Denunciados

De estupro a pedofilia: cinco vezes em que o Big Brother virou caso de polícia

Reprodução/TV Globo

Laércio e Cássio: dois participantes que foram investigados após declarações polêmicas no Big Brother Brasil - Reprodução/TV Globo

Laércio e Cássio: dois participantes que foram investigados após declarações polêmicas no Big Brother Brasil

REDAÇÃO - Publicado em 24/01/2019, às 05h28

Tiago Leifert pegou os participantes do BBB19 de surpresa na quarta (23) ao anunciar que Vanderson havia sido expulso do confinamento para resolver problemas jurídicos. Investigado por estupro, lesão corporal e importunação ofensiva ao pudor após ser denunciado por três ex-namoradas, ele terá de se explicar na polícia. Além dele, a exposição no reality já deixou em evidência atitudes de ex-brothers acusados por abusos, racismo e maus-tratos.

O caso mais memorável é de Laércio de Moura, participante da edição de 2016 que está preso até hoje sob a acusação de ter incentivado uma garota de 13 anos a consumir bebida alcoólica e ter relações sexuais com ele.

Já Cássio Lannes, do BBB14, foi investigado por racismo após o público tomar conhecimento de suas declarações nas redes sociais.

Relembre cinco participantes do BBB que viraram caso de polícia:

REPRODUÇÃO/tv GLOBO

Cássio Lannes, investigado por comentários racistas ao participar da edição de 2014 do BBB

BBB14: Acusação de racismo
Foi após uma conversa com Tatá Werneck (que interpretava a personagem Valdirene em Amor à Vida) no início do BBB14 que a situação de Cássio Lannes se complicou. Ele contou para ela que respondia a um processo criminal e que havia sido acusado de assassinato por ter "atravessado uma afrodescendente" numa relação sexual.

Tatá não continuou a conversa, mas o público ficou indignado e encontrou muitos tuítes racistas do participante, nos quais ele dizia frases como "Saudade de quando ter escravos não era crime". O Ministério Público do Rio de Janeiro recebeu denúncias e o investigou, mas Cássio não chegou a ser punido pela Justiça.

REPRODUÇÃO/tv GLOBO

Do confinamento do BBB, em janeiro de 2016, Laércio foi para a prisão em maio daquele ano

BBB16: Acusação de pedofilia
Nos primeiros dias dentro da casa do BBB, Laércio de Moura revelou que gostava de meninas mais novas (menores de idade), o que deixou Ana Paula Renault indignada. Ela o acusou de ser pedófilo. Fora da casa, internautas descobriram que Laércio curtia páginas de exaltação à etnia branca, a armas e de atração sexual por adolescentes.

O participante começou a ser investigado enquanto o BBB ainda estava no ar. Em maio, ele foi preso, acusado de ter oferecido bebida alcoólica e de ter abusado de uma menina de 13 anos. A polícia encontrou conversas dele com a garota que supostamente comprovaram o assédio. Laércio foi condenado a 12 anos de prisão.

REPRODUÇÃO/tv GLOBO

Daniel Echaniz foi expulso do BBB12 após suspeitas de que ele teria estuprado participante

BBB12: Acusação de estupro na casa
Durante o BBB12, Daniel Echaniz foi acusado de estupro de vulnerável. As câmeras da casa mostraram ele na cama com Monique Amin. A participante estava embriagada, e movimentos intensos embaixo do edredom indicavam que Echaniz estaria transando com ela, sem o seu consentimento.

O público pressionou, e a Globo decidiu expulsar o brother para que ele respondesse à denúncia na Justiça. Monique continuou no programa e deu um depoimento no confessionário em que afirmou não ter sofrido violência sexual. Echaniz, então, foi considerado inocente e o caso foi arquivado.

REPRODUÇÃO/tv GLOBO

Serginho, o angolano do BBB1, foi descoberto e autuado pela Polícia Federal no reality show

BBB1: Acusação de situação ilegal de imigrante
O cabeleireiro Sérgio Tavares, conhecido como Serginho, teve problemas com a Polícia Federal durante a primeira edição do BBB, em 2002. Angolano, ele estava com o visto vencido para morar no Brasil e só poderia continuar aqui se permanecesse empregado no salão de beleza em que trabalhava. Como havia se demitido para entrar no BBB, ficou ilegal no país.

Mesmo com a disputa entre a Polícia Federal e os advogados de defesa acontecendo fora da casa, Serginho se manteve no programa e foi o quarto colocado no reality show. Ele conseguiu regularizar sua situação e mora até hoje no Brasil. 

REPRODUÇÃO/tv GLOBO

Dhomini voltou ao BBB em 2013 e se complicou após contar história mentirosa no programa

BBB13: Acusação de maus-tratos com animais
Dhomini venceu o BBB3, mas quando voltou ao programa em 2013, já sem o dinheiro do prêmio que havia ganhado, causou confusão ao contar uma história aos colegas. O participante relatou que havia quebrado todos os dentes de seu cachorro com um machado, o que atiçou a ira dos protetores dos direitos dos animais.

Um inquérito contra ele foi aberto pela Delegacia de Repressão aos Crimes Contra o Meio Ambiente de Goiás. Se a história fosse verdadeira, Dhomini poderia responder por maus-tratos e incitação de violência. A polícia, no entanto, concluiu que tudo o que o participante havia falado era mentira, e o caso foi encerrado.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Qual novela a Globo deve reprisar depois de Novo Mundo?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook