Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

LUTO

Consagrada na TV e no cinema, atriz Chica Xavier morre aos 88 anos

Reprodução/Instagram

Chica Xavier sorri em foto de julho de 2020, no dia em que ela e seu marido completaram 64 anos juntos

Chica Xavier em foto publicada por Luana Xavier em julho, no dia em que ela e seu marido completaram 64 anos juntos

REDAÇÃO

Publicado em 8/8/2020 - 12h03
Atualizado em 8/8/2020 - 13h14

A atriz Chica Xavier morreu na madrugada deste sábado (8) no Rio de Janeiro, vítima de um câncer de pulmão. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da atriz e pela TV Globo. Ela estava internada no Hospital Vitória, na Barra da Tijuca, e não resistiu a complicações da doença. Chica teve mais de 40 anos de carreira na televisão e também se consagrou no teatro e no cinema.

Nascida em Salvador em 1932, Chica Xavier se mudou para o Rio de Janeiro em 1953 para estudar teatro. Em 1956, se destacou na peça Orfeu da Conceição, encenada no Teatro Municipal do Rio.

Ela estreou na televisão em 1968, na novela Legião dos Esquecidos, da TV Excelsior, e foi contratada pela Globo no ano seguinte. Na emissora, atuou e se destacou em novelas como Saramandaia (1976), Sinhá Moça (1986), Dancin' Days (1978), Renascer (1993) e Força de um Desejo (1999).

Chica atuou em 26 novelas, 11 minisséries e dez especiais na Globo. Seu último trabalho na emissora foi como a personagem Cleonice de Cheias de Charme (2012).

Na televisão, a atriz também participou de produções do Futura, da Band e e da Manchete. Sua presença na TV desde os anos 60 foi muito marcante para a representatividade negra na mídia.

No cinema, Chica atuou em 11 filmes. Sua estreia foi em O Assalto do Trem Pagador, em 1962. Tambám participou de A Partilha (2001) e Nosso Lar (2010), por exemplo.

Além do trabalho como atriz, Chica teve atividade marcante como mãe de santo. Ela fundou o terreiro Irmandade do Cercado do Boiadeiro, no Rio de Janeiro, há quase 35 anos. Em 1999, ela lançou um livro reunindo suas cantigas religiosas de umbanda, chamado Chica Xavier Canta Sua Prosa: Cantigas, Louvaçõs e Rezas para os Orixás.

Em 2010, recebeu o Troféu Palmares, concedido pela Fundação Palmares e pelo (hoje extinto) ministério da Cultura, por sua contribuição às artes e à cultura afro-brasileira.

Chica Xavier deixa filhos, netos e o marido, o também ator Clementino Kelé, com quem se casou em 1956. O enterro dela acontecerá no domingo (9), no cemitério Jardim da Saudade, no Rio de Janeiro. Será restrito para familiares e amigos.

Familiares lamentam

O jornalista Ernesto Xavier, neto da atriz e editor da revista GQ Brasil, se despediu da avó dizendo que ela "não era desse planeta" e atribuiu a ela o fato de ter aprendido a amar o próximo. "Ontem ela se despediu de mim. Disse “até amanhã” com certo esforço. Agradeci por ter nascido nesta família, por ter seu sangue correndo em mim, por ter cuidado de mim e de tantos outros, por ter me ensinado a amar. Viva Chica Xavier! Viva sua história! Hoje é dia de festa no Orun", escreveu.

Ver essa foto no Instagram

Quando pequeno eu tinha dificuldade de entender porque as pessoas queriam tanto chegar perto dela. Ela era minha avó. Para os outros ela era Chica Xavier: uma das maiores artistas do país. Quando cresci compreendi o seu tamanho. Percebi que teria que dividi-la com o mundo. Hoje recebi centenas de mensagens de carinho. Agradeço imensamente. Quero celebrá-la. Vó Chica foi o ser mais incrível que vi passar pela Terra. Quem a conheceu sabe queria não era desse planeta. Ontem ela se despediu de mim. Disse “até amanhã” com certo esforço. Agradeci por ter nascido nesta família, por ter seu sangue correndo em mim, por ter cuidado de mim e de tantos outros, por ter me ensinado a amar. Viva Chica Xavier! Viva sua história! Hoje é dia de festa no Orun. #ChicaXavier

Uma publicação compartilhada por Ernesto Xavier (@ernestoxavier) em

A atriz Lua Xavier, neta de Chica, também se manifestou, mas foi mais econômica nas palavras. "Amigos e amigas, obrigada por todas as mensagens de carinho e homenagens. Por aqui estamos organizando as despedidas finais e nos consolando em família", escreveu no Instagram.

Despedidas

Nas redes sociais, famosos publicaram textos e fotos em homenagem a Chica Xavier. No Instagram, Lázaro Ramos escreveu: "Obrigado Dona Chica por inspirar e se doar como se doou. Obrigado pelo amor e talento que nos ofereceu. Obrigado por ser a prova da possibilidade de um amor duradouro como o seu com Seu Lelé. E obrigado por ser essa presença nobre que a senhora era em cada aparição na televisão. Pra um jovem sonhador foi o sinal que eu precisava para saber que era possível"

Ver essa foto no Instagram

Hoje as lagrimas correm como um Rio. Dona Chica Xavier é uma das pessoas mais especiais que conheci na vida. Quando ainda na Bahia eu sonhava em ser ator era ela uma das minhasinspirações. Cheguei ao Rio e tive o privilégio de trabalhar com ela e generosamente como fazia com todos ela me acolheu, me passou ensinamentos, me apresentou a sua linda família, e abriu as portas da sua casa para que eu soubesse que ali onde ela era yalorixa era um lugar de fé e acolhimento. Obrigado Dona Chica por inspirar e se doar como se doou. Obrigado pelo amor e talento que nos ofereceu. Obrigado por ser a prova da possibilidade de um amor duradouro como o seu com Seu kelé. Obrigado por inspirar e trazer pra nós seus netos e queridos amigos @luaxavier E @ernestoxavier. E obrigado por ser essa presenca nobre que a senhora era em cada aparição na televisão. Pra um jovem sonhador foi o sinal que eu precisava para saber que era possível. Vou chorar muito, mas também terei a certeza de que a senhora, professor Jorge Portugal e professor Jaime Sodré estarão cumprindo as suas funções de ancestrais, cuidando de nós e nos inspirando. Axé Mãe Chica.

Uma publicação compartilhada por Lázaro Ramos (@olazaroramos) em

Taís Araujo fez questão de demonstrar toda sua admiração por Chica Xavier. "O céu recebe hoje a nobreza. Entre nós vivia uma nobre, uma rainha elegante, sábia, afetuosa, agregadora, ombro e colo para muitos. Salve a rainha Chica Xavier!", comentou no Instagram.

Cacau Protásio também se pronunciou: "Muita festa hoje no céu! A rainha Chica Xavier subiu, ela está agora ao lado do nosso senhor Jesus Cristo. Eu cresci vendo essa mulher abrindo portas, ela me fez acreditar que seria possível. Vai com Deus! Obrigada".

O ator Érico Brás publicou uma foto de Chica Xavier como homenagem, e na legenda ele disse:

Ver essa foto no Instagram

Mais uma Rainha que se vai e deixa um legado incrível. Descanse em paz, Chica Xavier.

Uma publicação compartilhada por Érico Brás (@ericobras) em

Camila Pitanga usou suas redes sociais para lembrar da importância de Chica Xavier como mulher negra na televisão:

Solange Couto usou uma imagem na qual aparece abraçada a Chica Xavier, e agradeceu todos os ensinamentos que recebeu da veterana:

Suzana Pires, atriz e roteirista, destacou que Chica foi sua referência como artista. "Um grande ícone das artes, referência artística, espiritual e humana. Uma mulher que durante toda a sua vida trouxe paz e arte onde esteve. Construiu uma família linda, de pessoas honradas e comprometidas. Chica, que a gente siga honrando todo seu talento, sua garra e sua fé. Sua continuidade é fato", publicou no Instagram.

No Twitter, o ator Armando Babaioff escreveu: "Chica Xavier. Uma das maiores atrizes desse país. Obrigado por tanto, tanto". A autora Gloria Perez demonstrou tristeza pela morte da atriz. "E 2020 levou a Chica Xavier. A querida Chica. O sábado amanheceu triste", escreveu numa homenagem à artista no Instagram.

Nota de pesar

A Globo, onde Chica Xavier ganhou maior reconhecimento do público por seu trabalho, emitiu uma nota oficial de pesar pela morte da artista. Confira o comunicado na íntegra:

"Diz o ditado que baiano não nasce, estreia. Não à toa, o estado da Bahia passou a ser conhecido como verdadeiro berço de talentos da arte e da cultura brasileira. Neste sábado, dia 8, a Boa Terra perdeu uma referência de sua história artística. Francisca Xavier Queiroz de Jesus, ou simplesmente Chica Xavier, morreu aos 88 anos, no Rio de Janeiro, em decorrência de um câncer no pulmão que foi descoberto em estágio avançado. Uma precursora, símbolo de gerações de atrizes e atores negros, de representatividade, que trazia em cada cena ou fala traços latentes de baianidade. Nunca negou a origem. Um sorriso inconfundível, que bastava ser visto uma vez para não mais esquecer.

Conhecida por papéis emblemáticos e que marcaram a memória afetiva do público na TV, no cinema e no teatro, Chica Xavier mudou-se para o Rio de Janeiro em 1953, aos 21 anos, com o sonho de se aprofundar na arte. O companheiro de uma vida foi o também ator Clementino Kelé, com quem no último mês de julho completou 64 anos de casada. Começaram este matrimônio justamente no mesmo ano de 1956 que encenaram a primeira peça de suas carreiras: "Orfeu da Conceição", de Vinícius de Moraes. Recentemente, em uma entrevista, ela foi simples e direta sobre a relação com o marido: "Sou Chica Xavier, mas mais do que isso, eu sou Chica de Kelé". A união gerou três filhos - Christina, Izabela e Clementino Junior - e três netos - Ernesto Junior, Luana Xavier e Oranyan.

No cinema, estreou em 1962, no filme "Assalto ao Trem Pagador", dirigido por Roberto Farias. Participou de inúmeras novelas na TV Globo. A primeira delas foi ‘Os Ossos do Barão’, quando interpretou a personagem Rosa, em 1973. A novela marcou o início da carreira dela na TV. Desde então, foram mais de 50 personagens só na televisão, como a Bá, de ‘Sinhá Moça’, Inácia, de ‘Renascer’ e a mãe-de-santo Magé Bassã da minissérie 'Tenda dos Milagres'. Esteve presente em outras novelas, como ‘Pátria Minha’, ‘Cara & Coroa’, ‘Rei do Gado’, ‘Força de um Desejo’. O trabalho mais recente na emissora foi na novela ‘Cheias de Charme’, em 2012. Na última quarta-feira, Chica Xavier deu entrada em um hospital na Zona Oeste do Rio de Janeiro com um quadro de desconforto respiratório contínuo.

Em 2010, recebeu o Troféu Palmares concedido pelo MINc, através da Fundação Cultural Palmares, pelo trabalho de preservação e incentivo à cultura afro-brasileira. Em 2011, foi homenageada ao dar o nome ao Centro Cultural Atriz Chica Xavier do projeto. No Palco da Vida, que também abriga o acervo de sua brilhante carreira no Teatro, TV e Cinema. Já em 2013 a biografia "Chica Xavier: Mãe do Brasil" foi lançada. Escrita por Teresa Montero, o livro registra toda trajetória desse ícone da dramaturgia brasileira".

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Quem deve ser a nova Juma Marruá?