TEMA DE FILME

Sucesso no humor, atores sofrem para trabalhar fora da comédia: 'Preconceito'

REPRODUÇÃO/WARNER BROS.

Caíto Mainier e Carol Portes interpretam apresentadores de um programa de fofoca na comédia Chorar de Rir - REPRODUÇÃO/WARNER BROS.

Caíto Mainier e Carol Portes interpretam apresentadores de um programa de fofoca na comédia Chorar de Rir

VINÍCIUS ANDRADE - Publicado em 18/03/2019, às 06h14

Filme que entra em cartaz nos cinemas na quinta-feira (21), Chorar de Rir apresenta a trajetória de Nilo Perequê, humorista interpretado por Leandro Hassum que entra em crise e encontra dificuldades na carreira ao decidir deixar a comédia e se aventurar no drama. A situação exibida nas telonas não foge muito do que os atores do longa enfrentam na realidade.

No elenco da última temporada do programa Tá no Ar, na Globo, a atriz Carol Portes afirma que trabalha há mais de dez anos apenas com humor e que, apesar de ter vocação e amar estar nessa função, percebe uma restrição do mercado para que ela consiga papéis diferentes.

"Eu sou atriz e o povo só me chama pra fazer comédia. Eu aceito, eu adoro e tá tudo bem. Só que existe um pouquinho de preconceito, sim. Mas a gente lida bem com isso", diz Portes ao Notícias da TV.

Em Chorar de Rir, ela interpreta as gêmeas Ruth e Raquel, apresentadora e repórter do programa de fofoca Fama News, que acompanha os passos de Nilo Perequê.

O outro apresentador da atração de fofocas é Índio, vivido por Caíto Mainier. Apesar de ter participado do Chorar de Rir e de ser o Rogerinho do Ingá no Choque de Cultura, ele se vê mais como roteirista do que como ator. Caíto é um dos redatores do programa Lady Night, de Tatá Werneck. Para o comediante, quem trabalha nos bastidores do humor sofre o mesmo preconceito de quem aparece na tela.

"Com o roteirista acontece uma coisa parecida, sim. É difícil te chamarem pra algo que não seja comédia, talvez seja até um preconceito do lado de lá. Porque eu, por exemplo, adoro escrever contos de terror, eu tenho alguns escritos. É algo que eu gostaria de roteirizar, mas sempre me chamam pro humor", conta.

Ao contrário do seu personagem em Chorar de Rir, Leandro Hassum nunca pensou em se aventurar no drama, mas enfrentou uma dificuldade na carreira depois de ter feito cirurgia bariátrica, em 2014. Ele foi acusado por parte do público de ter perdido um pouco da graça juntamente com a mudança em seu físico.

"Se você buscar seus resultados baseado no que os outros esperam de você, é uma grande cagada. Já passei por dramas dentro da minha profissão, de exigências. Mais recentemente com a questão do emagrecimento, toda essa cobrança por ter mudado. Mas aí é que vem a sua maturidade, você ser o dono da sua história. Quando você é dono da sua história, ninguém a muda. Você é que faz", opina.

O elenco de Chorar de Rir conta ainda com Rafael Portugal, Otávio Müller, Monique Alfradique, Jandira Martini, Perfeito Fortuna e Natália Lage. filme tem participações especiais de Sérgio Mallandro e Sidney Magal. Assista ao trailer abaixo:

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Você gostou da escolha de Maju Coutinho para o Jornal Hoje?

Últimas notícias

Notícias da TV
Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook