declarar que, se fosse exibida no mesmo horário de seu então programa, o bicho iria pegar.

Mas o embate nunca aconteceu, e o Olha Você nunca pegou. Comandado por Claudete Troiano, Ellen Jabour, Alexandre Bacci e Francesco Tarallo, chegou ao fim porque "não atingiu as expectativas da emissora e dos telespectadores", segundo o site oficial do SBT.

divulgação/globo

Cazé Peçanha apresentou durante dois meses o Sociedade Anônima, fiasco da Globo

Sociedade Anônima (2001)
Cazé Peçanha fazia tanto sucesso na MTV nos anos 1990 que foi contratado pela Globo. Depois de ficar 15 meses na geladeira, estreou com Sociedade Anônima, atração que promovia gincanas entre a plateia e entrevistas com pessoas comuns. No ar aos domingos, depois do Fantástico, o programa tinha baixa audiência, chegou a registrar a metade do ibope de Silvio Santos e saiu do ar dois meses após a estreia. 

Leia também

Web Stories

+
Como Lázaro Ramos e Taís Araujo: 7 casais formados nos bastidores da GloboSex Education vai ter 4ª temporada? Veja cinco curiosidades sobre a sérieA Fazenda 13: Surto na baia e barraco com ofensas marcam primeira semana do realityQuem é Alanis Guillen? Conheça a Juma Marruá do remake de PantanalHarmonização facial e lente nos dentes: Veja antes e depois dos peões de A Fazenda 13

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Além de Pantanal, qual novela antiga merecia um remake?