Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

SALVE-SE QUEM PUDER

Como José Condessa, conheça outros atores que abandonaram novelas pela metade

VICTOR POLAK/TV GLOBO

Em pé, o ator José Condessa de camisa bege sorri em lançamento da novela Salve-Se Quem Puder

José Condessa em lançamento de Salve-Se Quem Puder; ator saiu da trama para assumir papel em Portugal

NILSON XAVIER, Especial para o Notícias da TV

Publicado em 13/6/2020 - 5h33

O ator português José Condessa abandonou Salve-se Quem Puder por causa de compromissos que assumiu em Portugal. Por conta da paralisação das gravações da novela da Globo (motivada pela pandemia de Covid-19), a emissora não conseguiu cumprir os prazos estipulados para o seu término, em julho, e o ator não poderá estar no Brasil para dar continuidade à trama, já que também se comprometeu com portuguesa TVI.

Na última participação do ator em Salve-se Quem Puder, seu personagem, Juan, e Mário (Murilo Rosa) entraram em um avião em Cancun rumo ao Rio de Janeiro. Já se sabe o desfecho que o autor da novela, Daniel Ortiz, dará para justificar na trama a ausência do personagem de Condessa: ele pegará um avião de volta para o México, e suas funções dramatúrgicas serão assumidas por Rodrigo Simas, que entra na história.

O abandono de novela pelo ator ou atriz causa um grande transtorno para a produção, principalmente para o autor, que tem de se virar para explicar a falta do personagem na trama e do ator com quem o público se acostumou. Esta é uma situação muito rara na teledramaturgia brasileira, tendo acontecido anteriormente com apenas três produções:

Véu de Noiva (Globo, 1970)

Por volta do trigésimo capítulo, o ator Geraldo Del Rey (1930-1993) pediu para sair de Véu de Noiva, novela de Janete Clair (1925-1983) na Globo, para trabalhar em E Nós, Aonde Vamos?, produção de Glória Magadan (1920-2001) na TV Tupi.

A solução de Janete para o desfalque do personagem foi matá-lo, criando o mistério "quem matou Luciano?" Assim, a saída do ator não criou nenhum problema, pelo contrário, serviu para um entrecho que fisgou o público. Em tempo: Véu de Noiva foi um sucesso, enquanto E Nós, Aonde Vamos? caiu no esquecimento.

Arquivo

O ator Geraldo Del Rey (à. esq.) e o Nelson Caruso (à. dir.); ambos desistiram de novelas


A Barba Azul (Tupi, 1974)

Aqui, o inverso da situação acima. O ator Nelson Caruso (1939-1982), que na novela da Tupi interpretava o personagem Tony Duarte, deixou a produção porque foi contratado pela Globo. A situação foi reproduzida em A Barba Azul: Tony Duarte, que na história da novela era um ator que trabalhava para a TV Tupi, saiu de cena porque aceitou a proposta de "uma emissora carioca".

A autora de A Barba Azul, Ivani Ribeiro (1922-1995), criou então um novo personagem, Maurício Moraes (interpretado por Edgard Franco, 1937-1996), o novo ator que substituiu Tony Duarte e deu prosseguimento à sua trama até o final.

ARQUIVO

Nívea Maria e Carlos Augusto Strazzer saíram de Mania de Querer após demissão de diretor


Mania de Querer (Manchete, 1986)

Durante a novela, o diretor Herval Rossano (1935-2007) se desentendeu com o alto comando da TV Manchete e foi demitido. Em solidariedade a ele, os atores Carlos Augusto Strazzer (1946-1993) e Nívea Maria, que viviam os protagonistas de Mania de Querer, pediram rescisão de contrato.

Nívea, mulher de Rossano, e Strazzer, levado para a Manchete pelo diretor, saíram com ele. Vanessa e Ângelo, personagens dos atores, desapareceram da trama e o protagonismo foi jogado para outra personagem, Lúcia, vivida por Aracy Balabanian.

Últimas de Salve-se Quem Puder


Resumos Semanais

Resumo da novela Salve-se Quem Puder: Capítulos de 28 de março

Sábado, 28/3 (Capítulo 54)
Helena acusa Luna/Fiona de causar a discórdia em sua família e Luna enfrenta a empresária. Rafael mostra a carta ‘psicografada’ de Kyra para Júnior. O chefe de Dominique é revelado e lhe dá uma nova missão. ... Continue lendo


Outras Novelas

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?