Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

Game of Thrones

De gay viciado em sexo a nu em filme épico; veja atores de GoT antes da fama

Reprodução/Warner Bros.

A atriz Lena Headey aparece com os seios à mostra em cena de sexo do filme 300  - Reprodução/Warner Bros.

A atriz Lena Headey aparece com os seios à mostra em cena de sexo do filme 300

JOÃO DA PAZ

Publicado em 24/4/2016 - 7h16

Game of Thrones não tinha nomes de peso em seu elenco quando foi ao ar pela primeira vez na HBO, em 2011. Agora, com a sexta temporada no ar, os principais atores da atração têm status de celebridades. Mas, antes da fama, alguns deles fizeram trabalhos um tanto inusitados na TV e no cinema, desde viver um homossexual viciado em sexo a exibir os seios em um filme de época.

Aidan Gillen, o Mindinho, interpretou um publicitário homossexual na versão britânica de Queer as Folk (1999-2000), papel que o colocou em evidência. Já Lena Headey, a implacável Cersei Lannister, tirou a roupa para fazer cenas de sexo no filme 300 (2006), no qual contracenou com Gerald Butler.

Saiba um pouco mais sobre as carreiras desses e de outros cinco atores antes da fama alcançada com Game of Thrones:

Reprodução/divulgação/sony pictures/hbo

Assim como em GoT, Peter Dinklage fez um anão invocado em Vivendo no Abandono (à esq.)

Peter Dinklage, o ator frustrado

Ator mais premiado da série, com dois Emmy e um Globo de Ouro, Peter Dinklage passou pelas dificuldades corriqueiras da profissão no início da carreira. Em seu primeiro grande filme, Vivendo no Abandono (1995), Dinklage interpretou Tito, um ator anão que reclamava de sempre interpretar papéis estereotipados no cinema e aparecia no sonho de um dos protagonistas. "Vamos fazer algo espantoso e colocar um anão em um sonho. Daí as pessoas dirão 'Nossa, isso só pode ser um sonho, olha ali um anão'", esbravejava Tito para o diretor Nick Reve, interpretado por Steve Buscemi.

divulgação/warner bros./hbo

Em 300 (à esq.), Lena Headey interpretou uma rainha que apareceu nua, igual ocorreu em GoT

Lena Headey, a rainha nua

No final da quinta temporada de Game of Thrones, a rainha viúva Cersei Lannister, personagem de Lena Headey, apareceu completamente nua em uma das cenas mais impactantes da série. Mas Lena não ficou totalmente pelada: do pescoço para baixo, Cersei ganhou o corpo de um modelo. A situação foi diferente no filme 300 (2006), em que Lena interpreta Gorgo, a rainha de Esparta. Em uma cena de sexo com Gerard Butler, o rei Leônidas, os seios dela ficaram expostos.

reprodução/divulgação/bbc/hbo

Com 23 anos, Emilia Clarke viveu uma universitária na novela britância Doctors (à esq.)

Emilia Clarke, a universitária de pavio curto

A atriz britânica Emilia Clarke estreou na TV em uma novela britânica. Ela interpretava uma universitária chamada Saskia Meyer em Doctors (2009), da BBC. Ao descobrir que o pai a perseguia pelo campus para saber de suas aventuras longe de casa, ela se revoltava e até o acusava de ser "pervertido". Emilia participa de várias cenas com Seeta Indrani, uma das protagonistas da atração.

reprodução/divulgação/thura film/hbo

Nikolaj Coster-Waldau é estrela na Dinamarca graças ao papel de vigia em Nightwatch (à esq.)

Nikolaj Coster-Waldau, o vigilante dinamarquês

A carreira de Nikolaj Coster-Waldau começou com um personagem nada complexo e bastante intrigante. No filme dinamarquês Nightwatch (1994), o ator interpreta o estudante Martin Brok, que tem a missão de vigiar o Instituto de Medicina Forense de Copenhague. Em suas rondas, Martin se deparava com muitas ocorrências suspeitas, em uma época na qual muitas mulheres eram mortas nas ruas da cidade. O sucesso do filme foi tão grande na Dinarmarca e na Europa que o diretor Ole Bornedal fez uma versão norte-americana em 1997. 

reprodução/divulgação/channel 4/hbo

O sexo foi importante na carreira de Aidan Gillen, presente em Queer as Folk (à esq.) e em GoT

Aidan Gillen, o viciado em sexo

Em Game of Thrones, Aidan Gillen já fez as vezes de um cafetão dono de um bordel. O sexo também esteve presente no papel que alavancou a sua carreira. Na versão britânica de Queer as Folk (1999-2000), Gillen interpretava um publicitário homossexual, Stuart Alan Jones, que gostava tanto de sexo que deseja “morrer transando”. Com uma carreira de sucesso, Stuart gastava boa parte de seu tempo livre em pubs da cidade de Manchester, Inglaterra. Antes de GoT, o ator irlandês teve um papel importante em outra série da HBO, The Wire (2002-2008), na qual interpretou durante 35 episódios um político da cidade de Baltimore, Estados Unidos.

divulgação/mgm/hbo

Antes de GoT, Carice van Houten foi mulher de Tom Cruise no filme Operação Valqúíria (à esq.)

Carice van Houten, o par romântico dos galãs

Entre 2008 e 2010, a atriz holandesa Carice van Houten realizou o sonho de muitas mulheres: beijou Leonardo DiCaprio, Tom Cruise e Jude Law. A atriz fez par romântico com DiCaprio no longa Rede de Mentiras (2008) e interpretou a mulher do personagem Remy (Jude Law) em Repo Men: O Resgate de Órgãos (2010). Já ao lado de Tom Cruise, Carice fez uma das personagens mais importantes de sua carreira no filme Operação Valquíria, de 2008. Ela interpretava Nina von Stauffenberg, mulher do coronel Claus (Cruise), responsável por um atentado malsucedido contra Adolf Hitler (1889-1945).

divulgação/hbo

A carreira de Tom Wlaschiha foi de médico gay (à esq.) a assassino impiedoso em GoT

Tom Wlaschiha, o estudante em buca da origem do HIV

Dez anos após chegar aos Estados Unidos, o ator alemão Tom Wlaschiha estreou no cinema como protagonista do filme No One Sleeps (2000). Ele vivia um estudante de medicina chamado Stefan Hein que deixava a Alemanha para ir até San Francisco pesquisar a origem do vírus HIV, causador da Aids. Até chegar em Game of Thrones, em 2012, Wlaschiha participou de dezenas de programas na Alemanha. Além de estar no drama da HBO, o ator é um dos protagonistas de Crossing Lines, exibida no Brasil pelo canal AXN.


► Curta o Notícias da TV no Facebook e fique por dentro de tudo na televisão

► Siga o Notícias da TV no Twitter: @danielkastro

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?