Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

Conheça o plano

Avião particular e confinamento: Saiba como Hollywood vai voltar a gravar séries

Divulgação/BET

Chido Nwokocha se inclina para beijar o rosto da atriz KJ Smith em cena da comédia Sistas

Os atores Chido Nwokocha e KJ Smith na primeira temporada da comédia Sistas, do canal americano BET

JOÃO DA PAZ

Publicado em 13/5/2020 - 13h40

Paralisada desde meados de março devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), Hollywood prepara a retomada dos trabalhos. O primeiro plano concreto de uma produtora de séries foi divulgado pelo estúdios do cineasta Tyler Perry e conta com confinamento do elenco e dos operários, além de avião particular, para voltar a gravar novos episódios.

Localizado em Atlanta (Estado da Geórgia), o Tyler Perry Studios tem uma estrutura que permite uma logística ambiciosa --The Walking Dead é gravada lá. Com 1,33 km², o terreno vasto tem dezenas de prédios que podem acomodar aproximadamente cem pessoas, com quarto, cozinha, banheiro e muito mais. O esquema montado por Perry deve servir como base para outras produções voltarem à ativa.

A partir de 8 de julho, duas séries serão gravadas em um período de cinco semanas, uma de cada vez. Os trabalhos começam com a comédia Sistas, seguido pelo dramalhão The Oval, ambas do canal americano BET (inéditas no Brasil). Cada uma delas vai para a segunda temporada, com 22 episódios. Em entrevista pra o site Deadline, Perry disse que consegue gravar 22 episódios em duas semanas e meia.

Aviões particulares levarão os atores para o estúdio, saindo de Nova York e Los Angeles. Antes de embarcarem, todos vão fazer testes da Covid-19; só vai entrar na aeronave a pessoa que não tiver o vírus.

Outra bateria de testes será realizada antes de cada pessoa entrar no estúdio. Até aguardarem o resultado, os profissionais ficarão isolados durante quatro horas. E, no decorrer das gravações, todos serão testados quatro vezes durante as semanas de trabalho. Um consultor médico acompanhará de perto os exames.

Perry usou videoconferências para conversar com os atores e equipe. Ele só ativou esse plano quando todos concordaram com as medidas propostas. O cineasta também procurou os sindicatos da categorias para elaborar diretrizes. E está de acordo com a lei local. Desde o último dia 30, o Estado da Geórgia afrouxou a quarentena, permitindo reabertura de alguns comércios e indústrias.

A volta das gravações das séries de Perry ocorrerá bem antes do que é projetado pela maioria das produtoras e estúdios de Hollywood, que agora visam um retorno só em agosto. Seja como for, a estratégia do BET junto com Perry serve para outros copiarem; dá para imitar o que deu certo e evitar os erros. Para o cineasta, há a vantagem de ele ser dono de um dos maiores estúdios dos Estados Unidos, uma antiga base militar, grande o bastante para acomodar o seu plano.

Os episódios de The Oval e Sistas serão todos dirigidos por Perry (que criou ambas as atrações, as produz e é roteirista). Elas são um sucesso no BET, com média de telespectadores que ultrapassam a casa do 1,5 milhão por episódio. As séries, assim como as outras produções de Perry, abrem espaço para contar histórias com personagens negros em destaque.

The Oval está mais para um grande novelão, sobre funcionários da Casa Branca (sede do governo americano) que convivem com o presidente e a primeira-dama. Já Sistas é uma comédia sobre quatro amigas que vivem sob o lema "solteira sim, sozinha nunca".

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?