A FORÇA DO QUERER

De agressor a paizão: cinco vezes em que Dan Stulbach lacrou

Raquel Cunha/TV Globo

Dan Stulbach em A Força do Querer; ator estourou na TV em 2003 como marido espancador - Raquel Cunha/TV Globo

Dan Stulbach em A Força do Querer; ator estourou na TV em 2003 como marido espancador

MÁRCIA PEREIRA - Publicado em 15/09/2017, às 05h35

Quatorze anos após estourar como um agressor em Mulheres Apaixonadas, Dan Stulbach voltou às novelas em A Força Do Querer com gás para "lacrar". O ator mergulhou fundo na história da transição de gênero de Ivan/Ivana (Carol Duarte) para fazer o paizão Eugênio. Deixou até a vida pessoal de lado para se dedicar 100% à trama de Gloria Perez. O resultado é a maturidade em cenas como as da última terça (12), em que ele chorou ao ver que sua "princesinha" virou um homem. 

Prestes a completar 48 anos (faz aniversário no dia 26), Stulbach não reclama de ser lembrado pelo vilão Marcos, da novela de Manoel Carlos exibida pela Globo em 2003. Ele acha impressionante a repercussão que as raquetadas do marido agressor na professora Raquel (Helena Ranaldi) surtiram em todo o país.

"Apesar de não ter sido meu primeiro trabalho, foi o que pegou. Eu sofria ameaça de morte [na época], não era bem atendido nos restaurantes, as mulheres não sentavam do meu lado no avião. Era um outro grau de envolvimento, não tínhamos TV a cabo nem internet. Acho que foi uma das últimas novelas que tiveram essa possibilidade da TV aberta mais onipresente", lembra.

Divulgação/TV Globo

Raquel (Helena Ranaldi) apanhava de Marcos (Dan Stulbach) em Mulheres Apaixonadas

Será que agora ele será lembrado pelo trabalho como Eugênio? Stulbach evita fazer apostas, mas arrisca dizer que o pai de Ivan caiu no gosto das pessoas porque é um homem íntegro, honesto e ético, em um momento no qual o país está cansado de tanta desonestidade.  

Stulbach estava fora dos folhetins desde 2011, quando fez Fina Estampa. Aliás, ele só tem cinco novelas no currículo. Atuou mais no teatro, em filmes e em séries. Foi apresentador do CQC, na Band, e de programas na TV paga. Porém, o ator faz questão de afirmar que não tem nenhum preconceito com novelas.

"Fui criado vendo novela. Eu queria ter feito o Victor Valentim e Jacques Leclair [da novela Ti-Ti-Ti, 1985], imitava todo mundo de Roque Santeiro [1985]. Fiquei tanto tempo fora porque não pintaram oportunidades, e as que pintaram não tinham nada a ver comigo ou porque ficar fora de São Paulo é desgastante", conta.

Para o ator, fazer uma trama na Globo significa se mudar de São Paulo para o Rio de Janeiro durante quase um ano e viver em função disso. "Minha vida particular acaba sendo um pouco deixada de lado, muda muito", resume. 

Confira cinco momentos que o ator "lacrou" como Eugênio:

Reprodução/tv globo

Eugênio (Dan Stulbach) chora ao abraçar Ivan (Carol Duarte) após ver o filho com novo visual

Pai amigo
Desde as primeiras cenas, a amizade de Eugênio com Ivana/Ivan foi um dos pontos fortes do personagem. Essa parceria foi resgatada com altas doses de emoção no capítulo de terça, quando o advogado ouviu o apelo do filho para mudar de nome nos documentos. Desabafou sobre como é estranho encarar a "nova imagem da sua princesinha" e emocionou.

"Bofe" incompreendido
Conservadora, Joyce (Maria Fernanda Cândido) não compreendeu o desejo de mudança de seu marido na carreira. Incompreendido pela mulher ao deixar a direção da empresa da família, ele caiu nas garras de Irene (Débora Falabella). Mesmo assim, o público continuou torcendo para o advogado. Stulbach conta que muita gente nas ruas "puxou sua orelha" e mandou ele tomar cuidado com a arquiteta.

Com "pegada"
Depois do assédio de Irene, que na trama ultrapassou um ano devido às passagens de tempo, Eugênio não resistiu e mostrou ter "pegada" na cena em que foi pela primeira vez para a cama com a vilã.

reprodução/tv Globo

Stulbach agarra Débora Falabella em cena; personagem mostrou ter 'pegada' com a amante

Expulso de casa
Com a pulada de cerca escancarada pela amante, o advogado foi expulso de casa. Ao dar de cara com as malas na porta do apartamento, ficou sem chão e com lágrimas nos olhos. A sequência trouxe recorde de audiência à novela em uma noite de sábado. Registrou 33,1 pontos de média no Ibope.

Domando a fera
Joyce virou o jogo e pegou seu marido de volta, mas Irene não deixa o casal em paz. Ao ver a mulher surtada, Eugênio já usou seu lado sedutor com a dondoca também. Aliás, domar Joyce é uma de suas habilidades.

Nos próximos capítulos, caberá ao advogado ajudar Ivan com a mudança de nome em seus documentos, o que não será nada fácil diante da resistência da mulher. Ele também vai descobrir que Irene espera um filho seu. 


Confira cinco reportagens especiais sobre A Força do Querer:

Os 'filhos' da novela: pesquisador de Glória Perez lança livros baseados na trama

De sapato voador a nudez pública: relembre sete barracos marcantes

"Queria que Bibi pagasse pelo que fez", diz Juliana Paes sobre sua personagem

Globo fatura com fim de disfarce de travesti; saiba como

Sucesso como amiga de Bibi, atriz desistiu da carreira no Brasil para viver no México

Leia também

 

 

Últimas de A Força do Querer

Enquete

O que você achou do vaivém de Datena na Band?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook