Dickinson

Por que série da Apple ambientada no século 19 toca músicas modernas?

Divulgação/Apple

Anna Baryshnikov mexe o esqueleto enquanto Gus Halper requebra ao som de um rap na série Dickinson

Anna Baryshnikov mexe o esqueleto enquanto Gus Halper requebra ao som de um rap na série Dickinson

JOÃO DA PAZ - Publicado em 25/11/2019, às 05h07

Acompanhar Dickinson, série da Apple sobre a poetisa americana Emily Dickinson (1830-1886), é uma experiência curiosa. Durante uma festa na casa da protagonista, vivida por Hailee Steinfeld, jovens do século 19 usam ópio e passam a dançar ao som de um pop de 2016. É só um exemplo das músicas modernas que tocam nos episódios da comédia.

Mas por que uma série de época toca poucos sons das "paradas de sucesso" daquela época, como os clássicos de Beethoven (1770-1827), para abrir espaço a canções modernas? Além de seguir a proposta de mostrar uma Emily Dickinson vanguardista e mais próxima da realidade atual, a tática tem a ver com o rentável aplicativo de música da Apple.

Em entrevista ao site The Hollywood Reporter, a criadora Alena Smith não escondeu que o Apple Music influenciou nas escolhas do cancioneiro pop de hoje em dia para formar a trilha sonora da série. "Com certeza foi uma das melhores coisas da parceria com a Apple", disse Alena ao comentar sobre a possibilidade de usar músicas modernas em Dickinson e colocá-las no aplicativo da empresa.

Ela contou que "quanto mais atuais as composições, melhor". Antes das gravações da série, a produtora teve um encontro com David Taylor, executivo da divisão musical da Apple, que lhe apresentou uma música da cantora americana Billie Eilish, que sequer tinha sido lançada. Intitulada de Bury a Friend (Enterre um Amigo, de 2019), a canção entrou no primeiro episódio, em cena na qual Emily tem um encontro com a Morte, personagem vivido pelo rapper Wiz Khalifa.

Dickinson chegou para dar uma nova cara à poetisa, apagando a imagem de uma mulher frágil e reclusa. A atração exalta a sagacidade da jovem, rebelde, atrevida, aberta a novas experiências sexuais e determinada a quebrar tabus. Ela decepcionou os pais e a sociedade, que esperavam dela uma mulher que se casaria e formaria família. E as músicas têm um papel fundamental para ajudar a contar essa história.

reprodução/apple

Hailee Steinfeld ao lado de um piano na série Dickinson; cantora lançou uma música inédita


Aumenta o volume

A comédia com pitadas de drama é eclética: tem hip-hop, pop, punk, música eletrônica... Isso dá ao telespectador momentos prazerosos, como ouvir o rap Praise The Lord (Da Shine), de A$AP Rocky, do ano passado, na cena em que a mãe de Emily dá uma bronca nela, dizendo que a filha iria destruir a família. A letra diz para o ouvinte não perder o foco e "criar, explorar e conquistar".

De 2016 vem a trilha presente no primeiro orgasmo de Emily na série: a balada misturada com rock Your Best American Girl (Sua Melhor Garota Americana), uma canção da nipo-americana Mitski, casa muito bem com o momento.

O som I Like Tuh (Eu Gosto De, de 2015), de DJ Carnage e iLoveMakonnen, toca durante a festinha de Dickinson em que a droga rola solta. Como contraste, os personagens fazem uma dança tradicional, uma espécie de quadrilha de festa junina.

De repente, todos perdem a linha e descem até o chão. E o som que acompanha a festa inclui um verso bem propício: "Eu gosto de fumar toda essa maconha sozinho... E fazer essas branquelas rebolarem".

Há outros momentos magníficos, como quando Emily se veste de menino e toca Boys (Garotos, de 2018), da rapper Lizzo. Ou quando Emily finge estar doente para ficar em paz e poder escrever suas poesias ao som de Feeling Good (Sentindo-se Bem, de 2017), da dupla Danger Twin, que acompanhada de bateria, guitarra e teclado canta: "Hoje é o meu dia, do meu jeito, e nada vai me impedir."

Indicada ao Oscar, a atriz Hailee Steinfeld também é cantora e aproveita a onda para lançar um trabalho novo, Afterlife (Vida Após a Morte). Hailee escreveu a letra dessa canção usando a vida de Emily Dicikinson como inspiração.

Para quem quiser ouvir as músicas de Dickinson, basta pesquisar pelo nome da série no Apple Music que uma playlist com essas e outras canções irá aparecer. Também é possível escutá-las no Spotify, em listas feitas pelos fãs.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

O que falta para Amor de Mãe conquistar mais audiência?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook