Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

DOCUMENTÁRIO SOBRE BABENCO

Filme de Bárbara Paz é selecionado para representar o Brasil no Oscar 2021

REPRODUÇÃO/YOUTUBE

Cena em preto e branco do documentário sobre Héctor Babenco (1946-2016)

Cena do documentário sobre Héctor Babenco (1946-2016): o filme é dirigido por Bárbara Paz

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 18/11/2020 - 13h52
Atualizado em 18/11/2020 - 14h19

A Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais definiu, nesta quarta-feira (18), que o documentário Babenco, Alguém Tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou será o representante do Brasil na disputa por uma vaga na categoria de melhor filme internacional no Oscar 2021. O longa é dirigido por Bárbara Paz, que foi casada com Hector Babenco (1946-2016) nos últimos seis anos de vida do diretor.

A decisão de escolher o documentário na disputa com outros 18 longas saiu durante uma reunião virtual realizada nesta manhã, com o Comitê de Seleção de Academia, composto por profissionais do audiovisual indicados pela entidade que representa os profissionais da indústria de cinema no Brasil.

Presidido por Viviane Ferreira (diretora e roteirista), o comitê foi composto por André Ristum (diretor e roteirista), Clélia Bessa (produtora), Leonardo Monteiro de Barros (produtor de cinema e TV), Lula Carvalho (diretor de fotografia), Renata Maria de Almeida Magalhães (produtora) e Toni Venturi (diretor).

O filme sobre Babenco traz relatos sobre as memórias, amores, reflexões, intelectualidade e a frágil condição de saúde do artista, com doenças enfrentadas em seus últimos anos de vida. O longa mostra os contrastes da carreira do diretor argentino naturalizado brasileiro, indicado ao Oscar por O Beijo da Mulher Aranha (1985).

"Eu já vivi minha morte, agora só falta fazer um filme sobre ela", disse o cineasta para Bárbara Paz ao perceber que não lhe restava muito tempo de vida. A atriz, então, aceitou o desejo do companheiro de ser protagonista de sua própria morte e começou a fazer entrevistas e filmá-lo.

"Do primeiro câncer, aos 38 anos, até a morte, aos 70 anos, Babenco fez o cinema remédio e alimento para continuar vivendo. Esse é o primeiro filme de Bárbara Paz, mas também, de certa forma, é a última obra de Hector. Um filme sobre filmar para não morrer jamais", resumo um material de divulgação da obra, lançada no segundo semestre de 2019.

"O filme é um poema visual, minha ode para Hector. É também minha despedida para ele. A partir dos meus olhos se revelam o homem interior e seu amor pelo cinema, amor este que o proporciona a manter-se vivo por tantos anos. Ele morreu bem como viveu, filmando até o fim", explicou a diretora.

A produção dirigida por Bárbara Paz já ganhou como melhor documentário no Festival de Veneza, em 2019, e no Festival de Viña Del Mar, no Chile, neste ano. Por conta da pandemia, o Oscar 2021 será realizado apenas em 25 de abril.

Confira o trailer Babenco, Alguém Tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou abaixo:


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?