ESGOTOU RECURSO

Após 4 anos de briga na Justiça, Porta dos Fundos ganha processo contra Botafogo

REPRODUÇÃO/YOUTUBE

Os atores João Vicente de Castro e Rafael Infante no esquete Patrocínio, do canal do YouTube Porta dos Fundos

João Vicente de Castro e Rafael Infante no esquete Patrocínio, do Porta dos Fundos, que causou briga judicial

REDAÇÃO - Publicado em 01/11/2019, às 11h58

Após quatro anos de briga na Justiça, o canal do YouTube Porta dos Fundos ganhou em todas as instâncias o processo movido pelo time Botafogo. Em 2015, o clube carioca se irritou com o vídeo intitulado Patrocínio, em que o coletivo de humor tirava sarro da camisa do alvinegro daquele ano, que estampava muitos patrocinadores no uniforme.

"É com imenso prazer que comunicamos que o Botafogo de Futebol e Regatas perdeu", comemorou o grupo em foto publicada nas redes sociais. A legenda acompanha uma foto que mostra o placar 3 x 0 para o grupo criado por Antonio Tabet, Fabio Porchat, Gregorio Duvivier, Ian SBF e João Vicente de Castro. 

Pela derrota em 3ª instância, O Botafogo não pode mais recorrer da decisão deferida na noite de quinta (31), e o clube carioca terá que pagar os honorários advocatícios do coletivo de humor. Por conta disso, o canal debochou do time, mais uma vez.  

"O Porta dos Fundos se solidariza com os torcedores do alvinegro carioca --vários deles trabalhando conosco-- que terão de testemunhar o clube pagando, talvez com verba de patrocinadores, os nossos advogados", escreveu o coletivo. 

No comunicado publicado nas redes sociais, o Porta ressaltou que "o facho de luz da liberdade de expressão não pode se apagar".

Confira a publicação do Porta dos Fundos na íntegra: 


Entenda o caso

Em 2015, o Botafogo fechou com vários patrocinadores do varejo e estampou as marcas no uniforme do time, que mostrou anúncios durante as partidas finais do Campeonato Carioca.

O Porta dos Fundos brincou com a situação e fez um vídeo com a camisa da Adidas do Flamengo, rival do alvinegro, na sede da Gávea. A sátira mostrou João Vicente de Castro e Rafael Infante como jogadores de futebol em uma barreira de pênalti. 

Castro, como flamenguista, repara nos diversos anúncios na camisa do adversário, interpretado por Infante, que faz propaganda de aulas de violão, jantares e até liquidificador. O primeiro até pede para anunciar seu carro velho na camisa do rival.

A piada gerou revolta entre os torcedores do Botafogo. O clube se sentiu lesado e decidiu processar o Porta dos Fundos por ter utilizado o escudo do Botafogo no esquete, mas perdeu.

O Porta chegou a retirar o vídeo do ar, mas, após vencer o processo em 2ª instância, em janeiro de 2018, republicou o esquete em seu canal no mês seguinte. Assista: 

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Qual novela a Globo deve passar após Fina Estampa?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook