Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

NOJO REAL

Ary Fontoura cuspiu de verdade em Claudia Raia em A Favorita: 'Cena cruel'

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Montagem de fotos com os atores Ary Fontoura (à esq.) como Silveirinha e Claudia Raia como Donatela em A Favorita, em 2008, novela das nove da Globo

Ary Fontoura (à esq.) como Silveirinha e Claudia Raia como Donatela em A Favorita, em 2008

KELLY MIYASHIRO

kelly@noticiasdatv.com

Publicado em 6/5/2022 - 10h25

Ary Fontoura cuspiu de verdade em Claudia Raia em A Favorita (2008). Com a novela de João Emanuel Carneiro prestes a voltar ao ar, o intérprete do mordomo Silveirinha resgatou o momento dramático: "Cena cruel!". A trama será reprisada pela primeira vez na história a partir de 16 de maio, no Vale a Pena Ver de Novo.

Em entrevista à coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S.Paulo, o veterano relembrou o que havia sentido durante as gravações de A Favorita. Na cena em questão, a protagonista descobre que seu funcionário é um traidor, aliado de Flora (Patricia Pilar), sua inimiga na história. 

Em um surto de sinceridade, o mordomo admite que odeia a patroa e que sente nojo dela. No ápice da dramatização, Fontoura fugiu do roteiro e cuspiu para valer no rosto de Claudia, algo que não fora ensaiado: 

É uma cena cruel. Estávamos tomados pela emoção. Começamos a brigar e foi indo, foi indo, foi indo e as coisas aconteceram, eu cuspi de verdade na Claudia. É claro que a gente não pode perder a razão, mas há cenas que são tão envolventes que temos que tomar muito cuidado para não ultrapassar limites.

Em uma entrevista divulgada em 2020, quando A Favorita entrou para o catálogo do Globoplay, Claudia Raia também resgatou o dia que foi surpreendida com o improviso de Ary Fontoura. 

"A cena do cuspe foi uma loucura. A Donatela pega o Silveirinha com a Flora, entra ali e dá de cara com a traição. Ele, que parecia um mordomo fofo, querido, é um vilão da pior espécie, que não vale nada", lembrou a atriz na ocasião. 

"Eu falava muito, falava horrores pra eles. Nós passamos [a cena] e não tinha o cuspe, não estava escrito isso. A gente começou a fazer e aquele ódio [da personagem] veio vindo, pegando fogo. Eu falava na cara dele, bem perto, ficamos cara a cara, e vi que ele ficou transtornado. Na hora pensei: 'Nossa'. Do nada, ele cuspiu na minha cara", completou a atriz.

"Ficou aquela pausa que você não ensaia. É genuína, dependendo do que é feito ali. Me deu um ódio daquele cuspe. Mas achei incrível, eu amei [o resultado], achei que deu aquela levantada [na cena]", refletiu a artista.

A intérprete de Donatela também contou que, após terminarem de gravar, todos no estúdio os aplaudiram. A atriz se lembra até hoje da cena com orgulho e acredita que o impacto gerado com o cuspe só foi possível porque havia cumplicidade, intimidade e profissionalismo entre o elenco do enredo criado por João Emanuel Carneiro.

"Essa cena ficou pra sempre, falo sempre dela. É a intimidade dos atores. Imagina se o Ary pensasse: 'Se eu cuspir na cara da atriz, ela vai ficar puta'. Não pode. Essa coisa tão visceral, tão unida, nos deu a liberdade para que a gente criasse, arriscasse. Nunca imaginei levar uma cusparada na cara, e olha que eu já passei por muita coisa na vida", brincou. 

Confira a cena do cuspe em A Favorita: 


Últimas de A Favorita

Leia também

Enquete

Pantanal perde audiência: novela está chata?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.