Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

TODAS AS GAROTAS EM MIM

Sem autora, Record lança Malhação bíblica: 'Longe ser careta', diz diretor

ANTONIO CHAHESTIAN/RECORD

Rudi Lagemann está sentado em poltrona e fala ao microfone durante coletiva de imprensa de Todas as Garotas em Mim

Rudi Lagemann, o Foguinho, diretor de Todas as Garotas em Mim em lançamento de série da Record

LUANA BENEDITO

luanab@noticiasdatv.com

Publicado em 1/6/2022 - 6h25

Sucessora de Reis, a "Malhação bíblica" da Record não vai apenas "evangelizar" os jovens. De acordo com o diretor artístico Rudi Lagemann, a série Todas as Garotas em Mim abordará temas sensíveis como sexualidade, depressão e adultização. "Longe de ser careta", assegurou ele, que também  é conhecido como Foguinho e representou a obra durante o evento de lançamento. A autora, Stephanie Ribeiro, não compareceu por questões pessoais, segundo a comunicação da emissora. 

Nesta terça-feira (31), a Record reuniu jornalistas em São Paulo com os atores, incluindo Mharessa Fernanda, a intérprete da protagonista Mirela, além de Anderson Souza, diretor de Dramaturgia da emissora de Edir Macedo, e Lagemann. Em entrevista ao Notícias da TV, o comandante da série diz acreditar que a história encontrará um público novo, e que não teme rejeição dos jovens à temática religiosa.

"Acho que essa questão da religiosidade, da juventude, sempre tem... Me lembro que na minha época de garoto também falavam isso, que a juventude não estava muito ligada, mas sempre tem um público ligado e presente nisso", opina Foguinho. "Ao mesmo tempo, eu acho que existe aqui, pela linguagem utilizada, que é de um universo mais juvenil, da internet e tal, eu acho que isso vai atrair uma garotada, e eles vão se identificar", acrescenta. 

Na série, a influenciadora digital Mirela percorrerá as histórias de mulheres bíblicas contadas pela avó Isis (Adriana Garambone). O diretor contou que as tramas dos personagens históricos serão baseadas nas escrituras, mas a caracterização ganhará ares descolados, com licença artística, pois será a interpretação da adolescente. 

"A gente trouxe assuntos e temas caros à emissora, questões de história bíblica, que a gente trouxe numa roupagem mais contemporânea e atual. A gente teve liberdade para fazer isso", completa Lagemann. 

Ele ainda entrega os dramas aos quais o público poderá assistir em Todas as Garotas em Mim: 

Tem coisas mais sérias, inclusive, não só da sexualidade, que é, claro, uma coisa importante para o jovem, que ele descobre isso e diz: 'Uau, a vida tem isso também'. Mas tem outras questões muito importantes que a gente vai tratar na série, que eu nem tive como comentar --porque isso vem no decorrer das temporadas-- que é a questão da depressão. A OMS [Organização Mundial de Saúde] diz que tem de 10 a 20% atingidos pela depressão. A gente toca nesse assunto de uma maneira muito forte.

As temáticas sociais não irão parar por aí, segundo o diretor. A adultização das crianças por conta da internet também será abordada, além dos problemas familiares e relações interpessoais. "Longe de ser careta, não tem nada de careta. Tem personagens que trazem dramas reais, cruciais, e que a gente não enfoca de maneira careta, não." 

Edu moraes/record

Rudi Lagemann com elenco

Foguinho (de máscara) com parte do elenco da série

Ausência de atores negros no elenco

Logo quando os atores da obra foram divulgados, muitas críticas surgiram nas redes sociais pela ausência de artistas negros no elenco fixo -- majoritariamente branco, com exceção de Lidi Lisboa. Lagemann diz entender a cobrança por representatividade, mas justifica a escolha. 

"Tem que lembrar que a série se passa em Florianópolis [Santa Catarina] e  Gramado [Rio Grande do Sul]. Na verdade, o recorte étnico é desse local. Se você viajar até lá e vai ver que é uma questão da imigração do lugar. É igual eu ir a Tóquio e ficar colocando norueguês no elenco, não dá certo", argumenta. 

O diretor conta que quando as histórias viajam e vão para outros lugares há uma diversidade maior em cena. "Eu entendo, acho que as pessoas devem defender o seu espaço, mas acho que elas olharam as fotos não sabiam do que se tratava série", conclui. 

Todas as Garotas em Mim estreia na próxima terça-feira (7), às 21h. A série conta com Juan Alba, Juliana Knust, Angelo Paes Leme, Rhaisa Batista e Manuela do Monte no elenco.  


Leia também

Enquete

Qual o personagem mais chato de Pantanal?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.