Sexta temporada

Sexy aos 72 anos, Susan Sarandon tira série Ray Donovan da mesmice

Imagens: Divulgação/Showtime

A atriz Susan Sarandon em imagem da sexta temporada de Ray Donovan, série do canal HBO - Imagens: Divulgação/Showtime

A atriz Susan Sarandon em imagem da sexta temporada de Ray Donovan, série do canal HBO

JOÃO DA PAZ - Publicado em 08/11/2018, às 05h15

Sem querer querendo, Susan Sarandon virou a última esperança de Ray Donovan. A  atriz veterana de Hollywood, vencedora do Oscar, entrou para o elenco fixo do drama e tirou a série da mesmice ao dar vida a uma personagem que muda a cara da atração. Aos 72 anos, ela esbanja sensualidade e é um elemento novo para salvar Ray Donovan do cancelamento.

A sexta temporada da série estreia nesta sexta (9), às 21h, na HBO. Desde 2013, Ray Donovan anda em círculos. O fixer que dá nome à produção, vivido pelo competente Liev Schreiber, sempre se vê ao lado de uma femme fatale enquanto livra gente famosa das mais absurdas enrascadas. A repetição da fórmula cansa, pois o nosso querido anti-herói já passou por todos os perrengues imagináveis.

No novo ano, Susan entra em cena com mais vigor e refresca o ar da trama. A atriz vive a empresária Samantha Winslow.

Na temporada passada, ela apareceu pouco, como uma chefe de um estúdio hollywoodiano que contratou os serviços de Donovan. Agora, a série se muda de Los Angeles para Nova York, e Samantha vai junto. Ela tem mais interações com o fixer e, de novo, pedirá uma ajudinha ao especialista que faz escândalos desaparecerem.

Samantha exala sensualidade e dá brecha ao telespectador imaginar, inclusive, um romance com Donovan. Sempre com um copo de bebida na mão, a magnata de fala mansa e gestos suaves conquista. Ousada, ela tem uma vida sexual bem ativa.

Liev Schreiber agora tem mais interações com Susan Sarandon em Ray Donovan; você shippa?

Nesta temporada, o império de Samantha expandiu. Ela adquiriu uma tal de FeatureFlix (alô, criatividade?), a maior plataforma de streaming do universo da série, por US$ 75 bilhões. A ambiciosa executiva precisa de um imóvel para fazer dele a sede da empresa sob nova direção. O local escolhido é uma prisão em Nova York.

Mas o atual prefeito da cidade recusa a oferta de Samantha. Em ano de eleição, a empresária investe muito dinheiro para que uma advogada chamada Anita Novak (Lola Gaudini) ganhe o pleito. Entra Donovan, que precisa ajudar Anita a virar a nova prefeita de Nova York. Só assim a prisão será repassada para a magnata.

Mais do mesmo
Os problemas com os parentes de Donovan continuam os mesmos. São os irmãos envolvidos em trapalhadas e o pai malandro, defendido com maestria por Jon Voight, sempre no meio de confusões com a polícia. Essa parte da série vem para preencher os longos episódios de 50 minutos de duração e acaba sendo um mal necessário. Mas causa certa fadiga.

A força de Susan e Schreiber é o que faz Ray Donovan ainda merecer ser vista. Um eventual cancelamento após essa temporada não diminuirá de forma alguma a importância da série, que chegará ao fim apenas porque esgotou as histórias que poderia contar. Se for renovada, Susan merece boa parte do crédito.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

O que você espera de O Sétimo Guardião?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook