Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

POSIÇÕES CONSERVADORAS

Cinco vezes em que o Aqui na Band defendeu Jair Bolsonaro e chocou a web

REPRODUÇÃO/BAND

Imagem de Luís Ernesto Lacombe e Nathália Batista apresentando o Aqui na Band de terça (23)

Luís Ernesto Lacombe e Nathália Batista comandam o Aqui na Band; apresentadores foram afastados

REDAÇÃO

Publicado em 25/6/2020 - 14h01

Após a notícia do afastamento de Luís Ernesto Lacombe e Nathália Batista do programa Aqui na Band, decidido pela diretoria da emissora e causado por uma briga interna da área de Entretenimento com o Jornalismo por causa de pautas tendenciosas em favor de Jair Bolsonaro, internautas passaram a associar o programa ao presidente.

O acontecimento mais recente com relação ao governo foi o debate sobre conservadorismo que aconteceu na última terça-feira (23) e contou com o jornalista Allan dos Santos e o autor Flávio Morgenstern, ambos apoiadores do presidente da República, como convidados. Os profissionais do departamento de Jornalismo consideraram inadequado o programa ter convidado Allan, investigado pela Polícia Federal por disseminação de fake news.

Antes disso, Bolsonaro já havia sido defendido dentro do programa em outras ocasiões, especialmente por parte de Lacombe. Vildomar Batista, diretor-geral e criador da atração, por sua vez, chegou a ter discussões ríspidas ao telefone com Fernando Mitre e Rodolfo Schneider, respectivamente diretor nacional e diretor executivo de Jornalismo, por causa do conteúdo do matinal.

Nas redes sociais, internautas apontam que a decisão da Band foi tomada principalmente devido ao apoio de Lacombe ao presidente. Alguns acusaram a emissora de censurar conteúdo conservador, enquanto outros apostam que o apresentador será contratado pelo governo. Veja:

Confira abaixo cinco momentos em que o Aqui na Band defendeu o governo de Jair Bolsonaro e dividiu opiniões na web:

Debate sobre conservadorismo

Como já citado, em 23 de junho o programa recebeu os bolsonaristas Flávio Morgenstern e Allan dos Santos para falar sobre conservadorismo. O debate, além de contar com dois convidados com a mesma visão política, recebeu um dos alvos de investigação da Polícia Federal no caso das fake news.

Os diretores da emissora não gostaram nem um pouco, e Fernando Mitre, inclusive, usou as redes sociais para esclarecer que ele e Schneider não tinham nenhuma responsabilidade sobre o programa. Confira um trecho da entrevista:

'Quem mandou matar Jair Bolsonaro?'

Em 11 de maio, foi ao ar no programa um debate sobre a facada de Adélio Bispo contra Bolsonaro durante sua campanha eleitoral em 2018. A conversa insinuava que o atentado havia sido ordenado por alguém e causou um "mal-estar" na emissora, visto que a Polícia Federal concluiu que o crime aconteceu sem mandante.

O diretor de Comunicação, Caio Luiz de Carvalho, declarou que o material exibido "não condiz com a linha editorial do grupo" e não foi submetido, como deveria, à prévia apreciação do departamento de Jornalismo.

Lacombe x Joice Hasselmann

Em 28 de abril, o Aqui na Band recebeu a deputada federal Joice Hasselmann (PSL) e o senador Major Olímpio (PSL), que passaram a discordar das posturas de Jair Bolsonaro e explicaram seus motivos.

Quando Joice afirmou que o presidente perdeu apoio popular após a saída de Sergio Moro do Ministério da Justiça, Lacombe discordou e defendeu que as manifestações nas ruas eram apenas a favor do governo, e não contra. A deputada argumentou que isso era devido ao isolamento social, mas os dois começaram a discutir. Assista:

Lacombe x Silvia Poppovic

Uma das discussões acaloradas entre Luís Ernesto Lacombe e a ex-apresentadora Silvia Poppovic aconteceu em 3 de fevereiro, quando o apresentador afirmou que Bolsonaro nunca havia tomado nenhuma medida contra a comunidade LGBTQ+. Silvia discordou do colega, dizendo que ele fez declarações preconceituosas.

Ainda assim, Lacombe defendeu a postura do presidente, disse que ele falou bobagens a vida inteira mesmo, mas insistiu que nada mudou para os LGBTQ+. A apresentadora foi demitida da Band em abril. Relembre a discussão:

'Bolsonaro não pode ser chamado de fascista'

Após José de Abreu atacar Regina Duarte por ter aceitado o cargo de secretária especial da Cultura, Lacombe fez críticas ao ator, que declarou que o governo de Jair Bolsonaro é fascista. O apresentador afirmou que o presidente não pode ser chamado disso e ressaltou que ele jamais fez qualquer tipo de censura. 

No programa de 31 de janeiro, os humoristas Marcelo Marrom e Nizo Neto foram convidados para comentar as declarações de José de Abreu a Regina Duarte. Veja:

Leia também

Enquete

Qual a melhor novela no ar atualmente?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.