Premiação

Cinco séries fora do radar que prometem surpreender no Emmy

Divulgação/BBC America

A atriz Sandra Oh (ex-Grey's Anatomy) em cena da primeira temporada de Killing Eve - Divulgação/BBC America

A atriz Sandra Oh (ex-Grey's Anatomy) em cena da primeira temporada de Killing Eve

JOÃO DA PAZ - Publicado em 07/07/2018, às 05h49

Em menos de uma semana, o público irá conhecer os indicados à 70ª edição do Emmy. Entre as produções renomadas na disputa da cobiçada estatueta, correm por fora séries pouco comentadas, como Counterpart, Killing Eve e Patrick Melrose, que prometem ameaçar dramas e comédias tarimbadas nas principais categorias do Oscar da TV deste ano.

Saiba mais sobre essas três produções fora do radar, e conheça ainda Smilf e Howards End, outras zebras que podem cravar um espaço no Emmy de 2018.

Os concorrentes ao prêmio deste ano serão conhecidos na próxima quinta (12). Já a cerimônia para anunciar os vencedores acontece em 17 de setembro.

divulgação/showtime

Vencedor do Oscar, J.K. Simmons brilha ao interpretar dois personagens em Conunterpart

Counterpart
Série que ganhou uma estreia indigesta no Brasil (uma maratona com todos os episódios da primeira temporada foi exibida em plena tarde de sábado, no canal TNT Séries), Counterpart tem tudo para ser representada no Emmy pelo ator J.K. Simmons (o nazista Vernon Schillinger de Oz). No drama de ficção científica, o vencedor do Oscar vive dois personagens diferentes em realidades alternativas.

Como são os próprios atores que votam nas categorias de atuação, Simmons deve figurar entre os indicados porque seus colegas sabem o quanto é difícil viver dois papéis distintos em uma mesma trama. A imprensa também defende a presença de Simmons, que tem a torcida de especialistas dos sites Yahoo! e Deadline.

divulgação/Starz

Hayley Atwell em Howards End; atriz de Agent Carter mandou bem na minissérie de época

Howards End
No meio de produções do nível de American Crime Story: O Assassinato de Gianni Versace (a favorita), The Looming Tower e Twin Peaks, uma produção de época do canal Starz é aposta para aparecer de intrometido na categoria minissérie. O drama Howards End,  baseado na obra homônima de 1910, interlaça as diferentes classes sociais da Inglaterra do século 20: os ricos, a burguesia e os pobres.

A história foca em duas irmãs de origem alemã que interagem com a abastada família Wilcox. Uma delas é Margaret Schlegel, vivida por Hayley Atwell, atriz que também é postulante a uma das vagas como atriz em minissérie. Ela deve disputar a estatueta com estrelas hollywoodianas do nível de Nicole Kidman e Elisabeth Moss.

divulgação/BBC America

Eterna Cristina Yang de Grey's Anatomy, Sandra Oh dá uma aula de atuação em Killing Eve

Killing Eve
Se o Emmy fosse uma corrida de cavalos, Killing Eve seria o azarão que pagaria uma fortuna para quem apostasse nele. Atração da BBC America, a excelente trama de espionagem ambientada na Europa é séria candidata a, pelo menos, estar entre os indicados na principal categoria do Emmy (melhor drama).

A protagonista Sandra Oh, eleita pelo site Vulture a melhor atriz da atual temporada, deve ganhar uma vaga na concorrida categoria de atriz dramática. No TCA Awards, uma prévia do Emmy, Killing Eve liderou todas as séries com seis indicações.

O que joga contra Killing Eve é que o Emmy demora para reconhecer atrações de canais pouco populares. Orphan Black, da mesma BBC America, só estreou no Oscar da TV em 2015, quando a elogiada série já estava em sua terceira temporada.

divulgação/Showtime

Benedict Cumberbatch em Patrick Melrose; banho com uísque para afogar as mágoas

Patrick Melrose
A categoria melhor ator em minissérie não é estranha para o britânico Benedict Cumberbatch. Pela série Sherlock, na qual viveu o detetive mais famoso do planeta, ele recebeu quatro indicações. Foi o grande vencedor uma vez, em 2014. Na temporada 2017-2018 da TV americana, ele deu o ar da graça em Patrick Melrose e está bem cotado para estar mais uma vez na briga.

O que credencia Cumberbatch são as diversas facetas que ele demonstra na pele do nobre drogado e alcoolizado Patrick Melrose. Na produção, que se passa em meados dos anos 1980, o personagem lida com a morte do pai, que abusava dele durante a infância. A atração do canal Showtime é inspirada em cinco livros escritos por Edward St. Aubyn, que espelhou no personagem acontecimentos da própria vida.

divulgação/Showtime

Frankie Shaw pode concorrer ao Emmy por comédia que traz a vida difícil de uma mãe solteira

Smilf
Premiação que sempre gosta de surpreender, o Globo de Ouro indicou a comédia Smilf em duas categorias: melhor comédia e melhor atriz (Frankie Shaw). Embora a Academia de Televisão americana, organizadora do Emmy, tradicionalmente não repita esse tipo de aposta, Smilf e Frankie correm por fora para entrar na premiação.

Atração do canal Showtime, a comédia conta com o apreço da mídia especializada, como o da revista The Hollywood Reporter. Smilf narra a história de uma mãe solteira chamada Bridgette Bird, uma atriz decadente que trabalha como babá e está em pleno auge da vida sexual. O título da série é uma sigla que, em português, significa algo como Mães Solteiras com Quem Eu Gostaria de Transar.

Leia também

 

 

Enquete

O que você achou do vaivém de Datena na Band?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook