Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

Em Las Vegas

Para comemorar aniversário de 20 anos, TV americana quer revival de CSI

Divulgação/CBS

O ator William Petersen, ícone de CSI (2000-2015), em cena da série que revolucionou o gênero policial

O ator William Petersen, ícone de CSI (2000-2015), em cena da série que revolucionou o gênero policial

REDAÇÃO

Publicado em 10/2/2020 - 17h02

Um dos principais dramas da TV tem tudo para voltar ao ar. A rede CBS quer fazer um revival de CSI (2000-2015), com direito aos atores originais, para celebrar o aniversário de 20 anos da série policial, que será comemorado em outubro. O especial, que pode ser uma minissérie com poucos capítulos, será ambientado na cidade de Las Vegas.

Essa notícia foi publicada pelos sites Deadline e Variety, nesta segunda-feira (10). As duas publicações dizem que o projeto está nos primeiros estágios de desenvolvimento. Anthony Zuiker, o criador de CSI, é quem está mexendo os pauzinhos para concretizar esse revival. Ele tem conversado com Jerry Bruckheimer, um dos produtores-executivos da icônica série, para ver o que pode ser feito.

O Deadline informa que os atores William Petersen e Jorja Fox foram procurados pelo time de Zuiker, mas nenhuma oferta formal foi apresentada. Petersen é o grande símbolo de CSI, por viver durante as nove primeiras temporadas o policial forense Gil Grissom. Por sua vez, Jorja apareceu em todas as temporadas, na pele da cientista Sara Sidle.

Em 2015, o fim de CSI foi decretado, e a trama acabou em um telefilme, Immortality (Imortalidade). Se vingar, a minissérie será uma continuação dessa história.

Um fenômeno

CSI revolucionou o gênero policial procedural ao mostrar policiais que resolviam crimes investigando detalhes que passavam despercebidos ao olho nu, usando apetrechos tecnológicos avançados.

O auge de CSI foi entre os anos de 2002 e 2006, quando figurou nas três primeiras colocações no ranking de audiência da TV norte-americana. O pico foi alcançado em 2003, com a terceira temporada, quando a série foi líder de audiência, com média de 26,12 milhões de telespectadores por episódio. A 15ª (e última) leva de episódios teve um público médio bem inferior, de 8,26 milhões.

A popularidade não rendeu grandes prêmios. CSI perdeu três vezes a disputa de melhor drama no Emmy (2002, 2003 e 2004). No total, foi indicada 39 vezes ao maior prêmio da TV dos EUA. Ganhou seis, todas em categorias técnicas, como edição de som (2003), fotografia (2006 e 2010) e efeitos visuais (2010).

CSI: Miami (2002-2012), CSI: NY (2004-2013) e CSI: Cyber (2015-2016) foram os filhotes deixados pela série.

No Brasil, CSI alcançou fama na Record, onde chegou a ser exibida no horário nobre para concorrer com a então novela das oito da Globo. Aliás, a série continua no ar na emissora do Edir Macedo. Todas as 15 temporadas de CSI também estão disponíveis no Now. E as versões ambientadas em Miami e Nova York podem ser assistidas no canal TNT Séries.

TUDO SOBRE

CSI

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Quem deve ser a nova Juma Marruá?