CENAS EXTREMAS

Elenco de The Boys se choca com HQ violenta: 'Não é para seres humanos'

Divulgação/Amazon Prime Video

Os atores Dominique McElligott e Antony Starr em cena de The Boys, sucesso do Prime Video

Os atores Dominique McElligott e Antony Starr em cena de The Boys, sucesso do Prime Video

LUCIANO GUARALDO - Publicado em 22/12/2019, às 05h21

Lançada em julho pelo Amazon Prime Video, a série The Boys chama a atenção por cenas intensas de violência e sangue. Mas a versão televisiva não chega aos pés da história em quadrinhos em que a produção é baseada. Até o elenco se chocou com o que viu nas páginas desenhadas, e ficou contente com a suavização desse material. "Aquilo ali não pode ser visto por seres humanos", detona Antony Starr, que vive o Capitão Pátria.

"Tem muitas coisas nas HQs que eu não toparia refazer na televisão (risos)", completa Jessie T. Usher, intérprete do Trem-Bala. "Quando eu comecei a ler os quadrinhos, só conseguia pensar: 'Como é que vão adaptar isso?'. Imaginei que os roteiristas teriam de fazer mudanças, cortar algumas coisas, tornar outras menos intensas, para que aquilo tudo pudesse ser melhor recebido por um grande público."

Entre as cenas mais chocantes da HQ de Garth Ennis e Darick Robertson, está um momento em que o Capitão Pátria, que deveria ser o homem mais poderoso do planeta, estupra a novata Luz-Estrela para recebê-la como integrante d'Os Sete.

Capitão Pátria come um bebê vivo na HQ de The Boys

Em outra edição, enquanto os mocinhos do grupo que dá nome ao projeto tentam descobrir algum podre do superpoderoso, se deparam com uma foto em que ele, ensanguentado, devora um bebê. Cabeças explodindo e muito sexo também temperam a trama.

Ainda há arcos absolutamente desprezíveis, como o do grupo G-Men (uma paródia dos X-Men), cujo líder, John Godolkin, sequestra crianças poderosas, faz lavagem cerebral nelas e chega a estuprá-las --os integrantes mais velhos de seu grupo de heróis corrompidos também se juntam aos abusos sexuais de menores.

"O conceito da história, o mundo construído pela HQ, acho isso é muito interessante. Há muito a se fazer com esses personagens. Mas, se você levasse a série para a TV exatamente como eram os quadrinhos, ela não poderia ser exibida em nenhuma emissora ou serviço de streaming, porque é muito extrema. É uma linha muito tênue entre se manter fiel ao material e fazer algo que possa ser visto de fato", diz Starr.

"É óbvio que é muito diferente você se deparar com coisas tão chocantes em uma página de HQ, desenhadas, e ver atores de carne e osso fazendo a mesma coisa. São cenas muito perturbadoras. Eu reconheço que os quadrinhos são corajosos, que os personagens são muito bem escritos... É fácil se interessar por aquilo, mas certamente não dá para levar aquele material para a TV", discursa Usher.

reprodução/dynamite entertainment

O professor pedófilo John Godolkin pede silêncio às crianças do grupo G-Men, a quem estupra


O que vem por aí?

A segunda temporada de The Boys ainda não tem previsão de estreia, mas o elenco encerrou as gravações em novembro. Segundo Erin Moriarty, que dá vida à heroína Luz-Estrela, a nova temporada promoverá encontros inesperados entre Os Sete e Os Rapazes.

"No primeiro ano, às vezes parecia que estávamos em séries diferentes, porque nosso elenco é tão grande que raramente se cruzava. Agora, vamos juntar personagens que nunca tinham interagido antes", adianta ela.

Já Antony Starr revela que os próximos episódios vão mostrar os personagens perdendo o que importa para eles. "Como é que eles vão lidar com isso? É uma jornada muito mais interna, pelo menos para mim, como uma viagem para a alma de cada um", conta ele, que deixa escapar que a história culmina em um grande evento. "É tudo muito empolgante, mas eu não posso contar nada ainda (risos)."

O que ele pode contar é que, após a boa repercussão da primeira temporada, ficou com medo de que a nova fase apenas fizesse mais do mesmo, mas em uma escala maior.

"Mas [o showrunner] Eric Kripke me disse que o plano não era crescer em tamanho, e sim em profundidade. Isso é exatamente o que todo ator quer ouvir. Aí começamos a gravar, e eu só pensei: 'Achei que não ia ser maior'. Tem umas cenas muito loucas, cenários gigantes, efeitos incríveis, muito sangue. Mas também vai mais fundo, os personagens estão mais complexos. Estou ansioso", finaliza.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Qual é seu programa favorito gravado na quarentena?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook