NOVA TEMPORADA

Comprado pela Disney, Os Simpsons compara Mickey Mouse ao capeta

Reprodução/Fox

A família Simpson agora faz parte da Disney: 'Bem-vinda, sinergia', diz a faixa exibida em trailer - Reprodução/Fox

A família Simpson agora faz parte da Disney: 'Bem-vinda, sinergia', diz a faixa exibida em trailer

LUCIANO GUARALDO, de San Diego - Publicado em 23/07/2019, às 05h10

Prevista para estrear em 29 de setembro, a próxima temporada de Os Simpsons será a primeira depois da compra da Fox pela Disney. Mas se engana quem pensa que a família amarela vai poupar os novos donos em seu 31º ano no ar. Em um dos próximos episódios da animação, o Mickey Mouse, personagem ícone da empresa, será comparado ao capeta.

A cena controversa fará parte do já tradicional capítulo de Halloween, A Casa da Árvore dos Horrores, em que nada do que acontece influencia a história do resto da animação. Assim, personagens morrem, viram zumbis, ganham superpoderes... E voltam ao normal na semana seguinte, como se nada tivesse acontecido.

O episódio deste ano foi exibido em primeira mão durante a San Diego Comic-Con, maior evento de cultura pop do mundo, e o Notícias da TV assistiu à sequência. O capítulo revela que Maggie, a fofa bebê da família amarela, na verdade foi trocada na maternidade porque Homer não queria mais um menino --pois já sofreu o suficiente com Bart. Ele deixa o filho biológico no hospital e volta para casa com a menina, rejeitada por várias famílias por ser diabólica.

A bebê, de fato, é possuída pelo demônio, e começa a tacar o terror na casa dos Simpsons. Coloca fogo em móveis, quase provoca a morte dos pais, explode objetos apenas com o poder da mente. Apesar do desespero dos outros, Homer não se comove. Tudo isso, segundo ele, ainda é "melhor do que outro menino como Bart".

Em uma das piadas do episódio, Marge comenta que Maggie tem "a marca da besta" em seu corpo. É aí que a família remove o lacinho azul da bebê para revelar que ela tem um Mickey Mouse tatuado na testa. A matriarca, então, desconversa: "Não essa, a outra". Homer então vira a filha e percebe que ela tem o número 666 na nuca.

Curiosamente, o episódio em questão também será o de número 666 da série. "Ou 667, se a Fox não mudar a programação mais uma vez", brincam os roteiristas da animação durante o próprio episódio.

divulgação/fox

Maggie briga com macaco durante cena do primeiro filme dos Simpsons, lançado em 2007


Respeito, pero no mucho

Alfinetar os próprios chefes não é nenhuma novidade para os produtores de Os Simpsons. Durante os 30 anos em que estiveram na Fox, não pouparam críticas à Fox News, canal de notícias do grupo que é muito associado ao Partido Republicano. Também detonaram a própria grade da rede de que fazem parte, com reality shows extremamente sexualizados e séries com roteiros ruins.

Questionado sobre as críticas ao conglomerado do Mickey Mouse, o criador Matt Groening tirou mais sarro. "Nos últimos 30 anos, nós fizemos piadas contra a Disney. E agora... Disney, nós amamos você! Não nos tire do ar", brincou.

Já o produtor executivo Al Jean afirmou que está contente com a aquisição bilionária, já que agora todos os episódios de Os Simpsons estarão disponíveis em um serviço de streaming --o acervo da família amarela é uma das armas do Disney+, que chega aos Estados Unidos em novembro e em 2021 ao Brasil.

"Honestamente, não consigo pensar em um lugar melhor para estarmos no streaming do que no Disney+. Agora só falta eles [pessoal da Disney] trocarem o Mickey Mouse por Bart Simpson como símbolo da empresa", brincou Jean.

Novo filme?

Groening e Jean também falaram sobre a possibilidade de um novo filme da família Simpson chegar aos cinemas em breve. Apesar de estar no ar em uma série própria desde 1989, os amarelinhos estrelaram um único filme, em 2007.

"A verdade é que o primeiro filme nos matou, porque a mesma equipe que fazia a série estava no longa. Roteiristas, animadores, atores... Nós estamos nos recuperando dessa jornada dupla até hoje", exagerou Groening. "Mas certamente faremos um novo filme, a Disney vai querer algo que faça valer o investimento dela."

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Você gostou da escolha de Maju Coutinho para o Jornal Hoje?

Últimas notícias

Notícias da TV
Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook